21 de março de 2010

Novo vício: Fringe

Para quem (ainda) não sabe, um dos meus seriados favoritos “ever” é Dawson’s Creek. Comecei a assistir na época em que a Sony estava exibindo a primeira temporada ainda, por indicação da minha mãe. Ela estava vendo TV e me chamou durante um episódio porque achou que eu ia gostar. Acertou em cheio, né? Desde lá, comecei a acompanhar os episódios todas as semanas e assim foi por anos. Vicei em DC!

Desta tara toda por Dawson’s Creek é que veio a minha paixão pelo Joshua Jackson, que faz o papel do Pacey, meu personagem favorito da série. Só que DC terminou em 2003 e eu fiquei ultra mega triste (mas pelo menos o seriado teve o fim que eu queria). Mas ok. Alguns anos depois eu descobri que o Joshua Jackson estava fazendo uma outra série chamada Fringe, que eu não tinha a mínima ideia sobre o que se tratava, mas fiquei com vontade de assistir de qualquer jeito, só porque tinha o Joshua nela… Hehe!

Enquanto eu estava em Toronto, eu baixei toda a primeira temporada de Fringe e assisti os primeiros quatro episódios. Achei bem interessante a série, completamente diferente do drama adolescente que o Joshua vivia em DC. Mas acabei não assistindo o restante dos episódios, porque comecei a assistir outras séries na época e não dava tempo de assistir todas.

No início deste ano, eu resolvi voltar a assistir os episódios da primeira temporada e daí não parei mais. Assisti todos os episódios que faltavam em algumas semanas e já comecei a baixar a segunda temporada. A história foi começando a ficar interessante demais e eu emendava um episódio atrás do outro nos poucos minutos que eu tinha livre, antes de dormir. Semana passada eu terminei de assistir o 15º episódio da segunda temporada, que foi o último a ser exibido antes do hiato, que acaba dia 31 de março. O problema é eu esperar até lá agora. Eu estou doida pra saber o que acontece no próximo episódio… Aimeodeus!

O seriado conta a trajetória de Olivia Dunham, agente especial do FBI, que foi chamada para investigar um acidente aéreo que matou todos os passageiros e a tripulação de uma forma inusitada. Atrás de ajuda para resolver o caso, Olivia acaba conhecendo Walter Bishop, um cientista extraordinário, porém que esteve internado em uma clínica psiquiátrica pelos últimos 17 anos. No entanto, a única forma de conseguir a ajuda de Walter é pedindo que seu filho misterioso, Peter Bishop, o tire da clínica e assuma a sua custódia. Com a ajuda de Walter e Peter e dos agentes do FBI (Astrid Farnsworth, Philip Broyles e Charlie Francis), Olivia resolve o caso do voo 627 e descobre que este é apenas um acontecimento de uma realidade muito maior e mais chocante.

A história parece ser bem surreal no início, misturando ficção científica e suspense, mas aos poucos vai contaminando. Você termina de assistir um episódio e já quer assistir o outro. E imagina se eu já não estou torcendo pra mocinha ficar com o mocinho? Até agora não aconteceu quase nada, mas a gente nunca sabe, né? Acho que nos próximos episódios a chance de acontecer um romance é bem alta. Mas fazer o que, né? Por mais estranho e misterioso que o Peter seja, impossível não gostar dele. É eu vivendo o “eu-adoro-o-Pacey” all over again…#amo

Agora é esperar dia 31 de março pra continuar a assistir. E eu já adianto que vi o teaser do episódio 16 e está phoda

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 comentário em "Novo vício: Fringe"