10 de janeiro de 2015

“Multiply”, o melhor álbum do ano…

O “Multiply” (ou apenas “x”), do Ed Sheeran, foi o melhor álbum de 2014, na minha opinião. Devo confessar que ano passado eu não garimpei muito o cenário musical, como eu costumo fazer (adoro conhecer músicas e artistas novos, ainda pouco conhecidos pelo público em geral), portanto acabei dando mais atenção a quem já estava sob o meu holofote… O Ed Sheeran foi um deles!

"Multiply", do Ed Sheeran
Capa do álbum “Multiply”, do Ed Sheeran…

Conheci o Ed no ano retrasado, através do Adriel, que me passou o link da música “U.N.I.” em um dia qualquer de um mês qualquer. Adorei a faixa e resolvi baixar o álbum inteiro, pois o estilo do cantor tinha me chamado bastante a atenção… Obviamente, o álbum “Plus” (ou apenas “+”) me conquistou logo de cara e o tudo-de-bom do Ed Sheeran ganhou (mais) uma seguidora. Ouvi o álbum repetidamente por algum tempo e depois voltei ao meu repertório em modo shuffle

Até que me deparei com o vídeo deste show, que foi quando virei fã mesmo. Sou fascinada por apresentações ao vivo e pela energia que envolve esses momentos, e vê-lo sozinho naquele palco, fazendo maravilhas com apenas um violão, uma pedaleira e aquela voz dos deuses, fez com que ele passasse a ser um dos meus cantores favoritos, de todos os tempos. E “Multiply” tem grande culpa nisso tudo, porque o álbum é simplesmente maravilhoso.

Ed Sheeran

Ouvi o álbum uma ou duas vezes, meses atrás, e já estava apaixonada. Foi o álbum que eu mais ouvi em 2014, com certeza. Já falei aqui também sobre a minha paixão pela música “Thinking Out Loud”, que foi a primeira música do álbum que tocou por dias sem parar no meu player… Então hoje, eu vou falar um pouco mais sobre esse álbum que me encantou tanto e tentar descrever um pouco de cada faixa dessa coleção de músicas, que está impecável. Vamos lá?

ONE :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
O álbum começa com “One”, que foi a música escolhida para ser o primeiro single promocional de “x”, antes do seu lançamento em junho de 2014… A música começa devagar, bem calminha, apenas com o som do violão dedilhado e voz. A melodia é suave e o Ed canta grande parte da música em falsete, com a voz bem sussurrada. Da metade para a frente, a música ganha um pouco mais de dinâmica, com algumas batidas e arranjos harmônicos, mas continua doce e bastante “sentimental”. Ela encerra como começa, quietinha e apenas com voz e violão. Linda demais!

I’M A MESS :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
E então começa “I’m A Mess”, um pouco mais animada e cheia de energia. O início dela segue o mesmo padrão da música anterior: voz e violão, a marca registrada do cantor. No entanto, ela ganha força a partir do primeiro refrão e daí só vai. Adoro a melodia do refrão e os gritos quase roucos que o Ed solta nesses momentos… A música é bem marcada pelo som do violão, dando a quem escuta a impressão de enxergar as cordas vibrando a cada nota (quem toca violão, vai entender). O final é a minha parte favorita, onde ele repete diversas vezes a mesma frase (“for how long, long I love my lover, now now”), ganhando mais intensidade ao se aproximar do final da música — e então encerrar de forma suave novamente. Certamente, é uma das minhas músicas favoritas do álbum…

SING :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
Bom, esta música todo mundo conhece, certo? “Sing” foi o primeiro single oficial do álbum, com sua estreia em abril de 2014. A música é super para cima, muito boa para dançar e já começa bem animada… Quando chega no estribilho, o Ed vai para o falsete, ao som do violão, e depois entra no refrão contagiante (a parte do “sing, oh oh oh, oh oh oh”), para ser cantada em conjunto pela plateia. E então ele começa a cantar o próximo verso como rap… Não tem como não curtir. O clipe conta com a participação do cantor e produtor Pharrell Williams e mostra uma noite do cantor em Los Angeles em versão de fantoche. Vale o play!

DON’T :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
E então começa “Don’t”… Esta faixa foi o segundo single promocional do álbum e entrou na lista de paradas da Billboard Hot 100 em 86º lugar. A música inicia com a “frase” mais marcante do refrão e então vem a batida, que acompanha a melodia até o final. O Ed canta toda a canção em rap, com exceção do refrão. Ela continua bem “simétrica” até o final, mas eu gosto bastante das quebradas que ele dá em alguns versos, mudando a dinâmica da música e deixando ela mais espontânea. E o “ah, la da la da” gruda na cabeça como chiclete…

NINA :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
Esta, para mim, é a música mais sem graça do álbum. Mesmo assim, ela não é ruim… Junto com o violão, batidas que marcam a melodia da música e solinhos no piano embalam “Nina” até o final. Ela é cantada como rap e o refrão é o melhor da música. Eu geralmente passo direto esta música quando ela começa, pois não me identifiquei muito com ela. Três estrelas.

PHOTOGRAPH :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
E então as coisas se acalmam um pouco e começa a primeira balada do álbum. Linda, por sinal. A letra é muito bonita e fala sobre amar e sobre a dor que isso pode causar, quando algo não sai como planejado. O início é calmo, apenas com o violão dedilhado, baixinho, e então o Ed abre o coração e canta lindamente. A partir do primeiro refrão, a música ganha o acompanhamento de outros instrumentos e também um coro de vozes ao fundo. O refrão, cantado em falsete, é doce e mais embalado do que o resto da música. A canção ganha um pouco mais de dinâmica ao final e termina quietinha, quase a cappella. Para ouvir agarradinho com a almofada!

Ed Sheeran

BLOODSTREAM :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
A sétima faixa do álbum dá uma agitada novamente… Essa música é bem marcada pelos “nah, nah, nah, nah” e pelos “hmmm, hmmm”. Hahaha! A melodia é gostosa, contagiante e dá vontade de fechar os olhos para cantar junto (desculpa, eu me empolgo com este tipo de música)… Mais para a frente, depois do segundo refrão, começa uma sequência de frases repetidas, criando um clímax até o seu final… A letra fala sobre solidão, sobre coração partido e sobre usar substâncias químicas para aliviar a dor… “I feel the chemicals burn in my bloodstream, so tell me when it kicks in… Hmmmmmm, hmmmmmm!”

TENERIFE SEA :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
“Tenerife Sea” é uma das músicas mais quietas do álbum. No show, o Ed geralmente pede para a plateia ficar em absoluto silêncio, pois a música é baixinha em muitos momentos… A introdução dedilhada no violão é muito bonita, assim como a música inteira, para dizer a verdade. A música conta os mais sinceros sentimentos dele em relação à sua mãe e como a relação dos dois é tudo o que ele precisa. O jeito que ele fala sobre ela é tão doce… Talvez essa seja uma das letras mais sentimentais do álbum. Música linda demais! Ao vivo, então, mais linda ainda.

Ed Sheeran

RUNAWAY :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
E começa mais uma música cheia de hmmm, hmmm… “Runaway” fala sobre a vontade de fugir de casa, por conta de um relacionamento complicado com o pai. Apesar de falar sobre um tema delicado, a energia da música é muito boa, com um ritmo bem contagiante… A combinação dos versos, estribilho, refrão e ponte é perfeita. Uma composição impecável! Não é uma das minhas favoritas, mas não passa despercebida de jeito algum. E o Ed fazendo “ohhh hmmm” vale pelos 3:25 de música. Hahaha!

THE MAN :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
Essa música me lembra muito “Lose Yourself”, do Eminem, parte da trilha de sonora do filme “8 Mile”. É um rap do início ao fim, com um refrão um pouquinho mais melódico. Eu acho incrível o jeito que ele canta rap, porque você não consegue considerá-lo um rapper, de fato. Soa como pop estilizado ou algo assim. A batida da música é bastante contagiante e o refrão é gostoso de cantar junto. Gosto quando a música de acompanhamento começa a pausar e ele fica cantando sozinho. Os solinhos de guitarra do refrão também são bem legais e moldam bem a melodia da canção… Adoro a música, de verdade!

THINKING OUT LOUD :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
Esta é, sem dúvidas, a melhor música do álbum. Desde que eu escutei pela primeira vez, já me apaixonei. A letra é linda, melodia é maravilhosa e o conjunto da obra é simplesmente incrível. A canção tocou no meu player repetidamente por dias e eu fiquei extremamente feliz quando ele anunciou que seria o segundo single de “x”. Quando eu vi o clipe, me apaixonei novamente: Ed Sheeran dançando por 4:44 minutos. Ele é muito fofo! Não vou descrever a música, então, por favor, aperta o play e assista o clipe abaixo… Impossível não amar!

AFIRE LOVE :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
A música começa mais calminha, com acompanhamento de piano, e depois dá uma embalada no refrão. Nesta música, o Ed canta sobre o seu avô, que sofreu de Alzheimer por 20 anos e faleceu em 2013. A melodia é muito bonita, principalmente no final, segundos antes de acabar a música. Fora a letra, ela não chama tanto a atenção em relação às outras músicas do álbum, portanto três estrelas…

TAKE IT BACK :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
Esta é mais uma das minhas favoritas… Rap do início ao fim, com um dos melhores refrões do álbum. A música já começa direto com o verso, sem introdução, sem nada. Apenas voz e violão, durante 3:28 minutos. Os versos são falados rapidamente (não consigo cantar junto, sem errar a letra ou enrolar a língua) e são bem extensos. A intensidade sempre vai aumentando, conforme as frases vão chegando perto do refrão. E então o Ed solta um grunhido arranhado e parte para o refrão, de fato. Provavelmente, é a segunda melhor do álbum.

“I’m not a rapper, I’m a singer with the flow…”

SHIRTSLEEVES :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
Esta é uma música boa, mas que não chama muito a atenção no álbum. No entanto, a letra é ótima. Adoro o jogo de palavras que ele faz quando escreve e compõe, dizendo de uma forma completamente inusitada o que falaríamos com uma frase normal e bem sem graça. A música fala que ele secará as lágrimas da menina com as mangas de sua própria camiseta, mesmo que o relacionamento deles já esteja afundando. Ela tem um ritmo bastante animado, apesar de o Ed cantar os versos com uma voz calma e suave.

EVEN MY DAD DOES SOMETIMES :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
Mais uma balada do álbum. A música é bastante doce e fala sobre não ter problema em chorar, tremer ou até mesmo magoar alguém. A mensagem que a música passa é que devemos viver a vida intensamente e que devemos aguentar firme nos momentos de sofrimento, pois são eles que nos lembram que estamos vivos. “Even My Dad Does Sometimes” começa lentinha e depois vai ganhando um pouco mais de sonoridade. Ideal para ouvir e pensar sobre a vida…

I SEE FIRE :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
O álbum não poderia terminar com uma música melhor… “I See Fire” começa a cappella, com o Ed cantando algumas frases em um estilo meio gospel, e depois entra o acompanhamento dos instrumentos, ainda passando uma sonoridade tranquila e bastante relaxante. A faixa não tem batidas muito marcantes e vai até mais da metade apenas com o som do violão, um chocalho e um violino. Aliás, o solo de violão é incrível! Ao final, a atmosfera da canção fica mais pesada, com alguns sons mais fortes e vibrantes. Os gritos arranhados que ele solta no final são sensacionais. O álbum acaba e nos deixa com vontade de quero mais.

Ed Sheeran

x (2014)
Ed Sheeran
:star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
O álbum foi lançado no dia 20 de junho de 2014 e já teve 3 singles lançados oficialmente desde então, das músicas “Sing”, “Don’t” e “Thinking Out Loud”. Ele contém 16 faixas (a versão deluxe do álbum tem 17, incluindo também a música “All Of The Stars”, que faz parte da trilha sonora do filme “A Culpa É das Estrelas”), mesclando um pouco de baladas, músicas mais calmas, músicas mais agitadas e alguns raps. “Multiply” é o segundo álbum do cantor britânico e foi produzido em conjunto por nomes como Pharrell Williams, Johnny McDaid (Snow Patrol), Rick Rubin, entre outros. O álbum recebeu diversas críticas positivas e se tornou um sucesso mundialmente já na primeira semana do seu lançamento, chegando no topo das paradas de 12 países. Ele recebeu indicação para os prêmios de “Melhor Álbum Vocal Pop” e “Álbum do ano” para o Grammy deste ano, que acontecerá no início de fevereiro. Boa sorte, Ed!

Ou seja, o álbum é realmente muito bom. Se você ainda não escutou, faça isso. Ele foi a minha trilha sonora do segundo semestre do ano passado, praticamente. Hehehe! Ed Sheeran é muito amor e “Multiply” está multiplicando esse amor todo. Palmas, muitas palmas.

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 comentários em "“Multiply”, o melhor álbum do ano…"
  • Taí: tenho esse álbum baixado mas ainda não ouvi. E olha só que motivo fofo pra eu ter baixado: namorado me mandou Thinking Out Loud outro dia pelo Skype pq disse que lembra de mim qdo ouve <3 oooownti! rs
    Ano passado tbm não conheci muuuuita coisa nova. O que mais ouvi foi Phillip Phillips e agora no finalzinho do ano, Needtobreathe (conhece? adoro a música homônima do título desse album do Ed, "Multiply" e "State I'm In") e Whitesnake, que nem de longe é novidade heh
    Beijo, Fê!

  • O Ed é tudo de bom.Sou apaixonada por ele desde o álbum Plus. Vi por acaso o vídeo de Lego House e me apaixonei. Fui pesquisar mais e encontrei um álbum maravilhoso cheio de músicas deliciosas.
    Ainda preciso parar e ouvir o Multiply porque só ouvi os singles, mas não tenho dúvidas de que irei gostar.
    PS: eu que viciei o Adriel em U.N.I ;)

  • Oi Fernanda,
    O Ed escreve frases que eu adoraria ter pensado. Acho ele extremamente poético nas músicas. Ouvi muito o CD “plus”, esse novo “multuply” só algumas musicas soltas mesmo. Como “I see fire” que é tema do segundo filme do Hobbit. E “Thinking out loud” é linda do clip a letra e foi até a que ele cantou do desfile da Victoria’s Secret 2014.

    Vou agora mesmo pegar esse novo álbum pra escutar todas.
    Beijos!

  • Acho que 2014 foi bom pra mim, musicalmente, já que ouvi vários álbuns em sua integridade, o que não é algo que eu costumava fazer com frequência. Voltei também ao hábito que eu tinha quando era mais nova, de comprar os álbuns e tê-los comigo, ao invés de só baixar as músicas.

    Ouvi esse do Ed Sheeran e fiquei ainda mais in love com ele do que já era. Aquele medo de que o artista vai decair depois do primeiro “boom”, sabe? Gostei de todas em geral, mas a minha preferida também é thinking out loud, ouço incessantemente e toda vez descubro algo novo nela.
    Vi muita gente achando o disco ruim porque o ed buscou uma pitada mais pop e discordo, acho que é normal o cantor evoluir para onde fica mais confortável e não acho certo ter de se restringir a um único estilo, acredito que acaba ficando tudo mais do mesmo assim.
    Não sei se é o melhor álbum do ano, mas que é ótimo, é sim!

  • Oioioi.

    Tava lembrando aqui daquela tarde de um dia qualquer em te chamei no Feyce pra te mostrar a música, perguntando se tu entendia tudo o que ele falava num trecho velocidade-eminem de “U.N.I.”… Sdds! <3

    O Ed é um dos meus cantores favoritos, e olha que eu são poucos os cantores/homens que eu escuto. "Multiply" também foi um dos meus álbuns preferidos de 2014, as letras das músicas faziam todo sentido naquele momento da minha vida. Amo/doro isso!

    Minhas músicas preferidas são "I'm a mess" e "Thinking out loud", claro! :)

    P.S.: Não lembro quando, mas conheci o Ed através da Poly mesmo. ÊTA CORRENTE DO BEM! <3

  • Qd vi a capa do álbum pensei que tivesse dado erro na página! Rs
    Não sou mt ligada em música, às vezes curto várias música de uma msm banda é só dos vou descobrir que eu gostava deles. Por isso é super difícil eu ouvir um álbum completo.
    Bijus e carinhos. Fica com Deus!

  • Esse cara ta em todos os lugares, minha sobrinha me mostrou uma dezenas de coisas sobre ele…eu até gostei da música com o marionete, mas a pergunta que fica é se ele vai conseguir um outro bom disco.

    Bjos