17 de outubro de 2012

Sobre sonhos bizarros…

Meodeus! Eu acho que eu nunca tive tanto sonho bizarro na vida… Mas desde o ano passado para cá, isso se tornou algo corriqueiro na minha vida. Nunca gostei muito da noite, porque o escuro a torna triste e eu acho um desperdício a perdermos quase inteira deitados numa cama, então não sou absolutamente fã de dormir. Apesar de adorar ter sonhos e acordar feliz ao me lembrar deles, ultimamente não é o que anda acontecendo comigo, então — mais do que nunca — eu sou a favor do botão “não quero precisar dormir”.

O fato é que eu ando batendo recordes de ter sonhos bizarros. Sonho com tudo o que vocês podem imaginar — e também com coisas completamente inusitadas, que ninguém poderia sequer cogitar. Não me importaria se estes sonhos fossem apenas confusos e estranhos, mas não, eu ando tendo muito pesadelo também. Sonho com pessoas me perseguindo, querendo me matar; com assaltos e roubos na minha casa (e eu tendo que me esconder para não acabar sendo atingida por uma bala, levar uma facada ou coisa do tipo); com guerras, onde eu preciso lutar pela minha vida; e por aí vai. No início, achei que fosse apenas resultado de um dia estressante e do simples cansaço, mas então o extravagante virou rotineiro e agora eu não vejo mais graça alguma em sonhar com coisas que não envolvam minhas besteirinhas sentimentais.

Dormir, desde então, tem sido uma loteria. Eu nunca sei se vou ter sonhos com monstros e sangue (acreditem, eu sonho muito com isso!) ou um passeio de mãos dadas com o meu príncipe encantado. Acho bom que eu não estou mais impressionada pela frequência com que esses sonhos ruins acontecem, então acabo não acordando mais tão chocada ou assustada. O problema é que sempre que tenho pesadelos, eu não consigo dormir direito a noite inteira e acabo acordando super cansada. E isso tem acontecido bastante.

Conforme esta matéria, a psicanalista do International Psychoanalytical Association (IPA), Thereza Ribeiro, afirma que os sonhos refletem experiências importantes vividas durante o dia e que, ao dormir, estes aprendizados são armazenados em nosso córtex cerebral, de acordo com os estímulos sensoriais. Segunda ela, “os pesadelos nos preparam para enfrentarmos os obstáculos muito estressantes do cotidiano. Se você morre de medo de cachorros e tem sonhos frequentes de que está sendo atacada por eles, é sinal de que tenta enfrentar o medo. O mesmo vale para algumas tragédias da vida. Sonhamos com elas constantemente a fim de aceitar melhor o que aconteceu.”

Sempre tive curiosidade para entender o que cada tipo de sonho significa e, portanto, fui procurar nas internétz algumas explicações para o que eu ando sonhando. Eis o que encontrei…

Sonhar com perseguição
Indica que alguém a ama em segredo — ou a odeia. Além disso, sonhar que você é a caça, denota que você está procurando ou está em busca de cumprir alguns desejos internos, seja físico ou emocional.

Sonhar com roubos e assaltos
Indica prejuízos e atraso nos negócios. No entanto, ver um assalto acontecer em seus sonhos simboliza que você poderá resolver os seus problemas financeiros.

Sonhar com monstros
Estes sonhos sempre tem relação com temores, ansiedade, traumas e indica aborrecimentos.

Sonhar com guerra
Sinal de discussões e crises familiares.

Sonhar que está lutando
Simboliza sua luta com um problema em sua vida pessoal ou profissional. Você está lidando com ideias e hábitos com os quais tem pouca afinidade e após alguns percalços estarão sob controle.

Sonhar que está caindo
O adulto quando sonha que está caindo está abandonando velhos padrões, mas deve tomar cuidado com decisões rápidas. Deve pensar bem antes de tomar uma decisão.

Confuso, néam? Pois é. Meus últimos meses se resumem a isso: pesadelo atrás de pesadelo e sonhos malucos. Em algumas noites, quando tenho pesadelos bem fortes (com perseguições e mortes), eu me reviro a noite inteira na cama e às vezes até acordo suada, de tão apreensiva que eu fico durante o sonho — e a anta não atina de acordar para encerrar o maldito pesadelo de vez!

Fora os pesadelos, tenho os sonhos repetidos. E não digo sonhos parecidos ou que me lembram outro que tive tempos atrás, digo sonhos iguais no começo, meio e fim. Além disso, a maioria dos meus sonhos são emendados, ou seja, começo a sonhar uma coisa e vou pulando de sonho em sonho, terminando com algo completamente diferente. Geralmente são cenários que vão mudando conforme eu vou caminhando por algum lugar e os acontecimentos passam a ser relacionados a este novo ambiente. Não chega a ser uma coisa desconexa e completamente sem propósito, mas são inúmeros episódios estranhos numa mesma noite. E eu geralmente me lembro de todos eles. Às vezes eu acordo achando engraçado, outras vezes é simplesmente bizarro.

De algumas semanas pra cá, os pesadelos pararam um pouco. Acho que estar com a cabeça muito sobrecarregada ajuda você a não relaxar durante o sono e coisas assim acabam acontecendo… Me sinto melhor agora, no geral, e acho que isso amenizou um pouco os pensamentos negativos e as noites de tensão e mal dormidas. Graças a Deus!

O mais irônico de tudo isso é que praticamente todos os dias minha mãe me deseja “boa noite” e diz para que eu sonhe com os anjinhos (tradição que provavelmente vou passar para os meus filhos também!), mas mesmo assim minhas noites são regadas a muita coisa obscura e questionável. Mas oká! Deve ser fase… Em breve, tenho certeza de que meus sonhos coloridos e engraçados devem voltar à tona e minhas noites serão mais — bem mais, muito mais — agradáveis. Assim espero.

Fontes: aqui e aqui.

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 comentários em "Sobre sonhos bizarros…"
  • Eita Fê! Quanta coisa pra pensar hein? Não sei você, mas passo o dia remoendo os sonhos que tive. E assim como você relata, sempre fiz a relação de “dias estressantes = sonhos ruins”.

    Os que mais me incomodam, são os sonhos onde há a morte da minha mãe ou minha irmã gêmea. Acordo com nó na garganta e levanto pra conferir se elas estão bem acredita?

    Uma idéia comum aqui em casa, é que quando temos pesadelos é por que não rezamos direitinho antes de dormir. Não por que Deus ou algo assim venha nos castigar nos sonhos, mas a oração sempre foi um momento de “retiro mental”, de meditação do dia e relaxamento.

    E fato, quando rezo direitinho, não tenho pesadelos. Isso funciona pra você?

    Beijosss

  • Tenho pesadelos quase todas as noites desde pequenininha. Sempre fui assim. Não são apenas pesadelos, mas, sonhos sinistros também. E realmente, são manifestações do subconsciente.
    Até escrevi sobre isso lá no blog (caso queira ler, está em Março ou Fevereiro desse ano, com o nome de Sobre sonhos e Pesadelos) e tenho sonhos repetidos também, seguidamente.
    Até acostumei, mas, que é irônico, é.

    beijos!

  • Não sou muito de acreditar em “significados de sonhos”, mas às vezes a “explicação” é tão boa que a gente, ou pelo menos eu, acaba querendo acreditar!

    Eu acredito que os nossos sonhos estão ligados aos nossos maiores desejos e medos, mas o que prevalece é sempre os anseios mesmos.

    Ultimamente eu venho chegando em casa tão cansado que a única ciosa que quero é jantar e dormir. Isso acaba refletindo nos sonhos! Pois é! Faz um tempinho que eu lembre de algum sonho, mas talvez seja até melhor…

    Eu já escrevi uma vez sobre sonhos e percebi que até mesmo ao escrever coisas sobre o assunto a gente fica meio que perdido por se tratar de algo vago, impreciso.

    Bons sonhos, Fê! Durma com os anjinhos (dizendo eu que estou imitando a tua mãe. Hahahaha!)

    Bjs!

  • Faz muito tempo que não tenho pesadelos, mas quando tenho sou dessas que faz o namorado acordar assustado, porque eu normalmente começo a choramingar e me mexer loucamente antes de despertar.

    Ultimamente só tenho aqueles sonhos bizarros de sair na rua sem roupa mesmo. XD

    Espero que essa sua fase passe logo. :(

  • Quando eu fiz tratamento com a minha psicóloga, ela utilizou a leitura dos sonhos. Todos os dias, ao acordar, tinha que descrever o meu sonho. Fazia isso durante uma semana. Na sessão seguinte, ela olhava o meu caderninho e me analisava. Dependendo do que ela lesse, começávamos uma conversa…

    É bem interessante isso!

    Beijinhos