php echo do_shortcode('[contact-form-7 id="19674" title="newsletter-signup"]');
-->
28 de agosto de 2018

Apagando 34 Velinhas

Hoje eu estou completando 34 invernos — ou melhor, verões, já que agora eu estou de cabeça para baixo, morando no hemisfério norte. Eu nunca liguei muito para idade, assim como nunca escondi, senti vergonha ou menti sobre quantos anos eu tenho, mas muitas coisas mudaram para mim nos últimos anos por conta de todos esses anos somados até aqui.

Aniversário de 34 Anos

Trinta e quatro é praticamente a metade da jornada de uma vida — o intervalo entre ser alguém novo ou alguém velho. Muitos dizem que os 30 e poucos são os melhores anos ou é a fase em que nos sentimos mais completos (ou bem perto de chegar lá). Eu me sinto mais madura e mais preparada para lidar com qualquer problema, apesar de ainda me sentir jovem e ter uma alma de criança. Eu já não crio mais tantas expectativas, eu já não fico mais tão chateada quando algo dá errado, já sei lidar melhor com decepções e não gasto minhas energias com algo que não vai me acrescentar nada.

No entanto, apesar de a vida estar em ordem em todos os setores, eu nunca imaginei que chegaria a esta idade sem estar casada e começando uma família. Eu sempre quis ser mãe cedo, lá pelos vinte e poucos, e muitas pessoas diziam ser loucura da minha parte. O fato é que a vida dá voltas e tudo o que eu imaginei para a minha vida (ainda) não aconteceu... Eu continuo solteira, continuo estudando, continuo buscando a estabilidade financeira, continuo batalhando por uma carreira bacana, continuo correndo atrás dos meus sonhos... E ainda não ter isso agora já não é mais um problema para mim, sinceramente.

Em contra-partida, eu nunca passei por uma época tão tranquila como agora. Há alguns meses, eu ainda estava penando com a situação financeira aqui no Canadá — não é fácil começar do zero em outro país, ainda mais sozinha — tendo que colocar tudo na ponta do lápis para ficar dentro do orçamento. Mas eu já consegui contornar este problema e eliminar grande parte do estresse em relação a isso, que estava me consumindo. Em resumo, eu estou vivendo uma das melhores fases da minha vida.

A minha vida está se encaminhando para onde eu sempre quis, sem drama algum para estragar as minhas alegrias e conquistas. Eu estou morando na América do Norte, que sempre foi um sonho meu, estou quase terminando a minha segunda faculdade e pronta para ingressar no mercado de trabalho canadense, na minha área. Eu moro sozinha, pago todas as minhas contas com o dinheiro do meu bolso, tenho autonomia para fazer o que eu bem quiser e tenho pessoas queridas por perto (e também de longe) que me apoiam e torcem pela minha felicidade.

Aniversário de 34 Anos

No aspecto emocional, eu posso dizer que estou mais aceitativa com as derrotas, sem me machucar tanto. Ainda estou lidando com a saúde do meu coração, que foi quebrado em 2015, mas ele não dói mais como tempos atrás. Aprendi a viver dia após dia, sem antecipar sofrimentos desnecessários.

Eu tenho mais consciência do meu tempo e já consigo priorizar o que eu preciso primeiro, mesmo que a ansiedade ainda me maltrate um pouquinho... Sei dizer “não” quando necessário e entendi que não posso planejar milhões de coisas ao mesmo tempo, porque não temos tempo para fazer tudo o que gostaríamos. Estou lidando de uma forma mais saudável com a culpa, afinal de contas, eu sou humana e tenho minhas limitações, assim como todo mundo.

Mesmo assim, estou me sentindo confortável na minha pele. Eu estou mais confortável em Toronto agora, me sentindo mais “em casa”, satisfeita com a vida que estou levando e confiante com os planos que quero realizar por aqui. E ainda é apenas o começo... Tem muito chão pela frente.

Em relação à minha personalidade, acredito que sou a melhor versão de mim mesma neste momento. Sou mais paciente, mais calma, mais aceitável, mais compreensiva e mais controlada. Eu sou menos impulsiva, menos teimosa, menos explosiva e um pouco menos sensível. Encontrei um balanço para evitar os altos e baixos, que me incomodaram muito pelos últimos anos, e estou vivendo uma fase mais estável, mais plana e plena, sem buracos e pedras pelo caminho.

Acho que, pela primeira vez na minha vida, eu não tenho nenhum drama ou um problema para reclamar. Tudo está dentro dos planos, ao meu alcance e eu tenho controle sobre todos os aspectos da minha vida. Eu tenho o poder de mudar a direção a qualquer momento, ir para onde eu quiser, e acho que isso é o que todo mundo espera de sua vida em algum momento... Caminhar livremente pelas rotas que traçou para si mentalmente e conseguir chegar em todas as linhas finais — porque a vida é uma sequência de pequenas corridas, não apenas uma longa maratona.

Mesmo que algumas coisas ainda estejam dando errado ou não estão do jeito que eu quero, eu sei que o trem está nos trilhos e preparado para iniciar o trajeto... Porque quando eu quero uma coisa, todo esforço é válido e eu sei que eu vou chegar lá eventualmente... Tudo isso é devido à minha combinação infalível de determinação, persistência e paciência — melhor combinação possível, fica a dica. E mesmo que eu ainda tenha que esperar mais um pouco para chegar lá, ok. Tudo ao seu tempo, como tiver que ser. O potencial é alto e real, e isso agora é só uma questão de tempo. Enquanto o trem não chega ao destino final, eu estou olhando pela janela e aproveitando a vista.

Aniversário de 34 Anos

Estou começando a me organizar melhor com o meu tempo livre para fazer passeios e atividades de lazer aqui pela cidade. Apesar de já estar em Toronto há 2 anos, eu ainda não consegui aproveitar as vantagens de morar aqui, já que outras coisas eram mais importantes na época e precisavam da minha atenção. Esse já não é mais o caso, porque agora tudo está bem encaminhado e eu posso finalmente curtir a minha vida nesta cidade maravilhosa...

Ou seja, os meus trinta e quatro anos estão muito bem, obrigada. Gosto de saber que estou nessa fase da minha vida em que tudo parece estar bem e no lugar certo. Eu estou bem e no lugar certo. Isso é incrível em qualquer idade, na verdade, mas este momento para mim é agora. Estar plena, satisfeita e pronta para o que der e vier.

O bolinho não vai ter 34 velinhas, literalmente, mas o pensamento é o que conta... Rumo aos trinta e cinco agora e, até lá, que seja uma viagem inesquecível e cheia de monentos especiais. Parabéns para mim e que eu encontre muitas felicidades por todos os cantos em que a vida me levar.

[gs_lp_like_post]
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 comentário em "Apagando 34 Velinhas"
  • Parabéns Fê pela sua autoavaliação. É bem difícil dominar o autoconhecimento com tantos poucos anos de vida assim! Tem gente que nunca consegue se conhecer bem, o que é fundamental para uma vida boa. Te desejo tudo de bom! Beijos