8 de maio de 2013

O pote de ouro…

Escrevi este post na metade de março, mas por algum motivo decidi não postar isso na época. Algumas semanas atrás, lembrei do texto e fiquei com vontade de publicar; então, aqui está. Não sei se é o momento certo ou não, mas independente disso, o texto é verdadeiro e reflete o que eu acredito de coração. E é isso o que importa.

Há alguns dias eu li algo que me fez pensar sobre a minha vida e minhas atitudes… Mais especificamente sobre conhecer alguém potencialmente interessante no quesito romance. A frase dizia que “quanto mais você corre atrás da felicidade, mais você passa por ela sem percebê-la”. Não sei se isso chega a ser uma verdade absoluta, mas o que eu sei é que as melhores coisas da vida geralmente acontecem quando a gente menos espera. Não é verdade?

Mas enfim, essa frase me faz lembrar de coisas que dois amigos meus sempre me falam… Um deles me diz que eu devo me dar a chance de conhecer outras pessoas e aceitar novas oportunidades; já o outro fala que não acha certo eu correr atrás de alguém e que devo esperar a pessoa certa chegar até mim. Para variar, eu não concordo nem com um e nem com o outro. Minha opinião fica no meio termo entre esses dois extremos, e eu explico porquê.

Não acho que estar sozinho deve ser um motivo para você aceitar conhecer ou se interessar por qualquer pessoa. Ao meu ver, para um relacionamento funcionar, tem que haver uma química entre as duas partes, ou qualquer coisa que os faça atraídos um pelo outro. Não precisa ser necessariamente um sentimento puro, como amor ou paixão, mas uma certa atração física, uma ligação, um mistério… Dito isso, fica implícito que nem todas as pessoas que cruzam por nossas vidas nos causam esse efeito, sendo assim não acho que devemos nos abrir para toda e qualquer possibilidade. Querendo ou não, a gente sabe de cara quando alguém mexe conosco (mesmo que não consigamos explicar isso em um primeiro momento), e então acabamos descartando automaticamente todos os outros. E se isso funciona dessa forma, por que se entregar a uma situação em que você não está apostando as suas fichas? Para quê criar uma oportunidade se sequer você acredita nela? Quando a gente sabe que pode investir, o corpo — coração ou cérebro — nos avisa que aquela pessoa é compatível; então se você não recebeu o aviso, por que correr atrás de algo que pode nem estar lá?

Love, amour...

E assim como eu acredito que as pessoas certas vão acabar aparecendo em algum momento, também não acho que seja justo esperar apenas por atitudes delas para você ter o que merece. Se você sente que é certo (ao menos pra você), por que ficar esperando sentado e correr o risco de que nada aconteça? Ninguém perde nada tentando… A gente perde quando não faz nada a respeito e deixa as coisas irem embora, sem ao menos lutar por elas. Então se você grudou a bunda na cadeira e está esperando a felicidade cair do céu, trate de arregaçar as mangas e partir para o trabalho, porque por mais que o universo conspire a seu favor, outras energias podem surgir e deslocar o que estava destinado a você para outras pessoas.

Então tudo isso é muito simples para mim. Eu acredito que muitas pessoas vão passar por nossas vidas (e não digo apenas no cenário romântico), mas nem todas elas vão ficar. Algumas vão se destacar de outras e algumas delas vão significar o mundo para você por algum tempo — tempo este que pode ser longo ou curto, mas que nem sempre depende apenas de você. Quando você se deparar com alguém assim, não espere para ver o que vai acontecer. Faça algo, tente tudo o que for preciso, vire o mundo do avesso, se esforce e a conquiste. Não tenha medo de fazer algo errado ou de parecer louco e confuso; melhor parecer um bobo do que perder o amor da sua vida.

Não fique com alguém por pena, não se iluda achando que o sentimento virá depois e não tente construir algo que nem mesmo você acredita. Enquanto você se esforça para fazer algo nascer com a pessoa errada, você pode estar se privando de conhecer a pessoa certa. Tudo tem o seu tempo e nem sempre estamos em sincronia com ele, portanto seja paciente. Não invista todas as suas forças em algo que você não sabe se vale a pena, não desista de encontrar o verdadeiro amor para tentar construir o seu. As coisas vem para quem espera e para quem acredita. Nem sempre do jeito e da forma como esperamos, mas elas vem. Sempre vem.

E é isso o que eu venho dizendo a mim mesma por um longo tempo… Eu não vou me atirar nos braços de ninguém enquanto eu não tiver certeza de que é a coisa certa a fazer. Eu não quero aprender a amar alguém porque eu acho que não vou mais encontrar a pessoa certa se eu continuar seguindo em frente. Eu não tenho medo de continuar tentando, de passar o resto da vida tentando. Eu sei que algum dia, em algum momento, algo dentro de mim vai me indicar o que eu devo fazer, o que é o certo, e então tudo estará predestinado a funcionar. Tudo fará sentido e será fácil, sem qualquer esforço, sem forçar a barra. Porque a vida é assim, as coisas acontecem quando precisam acontecer, na hora certa, no local certo, com as pessoas certas.

Pote de ouro

Cada um tem o que merece. Todo mundo vai passar pelo o que precisa passar, viver o que está destinado a viver. Acredite no destino, viva as consequências, aproveite as coincidências e não desista de seguir em frente, mesmo que esteja na direção errada. Um dia, você vai passar por um ponto em que nunca passou e talvez, neste dia, você enxergue tudo diferente. Diferente de uma forma boa. Ou talvez seja um mesmo ponto que você já cruzou antes, mas só agora seja a hora certa de passar por lá.

O mundo realmente dá voltas e a gente só precisa continuar de pé para visualizar os pontos ao longo do caminho. E quando você enxergar um deles, vá em sua direção. Se não tiver certeza, continue andando. A felicidade não é a parada final, mas os momentos que vivemos pelo caminho. A gente só precisa aproveitar o percurso, com erros e acertos, manter o sorriso no rosto e os olhos abertos, porque o pote de ouro pode estar atrás de qualquer pedra no trajeto e precisamos estar prontos para enxergar.

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários em "O pote de ouro…"
  • Adorei o teu texto, Fê…
    Tuas opiniões são bem parecidas com as minhas.
    Mas ao mesmo tempo, acho que nunca teremos “certeza o suficiente” até tomarmos alguma atitude, nem que seja uma bem leve. Também acho que pra nos aproximarmos de alguém é necessário um tipo de ligação, mas o que eu quero dizer é que tu nunca vai ter certeza absoluta antes de tentar. Não estou dizendo que deve-se aprender a amar alguém por medo de não encontrar quem é realmente especial pra gente, e nem que devemos “sair tentando por aí”… O que eu quero dizer é que muitas vezes a gente só percebe o quão especial alguém é quando damos uma chance para a pessoa mostrar isso pra gente. E às vezes a criatura estava ao nosso lado o tempo todo e a gente só se dá conta tempos depois (experiência própria, haha!).
    Beijos, saudades de falar contigo. :)

  • “Acredite no destino, viva as consequências, aproveite as coincidências e não desista de seguir em frente”
    Quanto você cobra por direitos autorais?? kkkk’
    Genteee, ameiii essa frase, disse tudo ^-^
    Sabe fiquei um pouco preocupada quando você escreveu o post, nem vou mentir, achei q iria dizer q iria esperar só esperar, na vida se tem que tomar atitudes, coisas acontecem sem planejar, sim, acontecem, mas se não agimos essas coisas vão passar desapercebidos, ou talvez nunca nem teria acontecido, se fomos analisamos, que tudo o que fazemos, vai mudar/contruir o nosso futuro.
    Mas, quando comecei a ler o seu post vi o que queria dizer, e ameii, e parabéns (já devo ter dito isso bilhões de vezes, mas agora é um bilhão e um kkkkk’) você escreve MUITOOO bemm!!!