6 de janeiro de 2021

Os Melhores de 2020

Tempo de Leitura: 10 min

Dois mil e vinte foi um ano bem agridoce, com coisas boas e coisas não tão boas, por motivos óbvios. Para não ficar muito mimimi com tantas notícias ruins espalhadas à minha volta, eu decidi ficar dentro da minha bolha de sabão e passar o meu tempo curtindo coisas que me trazem energias boas: música, filmes, séries e livros. Este post é para falar um pouquinho do que rolou de bom no meu 2020.

Minha vida gira em torno de música. Eu escuto música todos os dias — se eu não tenho como ouvir, eu cantarolo o que tiver na cabeça — e só consigo trabalhar e me concentrar se tenho alguma coisa tocando nos meus ouvidos. Música determina o meu humor e é o que traduz momentos delicados, alegres, tristes e excitantes da minha vida. Trocando em miúdos, não existe Fernanda sem música. Simples assim.

Músicas Mais Ouvidas

O Last.fm nunca mente, né? Salvo raras exceções, tudo o que eu escuto é contabilizado na minha conta e eu consigo saber com bastante precisão o que eu ando ouvindo ao longo do ano. Em 2020, a música mais tocada no meu player foi “Kanden”, do Kenshi Yonezu. Eu escutei esta música pela primeira vez no final de junho, quando ela foi lançada como música-tema de um drama japonês, e ela virou xodó bem rápido. Em agosto, ele lançou um álbum novo, que eu escutei dia e noite por semanas, colocando mais duas músicas dele no meu top 5: “Uma to Shika” — a música que eu mais ouvi em 2019 — e “Décolleté”.

Agora em dezembro, eu me deparei com o vídeo do Lee Seung-gi cantando a música “Forbidden Love”, originalmente lançada pelo cantor coreano Kyung-ho em 1997, em um episódio de Master In The House (falarei sobre este programa mais para frente) e virou uma obsessão. Para fechar meu top 5, a lindíssima “Sokkenai”, uma das minhas músicas favoritas da banda japonesa RADWIMPS.

1. “Kanden”, do Kenshi Yonezu — 527 plays
2. “Uma to Shika”, do Kenshi Yonezu — 351 plays
3. “Forbidden Love”, do Lee Seung-gi — 218 plays
4. “Décolleté”, do Kenshi Yonezu — 210 plays
5. “Sokkenai”, do RADWIMPS — 186 plays

Apesar de não terem entrado para o meu top 5, eu gostaria de mencionar mais três músicas que viraram favoritas para mim também no ano passado: “Neko”, do DISH//; “Milk”, do WANIMA; e “Mawaru, Mawaru” do SUPER BEAVER. Ótimas músicas — eu escutei bastaaaaante cada uma delas.

Artistas Mais Ouvidos

Obviamente, tendo 3 músicas do Kenshi Yonezu no meu top 5 de mais ouvidas, significa que ele foi o meu artista mais ouvido em 2020, né? Sim, e foi de lavada. Foram mais de 4 mil plays para este carinha, que é o meu músico favorito atualmente. Com exceção de MONSTA X, que foi uma adição nos últimos dois meses de 2020, eu basicamente ouvi pop e rock japonês no ano passado. Nada mais.

1. Kenshi Yonezu — 4006 plays
2. ONE OK ROCK — 1185 plays
3. MONSTA X — 693 plays
4. RADWIMPS — 557 plays
5. NICO Touches the Walls — 500 plays

Eu gostaria de mencionar que MONSTA X ficou em terceiro lugar na minha lista mesmo eu tendo ouvido as músicas deles por apenas dois meses no ano — o que é bem surpreendente. Eu posso dizer que foi quase uma lavagem cerebral em novembro e dezembro, para ser honesta. Estou VI-CI-A-DA!

Álbuns Mais Ouvidos

Não é surpresa que o novo álbum do Kenshi Yonezu esteja aqui também, então vou comentar só sobre os outros álbuns. Eu comecei o ano ouvindo mais RADWIMPS do que qualquer outra banda ou artista, mas foi o AMBITIONS do ONE OK ROCK, lançado em 2017, que mudou o percurso do resto do ano. Para mim, ele é um daqueles álbuns em que todas as músicas são incrivelmente boas. Só para constar, ele continua sendo o meu álbum favorito da banda.

1. STRAY SHEEP, do Kenshi Yonezu (2020) — 2471 plays
2. AMBITIONS, do ONE OK ROCK (2017) — 637 plays
3. ALL ABOUT LUV, do MONSTA X (2020) — 415 plays
4. ANTI ANTI GENERATION, do RADWIMPS (2018) — 365 plays
5. Chromatica, da Lady Gaga (2020) — 359 plays

Além do lançamento de Chromatica, da Lady Gaga; Brightest Blue, da Ellie Goulding; e Folklore, da Taylor Swift — todos excelentes — eu me apaixonei bastante por ALL ABOUT LUV, do grupo coreano MONSTA X. Em meados de outubro de 2020, eu descobri que eles viriam para Toronto pela sua turnê mundial e fiquei curiosa para ouvir o som deles. Resumo da história, eu estou muito apaixonada pelo grupo, pelas músicas, pelos membros e já estou com o ingresso comprado para o show deles em abril.

Melhores Filmes

De acordo com o meu Letterboxd, eu assisti 112 filmes em 2020. Não foi um ano de filmes espetaculares para mim, mas alguns deles me marcaram bastante. Independente do gênero, para eu favoritar um filme ou dar 5 estrelas na minha avaliação, ele precisa ter me tocado de alguma forma — ou ser muito inusitado e surpreendente, com sacadas inteligentes. No topo da minha lista, o filme coreano “The Beauty Inside”, de 2015, que me deixou com um nó na garganta e frios na bariga por vários minutos. Ele foi disparado o filme mais emocionante que eu vi recentemente, me deixando pensativa por vários dias.

Todos os outros 4 filmes da lista também foram marcados como favoritos do ano e ganharam 5 estrelas. “Knives Out” pelo plot inusitado e incrível, e os outros três por serem histórias que tocam lá no coração. O meu gênero favorito é drama justamente por este motivo. Eu adoro assistir histórias que me comovem e me fazem pensar sobre a vida, de forma geral.

1. The Beauty Inside (2015)

Sinopse: Woo-jin acorda em um corpo diferente todos os dias, independentemente da idade, sexo e nacionalidade. Às vezes ele é um homem, uma mulher, velho, jovem, ou mesmo um estrangeiro. Ele é a mesma pessoa por dentro, mas por fora é sempre alguém novo. Olhando para um rosto diferente no espelho todas as manhãs é difícil para ele se acostumar. A única constante em sua vida é a garota que ele ama, Yi-soo, que conhece seu segredo e o ama de qualquer maneira. Cada vez que ele se transforma, Woo-jin deve descobrir como se reunir com Yi-soo novamente.
Drama, Romance / Coréia do Sul / Direção: Baek Jong-yeol

2. Knives Out (2019)

Sinopse: Em “Entre Facas e Segredos”, após comemorar 85 anos de idade, o famoso escritor de histórias policiais Harlan Thrombey é encontrado morto dentro de sua propriedade. Logo, o detetive Benoit Blanc é contratado para investigar o caso e descobre que, entre os funcionários misteriosos e a família conflituosa de Harlan, todos podem ser considerados suspeitos do crime.
Comédia, Crime, Drama / Estados Unidos / Direção: Rian Johnson

3. Like Father, Like Son (2013)

Sinopse: Esta é a história de um grande homem de negócios, obcecado pelo dinheiro e pelo sucesso. Sua vida sofre uma grande transformação quando ele descobre que está criando o filho de outro homem há seis anos, já que seu filho biológico foi trocado por engano na maternidade.
Drama / Japão / Direção: Hirokazu Kore-eda

4. Five Feet Apart (2019)

Sinopse: No enredo de “A Cinco Passos de Você”, Stella Grant, aos dezesseis anos de idade, é diferente da maior parte dos adolescentes: devido a uma fibrose cística, ela passa muito tempo no hospital, entre tratamentos e acompanhamento médico. Um dia, conhece Will Newman, garoto que sofre da mesma doença que ela. A atração é imediata, porém os dois são obrigados a manter distância um do outro por questões de saúde. Enquanto Stella pensa em quebrar as regras e se aproximar do garoto da sua vida, Will começa a se rebelar contra o sistema e recusar o rigoroso tratamento.
Drama, Romance / Estados Unidos / Direção: Justin Baldoni

5. Nobody Knows (2004)

Sinopse: Quatro irmãos mudam-se com sua mãe para um pequeno apartamento em Tóquio, sendo que todos têm pais diferentes. As crianças nunca foram à escola e apenas o filho mais velho entra caminhando normalmente no novo apartamento, com os outros chegando escondidos em malas. Ninguém pode ficar sabendo que mais de três pessoas vivem ali, sob o risco de serem expulsos. Tudo vai bem até que, um certo dia, a mãe vai embora, deixando para o filho mais velho, Akira, de 12 anos, um bilhete e um pouco de dinheiro. Começa então o duro processo de amadurecimento precoce de Akira.
Drama / Japão / Direção: Hirokazu Kore-eda

Sinopses: AdoroCinema

Melhores Séries e Programas de TV

No ano passado, eu oficialmente substituí as séries americanas por dramas e programas de variedades coreanos. Honestamente, são muito melhores. Com exceção de The 100, que me desapontou em todos os sentidos com aquela temporada final de merda, eu não acompanhei nenhuma série em inglês em 2020. Eu virei a chave para a cultura asiática e acredito que foi um caminho sem volta.

It's Okay To Not Be Okay foi a melhor série que eu assisti no ano, sem sombras de dúvidas. Um elenco maravilhoso (Kim Soo-hyun, Seo Yea‑ji e tantos outros) e uma história diferente de qualquer coisa que eu já tinha assistido antes, sem mencionar a belíssima fotografia de cada cena, de tirar o fôlego. Outra série que também me comoveu bastante foi Was Is Love?, uma história regada de drama e desentendimentos, daquelas de te deixar com frio na barriga. Ambas coreanas e estão na Netflix.

1. It’s Okay To Not Be Okay (2020)
2. Master In The House (2017)
3. Was It Love? (2020)
4. Twogether (2020)
5. The Return of Superman (2013)

Por causa de Twogether, um programa de viagens da Netflix estrelado pelos atores Lee Seung-gi (Coréia) e Jasper Liu (Taiwan), um outro leque se abriu para mim: programas de variedades coreanos. Pesquisando sobre o Jasper Liu na internet depois, pois que guri mais amado, eu descobri The Return of Superman, um programa que mostra pais celebridades cuidando dos filhos sem a presença da mãe por 48h. É viciante! E, por último, alguém respondeu um tuíte meu falando do Lee Seung-gi e me indicou o programa Master In The House, e daí foi ladeira a baixo para mim.

A proposta de Master In The House é que quatro jovens personalidades (Lee Seung-gi, Yang Se-hyung, Yook Sung-jae e Lee Sang-yoon) vão até a casa de uma celebridade consagrada na Coréia do Sul e viva com ela por dois dias, seguindo todos os seus hábitos e sua agenda de compromissos. Mas veja bem, o negócio é hilário. Eu choro de rir assistindo e cada vez mais morro de amores pelo Seung-gi. Ai, ai.

Melhores Livros

O meu Desafio de Leitura do GoodReads de 2020 não foi completado de novo, porque eu só li 6 livros dos 20 que me propus ler. Por conta disso, vou falar brevemente do meu top 3. Depois de mais de 700 páginas, eu finalmente cheguei ao final de “Midnight Sun”, a primeira parte do romance entre Bella Swan e Edward Cullen, contada pela visão do vampiro. Honestamente, muito melhor do que o livro original.

Segundo na lista, eu gostei bastante também da história de “Fangirl”, um livro de 2013 da Rainbow Rowell, que tem uma leitura bem leve e divertida, ótimo para devorar em um final de semana de chuva. Por último, um livro didático sobre branding, fácil de ler e que resume de forma simples os passos mais importantes sobre gestão de marca e marketing. Li em menos de 1h e achei bem relevante. Ótima leitura!

1. “Midnight Sun”, da Stephenie Meyer (2020)
2. “Fangirl”, da Rainbow Rowell (2013)
3. “The Only Book You Will Ever Need On Branding”, do Michiel Maandag e Liisa Puolakka (2016)

Eu já atualizei o meu Desafio de Leitura de 2021 no GoodReads com a meta de 20 livros novamente, mas espero que este ano eu consiga completar. Deseje-me sorte e mande sugestões de livros.

Artistas Favoritos

Correndo o risco de ser repetitiva, vou falar um pouquinho também dos meus artistas favoritos do ano, apesar de que já falei bastante de alguns deles neste post. Sorry, not sorry.

1. Lee Seung-gi

Impossível não eleger o Lee Seung-gi como meu artista favorito em 2020, porque eu só falei dele o ano inteiro. Conheci ele no ano passado, depois de assistir a série VAGABOND na Netflix, e passei horas vendo vídeos dele no YouTube, porque achei ele muito bom. Este ano, depois de assistir mais várias séries com ele, eu me apaixonei pelo jeito brincalhão dele. Ele é extremamente talentoso em tudo o que faz, muito dedicado ao trabalho e tem a cabeça no lugar certo. Meu número 1.

2. Lee Jong-suk

Seguindo a mesma linha de atores coreanos cheios de talento, preciso colocar o Lee Jong-suk nesta lista. Desde o ano passado, ele se tornou o meu ator coreano favorito e eu estou saboreando todas as séries e filmes em que ele já atuou aos pouquinhos. Recentemente, ele foi dispensado do serviço militar depois de quase 2 anos afastado das telinhas e agora vai retornar para a sua rotina de estrela. Estou ansiosa para o anúncio da próxima série que ele fará parte. Devo comentar que ele é lindo de morrer? Não preciso, né?

3. Kenshi Yonezu

Apesar de fugir da mídia a todo custo, 2020 foi um ano bem tumultuado para o Kenshi Yonezu, por conta do lançamento do álbum STRAY SHEEP, que teve uma repercussão enorme na Ásia. Como boa fã que eu sou, eu leio tudo o que eu acho online sobre ele e distribuo elogios por todas as redes sociais. Desde 2019, o Kenshi é o meu músico favorito e não acho que alguém vai superar este status tão cedo. Gênio musical, um oddball, criativo e talentoso até dizer chega.

4. Shownu (MONSTA X)

Aos 45 do segundo tempo, eu descobri a existência do grupo MONSTA X e do fofíssimo Shownu, líder do grupo. Para mim, acima da beleza, o que me chamou a atenção para ele foi o jeito que ele dança. Eu fiquei horas assistindo vídeos das coreografias do grupo no YouTube nas últimas semanas do ano e eu gamei no estilo e na técnica corporal dele. Depois eu descobri mais sobre a personalidade dele, mas daí o estrago já tinha sido feito. Ele tem um coração enorme, fala de um jeito calmo e delicado, sorri com os olhos e tem uma carinha de bichinho de pelúcia, mas quando eu lembro do Shownu, a primeira coisa que eu penso é “he kills on the dance floor”. Hahaha! Amo demais.

5. Ko Ji-yong & Ko Seung-jae

Por causa desse vídeo do Jasper Liu com o Seung-jae, eu comecei a assistir The Return of Superman. Em consequência, eu me apaixonei pela relação de pai e filho do Ji-yong (um ex-membro do grupo de k-pop da década de 90, chamado Sechs Kies) e Seung-jae. Eu passei horas e horas assistindo vídeos dos dois no YouTube. O Seung-jae, hoje com 6 anos, é inteligentíssimo e uma figurinha. Se você começa a assistir os vídeos deles, não consegue mais parar. É um loop sem fim. Muito amor!

Em resumo, este foi o meu 2020 e o povo que eu paguei pau e tirei o chapéu durante essa confusão toda de pandemia e quarentena. Estou ansiosa para o que está por vir este ano, principalmente os shows, séries e filmes. Considerando que passei 90% do ano trancada dentro do meu apartamento, meu ano foi até bem interessante. Cheio de Lee Seung-gis, Kenshi Yonezus, músicas e séries.

E o de vocês? O que teve de bom? Me contem tudo nos comentários.

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *