4 de março de 2021

Lembranças Intactas

Tempo de Leitura: 3 min

Por mais que o tempo passe, algumas coisas não me fogem da lembrança. Se eu fechar os olhos, ainda consigo te enxergar do meu lado, com o sorriso largo no rosto e aquele ar de desconfiado. Os olhos estreitos me olhando lá do alto. Eu ainda sinto o cheiro do perfume que fazia o meu coração errar as batidas.

Quando foi que essa história se tornou parte do meu passado? Quem foi que disse que nossas estradas não se cruzariam mais? Eu tenho minhas dúvidas. Eu sei que eu passei longe do papel de protagonista, mas qual foi a marca que eu deixei para trás? Quando você pensar em mim, do que vai lembrar?

Aquele fim de tarde olhando o pôr do sol pela janela do carro? Os almoços a dois que enchiam a minha cabeça de bobagens? Aquele abraço, peito no peito, forte e tão automático? Será que você ainda se lembra de todas as vezes que nossas peles se tocaram? Das nossas conversas sem pretensão seguidas das minhas milhares de perguntas? Como esquecer de tudo isso?

“Desejo muitos anos ao teu lado.” De onde você tirou coragem para me falar uma coisa dessas? Hoje eu tento enxergar nas entrelinhas, desvendar os mistérios de cada atitude tua, cada olhar desviado, cada toque intencionado. Eu sei que isso não muda em nada o que aconteceu, mas não saber os teus motivos me deixa inquieta.

Eu tento não pensar muito nos detalhes. Enxergar o teu rosto por trás das minhas pálpebras deixa os meus olhos marejados. É um sentimento ruim, de fracasso, de saudade. Um potencial desperdiçado. Não é fácil seguir adiante sem saber o que poderia ter sido. Aquele “se” sempre vai incomodar de alguma forma. Espero que a maré te leve para um lugar calmo, cheio de notas confortantes e com uma vista linda.

Tenho medo de não encontrar mais esse sentimento. Não do jeito que foi, não na mesma intensidade. Porém, tenho mais medo ainda de saber que essa mesma história vai ser contada em duas versões diferentes. A nossa intersecção foi breve, não criamos muitas memórias juntos. As que eu tenho contigo ainda permanecem comigo, talvez para sempre. Talvez não.

Toda história chega ao fim. As coisas boas sempre têm um final. Eu espero que esse final tenha sido o de uma história que te marcou também de alguma forma, seja pelo motivo que for. O brilho nos olhos de iluminar quarteirões toda vez que eu via o teu sorriso. O bater descompassado do meu coração toda vez que você chegava perto demais. Cada bom dia, cada boa noite, cada olhar.

Do fundo do meu coração, eu te desejo felicidade. Te desejo vitórias, sucessos, alegrias e muito amor. Eu estou percorrendo os obstáculos necessários para alcançar esse mesmo desfecho, que se encontra longe do teu, mas com a mesma essência.

Enquanto a tinta azul da caneta percorre o branco do papel, eu vejo um filme na minha cabeça. Cada lembrança intacta aqui dentro. Dentro de mim.

Se os ventos soprarem por aí nos próximos dias, espero que os meus devaneios cheguem aos teus ouvidos. Eu não guardo tristezas. Obrigada por ter cruzado o meu caminho. Eu estou pensando em ti. Feche os olhos e lembre de nós dois. Foi de verdade.

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 comentários em "Lembranças Intactas"
  • Nossa que texto lindíssimo! Tocou meu coração aqui. Tive uma mistura de sentimentos ao ler. Pensei na sorte que é achar um amor recíproco e poder vivê-lo. Não importa o tempo da matéria e sim o da alma, esse sim fica para sempre.

  • Chega saiu umas lágrimas dos meus olhos aqui. Belas palavras.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA voltou do Hiatus de verão cheio de novidades e posts novos!

    Até mais, Emerson Garcia

    • Obrigada pelo carinho de sempre, Emerson. Estou retomando a escrita aos poucos depois de alguns meses em hiatus também, mas ainda estou um pouco enferrujada. E ah, seja bem-vindo novamente à blogosfera. Abraços e bom final de semana para você.