Categoria • Contos

1 de agosto de 2011

Aconteceu naquela noite…

Tempo de Leitura: 4 min Desde o início da noite estávamos naquela situação: ele de um lado do salão e eu do outro, mas nossos olhos não se desgrudavam nem por um segundo... Eu não sabia muito bem o que fazer e, aparentemente, ele também não, pois ficamos mais de duas horas apenas trocando olhares à distância. Um pouco mais tarde, me distraí por alguns minutos e quando virei para olhar para ele novamente, ele não estava mais lá. Olhei para todos os lados, procurando aquele rosto único, mas não o encontrei em lugar algum. Senti uma tristeza imensa na hora e soube que o [...]

Continue lendo
4 de fevereiro de 2011

A Conversa

Tempo de Leitura: 3 min Por mais estranha e constrangedora que fosse ser aquela conversa, ela era necessária. Já tinha tomado a minha decisão; era o que eu precisava fazer. Mesmo que minhas pernas tremessem, minhas mãos suassem e minha voz oscilasse, eu precisava falar com ela. Era o único jeito de ficar com minha consciência tranquila e a única forma de evitar passar o resto da vida me preocupando com ele... Então eu tomei coragem, liguei para ela e pedi que ela me encontrasse para conversar. Fazia muito tempo que eu não ficava tão nervosa. Não sabia como agir na frente dela e nem [...]

Continue lendo
27 de outubro de 2010

Coadjuvante

Tempo de Leitura: 2 min Eu não sou e nunca fui aquela menina que tem um monte de amigos. Sempre fui a garota que observa tudo e a todos do canto da sala e de quem a maioria das pessoas nunca lembram o nome. Foi assim no colégio, no cursinho de inglês, na academia, no trabalho, na faculdade... Em todos os lugares. Sempre quando você começa uma nova etapa, você seta que a sua meta é deixar de ser tão tímida e falar com as pessoas, interagir, se envolver com o grupo, fazer amigos. Mas conforme o tempo vai passando, você percebe que não deu [...]

Continue lendo
6 de maio de 2010

Sobre ser transparente

Tempo de Leitura: 3 min Dedico este post à Lusinha, que me inspirou a escrever este texto, mais como forma de desabafo do que como conteúdo do blog, propriamente dito. Doi ouvir das pessoas que você gosta que você é um fracasso e que não tem noção das coisas que fala ou faz. Eu nunca demonstrei ser alguém que eu não sou, sempre fui sincera e verdadeira com tudo e todos e não sou adepta da mentira. Até porque mesmo que eu quisesse, eu não conseguiria; eu não sei mentir. Nunca falo ou faço algo se sei que aquilo vai magoar alguém e tenho orgulho [...]

Continue lendo
30 de abril de 2010

Abraços

Tempo de Leitura: 3 min Existe algo melhor que um abraço? Não aquele abraço de cumprimento ou um meio "por obrigação", mas aquele que te diz coisas. Aquele que você não quer mais que termine, que te faz sentir segura, especial. Eu adoro abraços. Acho que um abraço pode dizer mais que palavras, é sincero e faz as duas partes envolvidas se sentirem bem. Pensando sobre abraços, eu me lembrei de três ocasiões em que os abraços foram muito especiais pra mim. Cada um com suas peculiaridades, com significados diferentes, mas que vão ficar guardados no meu coração pela eternidade. Eu odeio fazer aniversário. Nunca [...]

Continue lendo
25 de janeiro de 2010

O medo foi embora…

Tempo de Leitura: 3 min Fazia tempo que eu não me sentia assim. Mas eu respirei fundo, peguei minha bolsa e saí de casa. Como é que se faz para encarar a pessoa por quem você sente mais do que deveria, sem demonstrar que você está entrando em pânico? Fui até a banca de revistas e comprei um Trident de melancia, enquanto eu esperava por ele. Mãos suando dentro dos bolsos do meu jeans e meus olhos encaravam o meu All Star preto, que ia e vinha de um lado pro outro, sem parar. E daí ele chegou. A minha primeira frase deve ter sido [...]

Continue lendo
18 de novembro de 2009

Primeiro Beijo

Tempo de Leitura: 3 min Eu estava sentada na frente dele com o violão no meu colo, quando ele se levantou abruptamente (como se ele tivesse decidido fazer aquilo naquele exato segundo e não pudesse esperar mais), tirou o violão das minhas mãos e pediu que eu ficasse em pé. Sem entender muito bem o que ele pretendia fazer, eu me levantei e olhei meio suspeita para o rosto perfeito dele. Ele ficou parado na minha frente por algum tempo, nossos olhos praticamente na mesma altura, e nenhum dos dois se atreveu a piscar por vários segundos. E então ele se virou e começou a [...]

Continue lendo