21 de agosto de 2016

Muitas emoções nas Olimpíadas do #Rio2016

Pois bem, hoje é o último dia das olimpíadas… Que triste! Confesso que nem acompanhei muita coisa, mas foi divertido assistir alguns jogos e competições durante esses dias que passaram. Eu acho que vai ficar aquele mesmo clima de saudade depois da Copa do Mundo, mas, pelo menos, neste evento tivemos motivos para comemorar…

Jogos Olímpicos Rio 2016

Tudo começou logo nas primeiras horas após o início dos jogos olímpicos, com uma medalha de #prata em uma das categorias de tiro esportivo, do atleta Felipe Wu. Dois dias depois, tivemos a vitória da nossa menina dos tatames, Rafaela Silva, judoca brasileira que conquistou o primeiro #ouro do Brasil. Nos dias seguintes, ganhamos duas medalhas de #bronze pelos judocas Rafael Silva e Mayra Aguiar. O judô estava realmente afiado!

No oitavo dia, foi a vez de ver o choro emocionado do nosso queridinho ginasta Diego Hypólito, que conquistou um lugar no pódio ao lado de mais um companheiro de equipe, o Arthur Nory. Eles ficaram com a #prata e o #bronze na prova de solo masculino da ginástica artística, fazendo a dobradinha no pódio. Eu fiquei emocionada pela vitória (merecida) do Diego, que chorou como criança quando confirmaram a posição dele no ranking. Com toda razão, por sinal, considerando as tentativas sem sucesso nas últimas duas olimpíadas, que o levaram a desistir da ginástica por algum tempo e a enfrentar uma forte crise de depressão… Mas todo o esforço foi válido agora: a medalha de #prata é nossa! É tua, Diego.

Diego Hypólito ganha medalha de prata nas olimpíadas do Rio 2016
Diego Hypólito ganha medalha de prata nas olimpíadas do Rio 2016
Diego Hypólito e Arthur Nory
Dobradinha de medalhas na ginástica, com Diego Hypólito e Arthur Nory

No dia seguinte, tivemos mais uma #prata na ginástica, desta vez com o atleta Arthur Zanetti, o monstro das argolas… Meodeus do céu, aquele homem! Forte para caramba, com uns braços maiores que minhas próprias pernas… Incrível a apresentação dele! Uma pena não ter levado o ouro, mas foi emocionante da mesma forma.

Arthur Zanetti conquista a prata na prova de argolas...
Arthur Zanetti conquista a prata na prova de argolas…

No décimo dia, ainda ganhamos mais duas medalhas. A primeira veio da atleta Poliana Okimoto, que ganhou o #bronze na maratona aquática de 10km feminino. A segunda, um feito na história, com recorde olímpico e tudo, foi a vitória do Thiago Braz, no salto com vara, em cima do voador francês Renaud Lavillenie. Foi emocionante de verdade! Garoto de #ouro esse Thiago, hein? Foi merecido! #tudunts

Thiago Braz, medalha de ouro no salto com vara, com Renaud Lavillenie e Sam Kendricks
Thiago Braz, medalha de ouro no salto com vara, com Renaud Lavillenie e Sam Kendricks

Outro atleta de destaque nesta olimpíada foi o Isaquias Queiroz, da canoagem, que somou três medalhas ao todo numa mesma edição do evento, fato antes nunca conquistado por nenhum brasileiro. Duas #pratas e um #bronze! Tivemos também uma medalha de #ouro no boxe com o Robson Conceição, na categoria de peso ligeiro (60kg). As meninas da vela, Martine Grael e Kahena Kunze, também levaram uma medalha de #ouro para casa.

O nosso vôlei de prata também levou medalhas… Com as meninas, conseguimos a #prata com a dupla Ágatha e Bárbara. Yay! Já no masculino, a dupla Bruno e Alison conquistou a medalha de #ouro em cima da Itália. Uma pena que as outras duplas não conseguiram outras medalhas… A feminina, principalmente, que perdeu a disputa do terceiro lugar para os Estados Unidos.

A dupla #ouro do vôlei de praia, Bruno e Alison
A dupla #ouro do vôlei de praia, Bruno e Alison

Nos últimos dias, tivemos mais três medalhas para a nossa coleção… Uma delas veio do atleta do taekwondo, Maicon de Andrade Siqueira, que conquistou o #bronze na categoria acima dos 80kg. As duas últimas, ambas de #ouro, vieram do futebol masculino e vôlei masculino, com jogos sofridos e infartantes… De novo, uma pena que os times femininos de futebol e vôlei não saíram com medalhas também… Bem injusto, inclusive.

Mas as olimpíadas não se resumiram a estas 19 medalhas. Teve muita festa, muita torcida, muito nervosismo, muita alegria, muitos memes, muitas risadas e diversão.

Tivemos o Usain Bolt levando todas as medalhas possíveis no atletismo, sendo o homem mais rápido do mundo e sambando ~ literalmente ~ na cara da sociedade… E nós amamos! Tivemos Simone Biles, ginasta norte-americana, que foi o destaque na ginástica olímpica, com um total de 5 medalhas. E, claro, Michael Phelps, que foi embora do Brasil com 6 medalhas…

Simone Biles, ginasta norte-americana
Simone Biles, ginasta norte-americana

E teve também os atletas que acabaram não levando nada… A Flávia Saraiva, a nossa pequena da ginástica olímpica. A Jade Barbosa, que saiu machucada no meio de sua apresentação. Nosso futebol feminino, com Marta, Bárbara e cia limitada, que perdeu o bronze para o Canadá. O time do vôlei feminino, que estava indo tão bem e não conseguiu chegar ao pódio.

Bom, pelo menos tivemos a vingança do 7×1, com a vitória da seleção masculina de futebol em cima da Alemanha — apesar de termos vencido nos pênaltis. Teve o vôlei masculino disputando a quarta final consecutiva nas olimpíadas e levando o #ouro. O nosso desempenho poderia ter sido melhor, mas veja bem… Poderia ter sido pior também!

Foi um evento bonito, de forma geral. A começar pela abertura, que foi colorida, honesta e muito bonita. Podemos ver o último desfile ao som de “Garota de Ipanema” da nossa musa brasileira, a top model Gisele Bündchen, que estava linda como sempre. Nós tivemos também Paulinho da Viola cantando o hino nacional em versão acústica e completamente encantadora. E fechamos a cerimônia com orgulho, com o atleta Vanderlei Cordeiro de Lima (que foi empurrado durante a corrida da maratona nas olimpíadas de 2004 e acabou perdendo a primeira posição no final da prova) acendendo a tocha olímpica… Achei totalmente justo!

Gisele Bündchen
Gisele Bündchen desfilando ao som de “Garota de Ipanema”
Vanderlei Cordeiro de Lima
Vanderlei Cordeiro de Lima com a tocha olímpica

Não assisti o encerramento, por motivos de: estava escrevendo esse post. Mas tenho certeza de que estava muito bonito também… O Brasil até estava de parabéns nestes últimos 15 dias! Nós duvidamos de que seria um evento bacana (como sempre fazemos, óbvio!), mas o somatório foi positivo, de alguma forma. E que venha o Japão daqui 4 anos… Estou cogitando fazer as malas e assistir os jogos de pertinho dessa vez! Alguém mais? :cute:

BEDA Agosto 2016

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários em "Muitas emoções nas Olimpíadas do #Rio2016"
  • A gente nunca acredita e no fim a festa acaba sendo linda, né? Teve muito choro de emoção, mas de felicidade também. Queria muito que as meninas do volei e do futebol tivessem ganhado alguma coisa, elas mereciam muito, mas 2020 tem mais, se deus quiser!

    Eu bem queria ir pra Tokyo, porém acho que nas olimpiadas estará muito caro. E pelo meu destino, é hora de voltar pro Canadá em 2020 (coincidentemente sempre ou de 7 em 7 anos e a última vez foi 2013!)…

  • Nos primeiros dias de competição, acho que fiquei quase o dia inteiro pendurada na televisão, que coisa emocionante ver uma coisa dessa acontecendo no meu país! Acompanhei com muita alegria os jogos que o Brasil estava no meio, quase enfartei nos jogos de vôlei, assistir o time masculino dava um suadora de desespero, acho que nunca fiquei tão ansiosa vendo algum jogo shauhusa assistia a ginástica artística já querendo sair saltando igual os ginastas, finalmente consegui ver a competição de tiro esportivo e arco e flecha, porque eu nunca tinha assistido e eu tenho um fraco por essas coisas (amo!). Achei de mais! Melhor do que os jogos só foram os memes e a torcida brasileira, porque brasileiro tem um talento nato pra zoeira, pois eu ri muito das coisas que o povo aprontava shauhsuahusa