php echo do_shortcode('[contact-form-7 id="19674" title="newsletter-signup"]');
-->
24 de julho de 2020

In Memoriam: O sorriso do Haruma Miura

Tempo de Leitura: 4 min

Dezoito de julho de 2020 será sempre guardado com um gostinho bem amargo para mim: o dia em que o Haruma Miura foi embora deste mundo. Se você acompanha ou conhece um pouquinho sobre dramas e filmes japoneses, certamente sabe de quem eu estou falando. O dono de um dos sorrisos mais cativantes do Japão. Um dos atores japoneses mais queridos desta geração. E um dos mais lindos também. O meu coração ainda dói bastante ao lembrar. :crying:

Eu não consigo imaginar o que pode ter levado o Haruma a decidir tirar a sua própria vida, mas eu espero que, onde quer que ele esteja, agora ele esteja em paz. Eu não tenho palavras para explicar o que eu senti quando descobri que ele tinha morrido, assim, de uma hora para a outra. Eu chorei muito nos últimos dias, porque suicídio é um tema bem polêmico para mim — porém, eu não falarei sobre isso neste post — e eu ainda derramo lágrimas toda vez que me lembro do ocorrido. Um aperto no peito, um desespero, uma dor sem tamanho. Não, muito mais do que isso.

Naquele dia, era para ele ter ido ao estúdio gravar cenas para um dos drama em que é protagonista, mas ele não apareceu. Quando ele também não atendeu várias ligações, o seu gerente foi até a casa dele para saber o que tinha acontecido com ele e o encontrou lá, já sem vida, no início da tarde do sábado passado. Ele já tinha ido para longe, bem longe. Nota: ele se enforcou dentro do seu próprio closet.

“Por que você decidiu ir embora, Haruma? Por que desistiu de viver? Por quê? Por quê?” É o que eu me pergunto a todo momento.

Eu li uma notícia na internet que dizia que o Yu Shirota, um dos amigos mais próximos do Haruma, passou horas chorando nos bastidores do estúdio onde estava aguardando para cantar uma versão do hit “Kiseki”, do grupo GReeeeN, para um especial de televisão. Durante o vídeo, postado no Twitter pela emissora, ele chora e leva a mão ao rosto, em tom de tristeza e incredulidade sobre a morte do amigo. Até agora eu não entendo como ele conseguiu cantar a música até o final, sem engasgar ou desafinar. Este foi o gatilho para eu começar a chorar também naquele sábado... Comecei e não parei mais.

Enfim, eu ando bem triste. Foi uma semana difícil para mim. Eu nunca achei que fosse sentir tanto a morte de um ator que eu conheço há pouco mais de um ano, mas essa notícia me derrubou de uma forma que nem mesmo eu entendo.

Na semana antes do seu suicídio, ele anunciou o lançamento do seu segundo single nas redes sociais. O clipe da música foi lançado hoje, infelizmente, de modo póstumo. Eu não sou muito chegada em música pop dançante, mas esse clipe foi um tapa na minha cara. Uma estética tão linda, as cores, a água, os pés descalços... E o Haruma dançando daquele jeito — o movimento das mãos e dos braços, principalmente. Não sei nem o que dizer.

Ontem eu chorei bastante de novo, lembrando dele e vendo algumas fotos dele no Twitter e no Instagram. Eu acredito que essa dor vai ficar comigo por um bom tempo ainda; e tem sido bem estranho viver e sentir isso em meio a essa pandemia louca, que também torna tudo mais complicado e difícil.

Para mim, por enquanto, o trabalho mais marcante dele foi “Koizora” (2007), um filme para assistir com uma caixa de lenços do lado. Ainda mais agora. Outro filme que eu também gostei bastante com ele foi “Kimi no Todoke” (2010) — ambos são romances adolescentes. Talvez o papel mais conhecido dele tenha sido como Eren Jaegar na franquia dos filmes “Ataque dos Titãs”, por serem adaptações live-action do manga e anime de mesmo nome. Além de, claro, outros inúmeros filmes e dramas.

Tão jovem, tão talentoso. Eu vi vários posts (de famosos e pessoas aleatórias) com palavras de carinho para ele nesses dias passados. Eu espero que agora ele saiba o quanto foi amado, o quanto ele era querido por tanta gente — não só do Japão, mas do mundo inteiro. E nós aqui precisamos aprender uma forma de viver sem que doa tanto lembrar da partida dele. Ele foi muito cedo, cedo demais. Tão cedo que o meu coração chora lágrimas de sangue por esta injustiça.

Eu, provavelmente, nunca vou esquecer daquele sorriso. Um sorriso que vinha acompanhado de um moço tão doce, cheio de brilho nos olhos, e que tinha uma risada tão gostosa de ouvir... É, o mundo perdeu mais uma estrela, mas eu espero que ele esteja brilhando lá no céu agora.

Descansa em paz, Haruma.

♫ Ouvindo: DISH// - 猫 (THE FIRST TAKE)

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 comentário em "In Memoriam: O sorriso do Haruma Miura"
  • Olá,
    Eu li a noticia semana passada, vi que postou no twitter também.
    Muito triste, realmente.
    Eu já perdi alguns cantores que eu gostava pra caramba e sei como é :(

    Beijos e se cuida