4 de fevereiro de 2016

Primeiro show do ano: The Story So Far em Porto Alegre

Dia primeiro de fevereiro foi o dia de iniciar o circuito de shows de 2016… O artista que me deu este privilégio foi o The Story So Far, uma banda californiana de pop punk formada em 2007 e composta por Parker Cannon (vocal), Kelen Capener (baixo), Kevin Geyer (guitarra), William Levy (guitarra) e Ryan Torf (bateria). Eu conheci a banda em 2014, por indicação de um ex-colega de trabalho, e curti muito o som dos caras. Quando fiquei sabendo da turnê no Brasil e que eles fariam show em Porto Alegre, comprei o ingresso na hora… Melhor decisão ever!

The Story So Far Brasil Tour 2016

O show aconteceu no bar Anexo B, em Porto Alegre. Antes de eles entrarem no palco, tivemos a abertura do show com duas bandas nacionais. A primeira foi a banda paulista Dinamite Club, em ação no cenário musical desde 2010. Por azar, o vocalista estava doente e quase sem voz, o que dificultou na compreensão do que estava sendo cantado. Parecia que o som estava baixo e bem abafado, mas depois ele nos explicou que era apenas a voz dele que não estava saindo mesmo… O segundo show de abertura ficou com a banda de hardcore mineira Montese, criada em 2011. Eles começaram seu setlist com uma música instrumental de ritmo calmo e depois botaram tudo para quebrar com um hardcore mais pesado e embalado… Eu não conhecia a banda, mas gostei muito do trabalho dos mineirinhos. Kudos!

Montese
A banda mineira Montese foi uma das bandas a abrir o show do The Story So Far…

Perto das 22h, o The Story So Far entrou no palco… Antes de começarem a tocar, os caras ainda fizeram os últimos ajustes nos instrumentos e verificaram se estava tudo certo com o som… E a galera gritando e tentando falar com eles… Foi massa! Como o lugar era bem pequeno, eu fiquei bem na frente do palco, na escadinha que dava acesso para o pessoal subir e se atirar do palco… Eu levei vááários pisões e cotoveladas (oi, normal, né?), mas tudo isso era compensado pelo fato que eu estava a menos de 1m de distância dos caras ali, tocando. Quem é fã de música e curte algum artista em especial, sabe que isso não tem preço.

The Story So Far em Porto Alegre
Finalmente, o The Story So Far entrou no palco para iniciar o show…

Poucas semanas antes de um show, eu geralmente faço um aquece e escuto o setlist inteiro do show por dias seguidos, para estar afiada para cantar todas as músicas… Pela primeira vez na vida, eu não fiz isso. Eu tenho apenas um dos álbuns do The Story So Far baixado e conhecia de verdade só duas músicas: “Placeholder” e “Quicksand”. No entanto, o álbum é realmente bom e eu não me importei de apenas aproveitar o momento, sem nem saber o nome das músicas e as letras. Peguei o ingresso, a chave do carro e fui.

Como resultado, eu só reconheci uma música no show inteiro… Obviamente, era “Quicksand”, o single mais famosinho da banda, que todo mundo ficava pedindo no intervalo entre as músicas. Fiquei um pouco chateada que eles não tocaram “Placeholder”, que é beeem especial para mim, mas não fiquei me lamentando muito… O show estava perfeito. Eu grudada no palco, vendo cada detalhe do show de camarote e apenas curtindo o som. Foi épico!

Confesso que fiquei meio encantada pelo vocalista da banda, que tem uma carinha fofa demais, mas principalmente pela voz dele, que é igualzinha à voz do álbum… O moçoilo se chama Parker Cannon e tem apenas 23 aninhos… What’s the deal with eu sempre gostar de caras mais novos? Gezuis, me socorre! Enfim, ele tem o tipo de voz que eu gosto de ouvir, daquelas viciantes e que soam bem nos ouvidos. Para completar, ele tem um sorriso lindo, é alto e slim, característica que sempre me chama muito a atenção em homens. :wink:

Parker Cannon à parte, a banda estava de parabéns.. Sonzaço gostoso, bom para gritar, pular e dançar. Bom, dançar daquele jeito meio esquisito, pelo menos. Saí de lá com os ouvidos zunindo, mas valeu cada centavo e cada segundo… Os meninos foram simpáticos, conversaram de boa com a galera depois do show e pareceram ser bem humildes, agradecendo o tempo inteiro pelo apoio e pela presença de todo mundo. Fiquei um pouquinho ainda mais fã.

The Story So Far em Porto Alegre
Parker Cannon e suas lindas canelinhas finas — e tatuadas.
The Story So Far em Porto Alegre
O guitarrista William Levy e sua camiseta havaiana… Hahaha!
The Story So Far em Porto Alegre
Parker Cannon arrumando o fio do microfone… Eu acho.
The Story So Far em Porto Alegre
Mais uma do Parker Cannon, sorry… <3

Já quero saber quando será o próximo show… Apesar de ser muito legal ir em shows de bandas consagradas e grandes espetáculos de música, essas apresentações undergrounds de bandas meio lado B, em um barzinho velho para 200 pessoas, tem o seu valor… Me lembrei da época em que o meu irmão tinha banda e senti saudades de acompanhar o cenário de hardcore com mais empenho… Mas tenho certeza que o The Story So Far agora deu uma reascendida nessa chama, que eu pretendo manter acesa daqui pra frente.

Ótimo show para iniciar os trabalhos do ano… O próximo? Maroon 5. Estou ansiosa.

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 comentários em "Primeiro show do ano: The Story So Far em Porto Alegre"
  • Ficar no gargarejo, não tem preço <3 Eu queria ir no show do Maroon 5, em SP vai ser perto de onde eu morava, #mimimi

    • sim, vy, estava demais! você não conseguiu comprar ingressos para o maroon? poxa, que sacanagem! eu queria ter comprado pista vip, mas quando consegui entrar no site, já não tinha mais… estou ansiosa com a abertura do show deles, que será feita pelo dashboard confessional! contagem regressiva agora! falta pouquinho… uhuuu!
      beijo =***

  • É tão bom quando a gente fica perto do palco. Tem shows que eu não me importo de ficar lá na frente sofrendo com pisões e cotoveladas. Não conheço essa banda porque não é o estilo de música que eu curto.
    Assim como você, eu também só me interesso por caras mais novos. Ow vida!
    E gente, Maroon 5 tá bem aí e eu não sei o que fazer. Comprei o ingresso pro show em Fortaleza, mas agora tô trabalhando e não sei como vou fazer pra ir T______T
    ;*

    • oi rê! sim, é bem isso! quando a gente gosta mesmo, não se importa com os pisões e cotoveladas… teve um show do cpm 22 que eu passei um sufoco. nossa, achei que fosse morrer! mas valeu a pena… enfim! esse negócio de só caras mais novos (com carinha de gurizinho) chamarem nossa atenção é uma merda, porque geralmente eles não estão no mesmo “momento” que nós, néam? e daí o negócio fica só no platônico, sempre. é bem triste! sobre o show do maroon 5, será que você não consegue fazer umas horinhas extras e pedir uma folguinha no dia do show? sempre tem como dar um jeitinho! espero que tu consiga ir… ;)
      beijoooo

  • Assistir a shows de bandas que a gente gosta é tudo bom, não é mesmo?
    A melhor sensação do mundo é a de ficar pertinho do palco. Já fiquei algumas vezes e é indescritível, apesar das cotoveladas!!!
    Não conhecia a banda, não faz muito o meu estilo, apesar de eu já ter ido diversas vezes a shows e festivais com bandas assim :)
    Bjuxxxxx

    • oi poly! sim, é mesmo uma delícia… eu respiro música, então é sempre muito gostoso poder conferir alguns dos meus artistas favoritos bem de pertinho. sobre a banda, não é um estilo muito popular aqui no brasil, mas eles tem músicas muito legais… foi meio que paixão à primeira ouvida, sabe? principalmente pela voz do parker (vocalista)… e apesar de eu considerar pop e pop rock meus estilos musicais favoritos, também curto bastante o pop punk… e agora que venha maroon 5 (e dashboard confessional), néam? porque este sim vai estar incrível!
      beijos =***

  • Sempre tento fazer esse “aquece” da setlist também, mas nunca rola, não sei porque. Só que nas semanas seguintes do show acontece exatamente o oposto, eu só consigo ouvir aquela banda no repeat. Não conheço a banda, estou ficando ranzinza e não ouvindo nada novo, mas aquele show do CPM22 ainda nos aguarda!
    Beijo!

    • oieee nicas… eu faço a mesma coisa! inclusive, desde que eu fui no show do the story so far, estou ouvindo “quicksand” em loop eterno no meu player. não tenho nem vontade de ouvir outra coisa! bom, não sei se tu curte muito pop punk, mas vale dar uma escutada nesta banda, viu? o som deles é muitoooo booooom! enfim, ir em shows sempre é bom, né? e eu não esqueci que tenho que ir para são paulo para assistir um do cpm 22 contigo… será que rola esse ano?
      beijoooo =***