20 de março de 2013

Aquela tal de TPM…

Tensão pré-menstrual. Todo mês, o mesmo dilema. Aquele período em que as mulheres ficam mais emotivas, o humor varia de cinco em cinco minutos, surge a irritabilidade, a falta de paciência, o nervosismo, a agressividade, que acabam gerando brigas e discussões por motivos insignificantes. Além dos sintomas psicológicos, elas ainda sofrem com retenção de líquidos e o inchaço no corpo, o que provoca as famosas dores nas mamas, que ficam mais sensíveis do que o comum. Sem falar nas fortes dores de cabeça, no cansaço e, em alguns casos, até depressão. E daí vem a ansiedade e a necessidade de comer chocolate e doces — ou qualquer coisa comestível. Tudo fica à flor da pele. Os hormônios estão descontrolados e tudo vira uma zona.

Mas este não é um mal que atinge todas as mulheres. Algumas estão mais propícias para sentir essas alterações hormonais, outras não. Eu sou do time que não sofre crises de TPM, ou seja, eu não tenho notáveis mudanças de comportamento durante esta fase do ciclo menstrual. Ultimamente, a única pista que tenho sobre estar chegando naqueles dias é uma forte dor de cabeça na véspera, mas não passa disso. Mas eu sou a exceção, não a regra…

Sofrendo com a TPM...

Concordo que todas essas manifestações não são culpa das mulheres e não há como fugir disso, mas não acho que a TPM justifica qualquer atitude ou descontrole que ocorre nesta fase. Só porque você está prestes a entrar naqueles dias, não tem direito a agir da forma como bem entende e usar isso como explicação. Você não pode sair brigando com o mundo e dizendo coisas que não deve, para depois pedir desculpas e dizer que estava na TPM. E por mais patético que pareça, acredite que isso realmente acontece, porque várias mulheres agem assim.

Mas, é claro que, nem todas as moçoilas se comportam da mesma forma… Existem aquelas que mergulham num mundo de sensibilidade, ficam carentes e emotivas, e tudo vira motivo para ficar triste e chorar. Mas se você está sensível e se sentindo desprotegida, não precisa virar o mundo do avesso e se tornar vítima desse fenômeno. Chore, se você tem vontade, fique mais carinhosa, mais preocupada e até mais melosa, mas não faça drama achando que o mundo vai acabar, que tudo está desmoronando na sua cabeça, se fazendo de coitadinha e achando que as coisas ruins só acontecem com você. Espere alguns dias para tomar qualquer decisão e repensar algumas ideias que você cogitou nesses dias de #mimimi. Pode fazer toda a diferença.

E se você é do time das que perdem a linha, respire, pense duas vezes antes de falar qualquer coisa, dê uma volta para espairecer, mas não despeje toda a sua raiva em cima de pessoas que não tem nada a ver com a situação. Esse período de variação hormonal pode trazer muitas discussões à tona, por coisas que nem merecem a devida atenção. Ou seja, não coloque para fora tudo o que estava engasgado em sua garganta durante esses dias. Você certamente vai falar mais do que o necessário, vai magoar alguém e pode comprometer a paz de uma relação. Não faça coisas que não faria normalmente, por raiva ou impaciência. Nada justifica a sua agressividade repentina e nenhum bem vem de atitudes como esta. Engula o sapo, tome um chá de maracujá, escreva as frustrações num papel e espere voltar ao normal para conversar sobre os assuntos que lhe preocupam ou incomodam. Evitar brigas desnecessárias é a melhor alternativa.

Tudo o que eu estou querendo dizer é que é preciso ter bom senso. Se você sabe que isso acontece uma vez por mês, prepare-se para lidar diferente com assuntos e pessoas neste meio tempo. Eu, como mulher, deveria ao menos compreender e relevar esse tipo de comportamento sem noção, mas nem eu aceito. Por que os homens deveriam entender e aceitar também? Não estou defendendo nenhum dos lados, mas acho que saber encontrar a medida certa vale para ambos: as mulheres, sendo mais contidas, e os homens, sendo mais sensatos. Agora, se mesmo entendendo que existem meios para evitar estes transtornos, você ainda decide ser uma bitch, bom… Daí já não é culpa da TPM, é problema de caráter mesmo.

Então se você sofre com esta tal de TPM, tome as precauções necessárias para que isto não afete a sua vida — e principalmente a vida dos outros. Procure ajuda, leia sobre o assunto, faça o que for necessário para driblar essas alterações antes mesmo que elas driblem você. Faça exercícios, yoga, meditação, massagem e drenagem linfática; evite o sal, a cafeína e o álcool; use roupas confortáveis; durma mais e tome banho mornos para ajudar a relaxar; modere no chocolate (porque ele proporciona bem-estar, mas é muito calórico) e invista em lanches saudáveis e frutas; consulte um médico e veja se algum medicamento não ajudaria, em seu caso. Os sintomas da TPM não são sua culpa, mas as suas atitudes e as coisas que você faz e fala durante este período são. Pense nisso.

Esse post foi originalmente escrito e publicado no Miolos Femininos.

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 comentários em "Aquela tal de TPM…"
  • (Comentei lá e tô comentando aqui também)
    Eu penso exatamente assim. Esses dias mesmo estava conversando com uns amigos sobre isso. TPM te deixa mais propensa a irritação? Ok. Mas não se pode usar disso de desculpa para ser grossa e agressiva com os outros. Você faz tudo sem ligar para como vão se sentir, depois diz “Ah, estava de TPM”?!
    Sou das que ficam sensíveis, mas tenho consciência disso e não fico dividindo meus mimimis com os outros nem tomando atitudes drásticas hahaha

    Quero ver o blog crescer, hein, meninas ;)
    Sucesso

  • Eu não fico irritada mas fico um draga por carboidratos… nada de doces… é nhoques, massas e coisas assim… Ontem a noite mesmo atraquei um prato de nhoque e agora estou aqui com a barriga com sensação de inchaço!!! OH CÉUS!!!!

  • Para a TPM é variante. Tem meses em que sinto umas dores insuportáveis que só passam com um analgésico, e tem outros que passa às ‘mil maravilhas’. ._.

    O que me dói mais são as pernas e a barriga. É como ter algum bicho a morder sem piedade nenhuma! >.<

    E pessoalmente opino que deveria ser algo anual e não mensal. :(

    Beijokas

  • Bom, Fê… concordo contigo, as pessoas não têm o direito de tratar os outros como bem entende!
    Desde os meus 12 anos sofria muito com essa época do mês: muita cólica, muita dor de cabeça, ficava sensível, chorava horrores, todos os problemas pareciam ser gigantes, a única coisa que fazia passar era o tempo… 24 horas depois ria dos motivos bobos e coisas que tinha pensado e falado.
    Depois de uma dessas crises, concluí que alguém deve ter pensado em resolver esse probleminha feminino, né? Consultei com minha ginecologista e descobri que sim, existe solução!!! :D
    Passei a tomar anticoncepcional contínuo com o acompanhamento da médica. Hoje, com 22 anos, fazem 6 meses que faço o tratamento, e não sinto mais nada… não tenho cólicas, dor de cabeça, mau humor, sensibilidade e não menstruo mais!
    Foi a melhor coisa que fiz por mim, atualmente sou outra pessoa.

    Beijos!