php echo do_shortcode('[contact-form-7 id="19674" title="newsletter-signup"]');
-->
11 de maio de 2020

Leituras para a Quarentena

Tempo de Leitura: 7 min

No ano passado, eu assisti 315 filmes e li apenas 3 livros, sendo que um deles era um manga. Quando essa situação do COVID-19 começou a ficar mais séria, eu decidi que deveria retomar as leituras e não ficar só grudada na frente da telinha assistindo séries japonesas e coreanas. Então, eu fui até a minha prateleira e escolhi alguns títulos para devorar durante esta quarentena — e aproveitar para me inspirar (e me distrair) com histórias que não envolvam isolamento social, vírus maligno e mortes.

Em questão de dois minutos, eu puxei sete livros da prateleira e os empilhei em cima da minha cômoda. A ideia é tentar equilibrar o dia com doses de escrita no blog, atualização do portfolio, livros, séries e filmes e tentar ser mais produtiva durante este período de calamidade. Já que temos que ficar trancados dentro de casa, o mínimo é tentar aproveitar este momento para fazer coisas que nos fazem bem e tentar esquecer, por alguns momentos, o pepino que o mundo inteiro está enfrentando.

As minhas escolhas foram...

"I Owe You One", da Sophie Kinsella

A Sophie Kinsella é a minha autora favorita, ponto. Eu gosto muito dela porque, além de ela escrever o tipo de histórias que eu mais gosto — romances que te fazem sentir borboletas no estômago — a escrita dela é leve e divertida. Ela não é o tipo de autora que tenta enfeitar a história com palavras difíceis e frases longas e complicadas. É preto no branco; ela descreve o que precisa ser descrito, com fluidez e sem enrolação. “I Owe You One”, traduzido para português como “Te Devo Uma”, foi lançado no ano passado e já estava no topo da minha lista de leituras. Inclusive, eu já devorei o livro inteiro semana passada.

Sinopse: Fixie Farr não consegue deixar nada pra lá. Ela sente necessidade de arrumar tudo. Tudo! Então, quando um estranho em um café lhe pede que fique de olho em seu laptop por um instante, ela não só se compromete a tomar conta do computador como acaba salvando-o de um grande desastre. Sebastian, muito tocado com o gesto de Fixie, entrega a ela um protetor de copo com a mensagem “te devo uma”. Fixie acha a atitude muito fofa, mas duvida que voltará a vê-lo. Até o dia em que um antigo crush da época da escola volta para sua vida e Fixie precisa ajudá-lo. Ela então recorre a Seb, mas as coisas não dão muito certo. Agora é ela quem fica lhe devendo um enorme favor, e isso gera uma troca de favores infinita que obriga Fixie a enfrentar um passado cheio de mágoas para abraçar o futuro que ela de fato merece.


"Um Caminho para a Liberdade", da Jojo Moyes

Diferente da Sophie, o estilo de escrita da Jojo Moyes é mais requintado e ela gosta bastante de dar vida a romances históricos — algo que não, necessariamente, me agrada muito. Mas eu adoro as tramas que ela cria, fazendo conexões inesperadas, e gostei de todos os livros dela que já li até hoje. Este foi um presente de Natal da minha tia e é o livro que eu estou lendo agora.

Sinopse: Em uma época em que não seguir os costumes e a religião era uma transgressão gravíssima, o caminho de um grupo de mulheres se cruza de maneira inesperada. A década de 1930 está chegando ao fim, e, em uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos, a ideia de que as moças administrem uma biblioteca itinerante desafia o cenário que vivem. Com o compromisso de levar livros para os moradores mais pobres da região, Margery, Alice, Beth, Sophia e Izzy aceitam trabalhar na biblioteca. E à medida que enfrentam inúmeras dificuldades, elas fortalecem o laço que as une e descobrem mais sobre si mesmas. Em pouco tempo, toda a cidade se volta contra o grupo, colocando em risco a sobrevivência do projeto. E as mulheres vão se perguntar mais uma vez se o poder das palavras será suficiente para salvá-las.


"Little Fires Everywhere", da Celeste Ng

No início do ano retrasado, eu ouvi e li muitas coisas boas sobre este livro da Celeste Ng. Depois de ter ganhado o prêmio de Melhor Ficção do Ano, em 2017, pelo GoodReads, eu adicionei o título a minha lista de leituras. No ano passado, durante o meu estágio na Penguin Random House, eu consegui garantir uma cópia do livro para a minha estante — eu fiquei ainda mais animada quando soube que o livro viraria uma série, lançada pela Hulu recentemente. Então, eu preciso ler o livro logo, para depois poder assistir os oito episódios com Reese Witherspoon e Joshua Jackson na minha telinha.

Sinopse: Em Shaker Heights, tudo é estritamente planejado: desde a localização das escolas à cor usada na pintura das casas. E ninguém se identifica mais com esse espírito organizado do que Elena Richardson. Mia Warren, uma artista solteira e enigmática, chega nessa bolha idílica com a filha adolescente e aluga uma casa que pertence aos Richardson. Em pouco tempo, elas se tornam mais do que meras inquilinas: todos os quatro filhos da família Richardson se encantam com as novas moradoras da cidade. Porém, Mia carrega um passado misterioso e um desprezo pelo status quo que ameaça desestruturar até mesmo uma comunidade tão cuidadosamente ordenada.


"All We Ever Wanted", da Emily Giffin

Outra autora amada do meu coração, os livros da Emily Giffin mexem com meu coraçãozinho romântico. Não importa qual seja o enredo da história, eu leio todos os livros da autora. Sem exceção. Com certeza, ela é uma inspiração na minha vida e ter a conhecido pessoalmente foi um dos momentos mais especiais da minha vida. Estou animada para ler mais uma obra dela! :heart:

Sinopse: Casada com um membro da elite de Nashville, Nina Browning leva a vida que sempre sonhou. Recentemente, o marido ganhou uma fortuna vendendo seu negócio de tecnologia e o filho adorado foi aceito em Princeton. No entanto, às vezes Nina se pergunta se ela se afastou dos valores com que foi criada em sua pequena cidade natal. Tom Volpe é um pai separado que se divide entre vários empregos para criar a filha, Lyla. Ele finalmente começa a relaxar depois que a menina ganha uma bolsa de estudos na escola de maior prestígio de Nashville. Filha de uma brasileira e de origem menos abastada, Lyla nem sempre se encaixa em meio a tanta riqueza e privilégios, mas, na maioria das vezes, é uma adolescente típica e feliz. Então uma fotografia, tirada em um momento de embriaguez em uma festa, muda tudo. À medida que a imagem se espalha, as opiniões da comunidade se dividem. No centro das mentiras e do escândalo, Tom, Nina e Lyla são forçados a questionar seus relacionamentos mais íntimos, percebendo que tudo que sempre quiseram talvez não fosse tão perfeito assim.

"The Break", da Marian Keyes

Outra autora queridinha minha, que eu também tive a oportunidade de conhecer pessoalmente aqui em Toronto, é a fofa da Marian Keyes. Este livro, inclusive, está autografado por ela. Já li inúmeros títulos da Marian e adoro o jeito cômico de escrita que ela sempre adota para contar as histórias. Este promete ser bom, de acordo com os comentários que recordo do bate-papo que tivemos com ela em 2017.

Sinopse: Amy e Hugh vivem o “casamento perfeito”, e apesar de o dinheiro ser curto e o estresse ser alto, suas vidas seguem uma rotina confortável. Até que a morte do pai e de um grande amigo desencadeia em Hugh uma intensa crise durante a qual ele decide que precisa dar um tempo de tudo, sobretudo da vida a dois, e parte rumo ao sudeste asiático, por onde viajará por seis meses. Incapaz de fazer o marido mudar de ideia, Amy sabe que muita coisa pode mudar nesses seis meses. Quando Hugh voltar — se ele voltar — será ainda o mesmo homem com quem se casou? E será ela a mesma mulher? Afinal, se ele está dando um tempo do casamento, ela também está, não é?


"Fangirl", da Rainbow Rowell

A Rainbow Rowell é uma autora que eu descobri poucos anos atrás e já adicionei à minha lista de autoras queridinhas, porque a escrita dela é muito gostosa e fácil de ler. Este foi um presente da Mari e, apesar de ser mais Young Adult e coming of age, deve ser uma leitura divertida e bem rápida.

Sinopse: Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida — e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenada aos fóruns; escreve uma fanfic de sucesso; e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme. Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath não consegue se desapegar. Agora que as duas estão indo para a faculdade, Wren diz que não a quer como companheira de quarto, e Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto. Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências. Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?


"Turtles All The Way Down", do John Green

Junto com o Nicholas Sparks, o John Green é provavelmente um dos autores do sexo masculino que eu mais gosto. Eu tenho vários livros dele comprados e, apesar de ainda não ter lido todos, eu curti bastante ”A Culpa É das Estrelas”, que me fez chorar litros. Ele também se encaixa na categoria Young Adult, mas escreve histórias com uma pitada de drama, o que me agrada bastante. É tipo, leve, mas nem tanto.

Sinopse: A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido, enquanto lida com o seu transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor, “Tartarugas Até Lá Embaixo” tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e peculiares répteis neozelandeses.


A minha meta para o ano de 2020 é ler, no mínimo, 20 livros. Acho que se eu conseguir ler estes sete livros até o final da quarentena (sabe-se lá quando isso será!), eu já vou ter adiantado bastante a minha leitura do ano. Eu ainda não decidi quais livros vou ler em seguida, então estou aceitando recomendações de livros leves e gostosos de ler. Tem alguma? Me conta tudo nos comentários!

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta para Camila Faria Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 comentários em "Leituras para a Quarentena"
  • Ah, queria estar lendo BEM mais nessa quarentena, viu? Amei a sua listinha, só livros leves e com cara de serem muito gostosos de ler. Eu gostei muito de Little Fires Everywhere, estou animada para assistir a série agora. Beijo, beijo :*

    • Oi, Camila. Eu também queria ter lido mais livros este ano, mas nunca é tarde para começar, né? Já terminei de ler dois da minha listinha e agora estou lendo "Little Fires Everywhere". Também estou animada para assistir a série, na sequência. Beijos e uma ótima semana para você! ;)

  • Eu já li alguns livros do post, e Fangirl é com certeza um dos meus favoritos. Eu li faz alguns anos e a história me envolveu demais, tanto que o fandom que a Rainbow Rowell ganhou foi imenso. Também adoro o spin off que foi lançado! Indico demais <3

    • Oi, Ana Beatriz. Li o seu comentário na semana passada e fiquei com vontade de pausar o livro que eu estava lendo para ler "Fangirl" — devorei em três dias e adorei. Realmente a história acaba te envolvendo, por ser leve e divertida, e você é obrigada a ler capítulo após capítulo, sem parar. Adorei de verdade! Eu já tinha adicionado os outros livros da autora na minha lista, então em algum momento provavelmente lerei o spin off também. Beijinhos para você! <3

  • Ei,
    Como está?
    Não terminei nenhum livro ainda na quarentena. Vi muito seriado ( to participando de um blog onde tenho uma coluna com review/dicas de séries agora, sabia?) e tenho prova de um concurso em julho :(

    Estou lendo "Cronicas de Olam" é uma trilogia e to gostando bastante.

    Beijos e se cuida

    • Oi, Sandro. Eu já consegui terminar dois livros este ano e estou animada para continuar devorando os títulos da minha listinha... Espero continuar o ano no mesmo ritmo e ler mais livros até dezembro. Estou tentando retomar o blog também, que ficou largado por praticamente três anos desde que eu vim para o Canadá. Ainda assim, continuo assistindo bastante séries. Esse vício eu não consigo largar! Hahaha! Boa sorte no seu concurso, espero que você consiga um bom resultado! Vou dar uma olhada no livro que você comentou, obrigada pela indicação! Beijocas! =*