29 de agosto de 2016

É hora de desapegar!

Hoje eu terminei de ler mais um livro. Este aí não estava na minha lista de próximas leituras, porque ganhei ontem de presente de aniversário, mas achei que era a leitura perfeita para esta segunda-feira chuvosa, pós-aniversário, e diante de todas as mudanças que estão por vir nesses próximos dias… Em breve, contarei mais detalhes sobre isso. :cute:

"Não Se Apega, Não" de Isabela Freitas

Por enquanto, vou falar brevemente sobre esse livro que caiu como uma luva neste meu período de transição: “Não Se Apega, Não”, da blogueira Isabela Freitas. Eu já o conhecia por nome, mas não cogitei comprar o livro por não se tratar de uma “história”, mas algo como um relato pessoal. Eu não costumo ler livros nacionais, porque não vejo muita graça nos enredos e estilos de escrita dos autores daqui, mas confesso que estava curiosa para ler o desfecho deste livro.

Comecei a ler ontem à noite, antes de dormir, e fui um pouco além da página 50… Hoje, quando acordei, peguei o livro de novo e sabia que só sairia da cama depois de concluir a leitura. A parte boa é que “Não Se Apega, Não” é uma leitura fácil, rápida e leve. Achei um pouquinho bobo o jeito como ela escreve, mas isso se deve ao fato de ela ser jovem e ainda estar iniciando a carreira como escritora. Ou realmente não seja o meu estilo, não sei.

O fato é que este livro me fez lembrar dos meus textos mais antigos e eu percebi o quanto eu já amadureci na escrita de lá para cá. Eu também reparei que penso muito parecido com ela, que temos gostos em comum e que tudo o que ela relata na história dela, eu já descobri sozinha há algum tempo, nas andanças da minha vida. É bem bacana ver que alguém que pensa parecido e passou por coisas semelhantes, chegou à mesma conclusão que eu.

Concordei com a maioria das coisas que ela escreveu e isso foi bem interessante — geralmente, eu sou aquela menina que é totalmente diferente do resto do mundo, portanto foi bom ver que não estou sozinha nessa. Existem mais unicórnios como eu. :laughing:

Em relação à história, algumas partes eu achei relevantes, outras não tanto… Mas, mesmo assim, a leitura flui bem. Ela começa o livro falando do final do seu namoro com Gustavo, com quem está junto há mais de dois anos. No início, não dá para entender muito o porquê do namoro ter feito tão mal a ela, mas com o virar de folhas, isso fica mais explícito. E, sim, foi a melhor decisão que ela podia ter tomado. Namorar alguém só para não se sentir sozinho é, com certeza, a pior escolha que alguém pode fazer.

"Não Se Apega, Não" de Isabela Freitas

Nos capítulos seguintes, ela vai nos apresentando outros personagens importantes de sua vida, como seus melhores amigos Pedro e Amanda, os peguetes que surgiram pelo caminho e alguns amigos de anos que acabaram entrando e saindo de sua vida mais tarde. Eu me identifiquei com várias histórias, por sinal. Em algumas delas, lembrei de coisas aleatórias que aconteceram comigo e que me magoaram da mesma forma como a magoram também.

A moral do livro é que amores e amizades vêm e vão e nós precisamos saber quando é a hora de desapegar do que não é mais relevante e essencial em nossas vidas. Deixar as tristezas, mágoas e decepções no passado, que é onde elas realmente devem ficar… E eu concordo com isso em gênero, número e grau. Precisamos aceitar o que passou, guardar as lições aprendidas e seguir em frente. Afinal, a vida continua…

Em relação ao amor, precisamos aprender que o certo acontecerá na hora certa… Para isso, haverão tropeços pelo caminho, portadas na cara, lágrimas (sim, muitas lágrimas) e coisas que não compreenderemos em um primeiro momento. Mas o amor chega, se formos pacientes. E se não chegar, é porque ainda não aprendemos a ser felizes sozinhos. Sim, este é o primeiro passo. Esperar que o outro seja responsável por nossa felicidade é estar condenado ao fracasso.

Sendo assim, recomendo a leitura do livro para quem está nesse limbo de autoconhecimento, entre um namoro ou outro, ou está em um relacionamento que não parece ser muito realizador ou feliz. Sempre há tempo de mudar e de fazer novas escolhas. Nosso destino só pertence a nós mesmos. E como ela disse no livro (e eu concordo): nem sempre a vida e o destino sabem o que é o melhor para nós; cabe a nós mesmos decidir os passos que devemos tomar hoje e amanhã.

Mas a pergunta que não quer calar é… E o Pedro, Isabela?

BEDA Agosto 2016

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 comentário em "É hora de desapegar!"
  • Eu sempre achei que esse livro fosse autoajuda e não estilo de história, sabe? Eu assisti a todos os episódios da série que passou no Fantástico e gostei bastante.
    Fiquei até tentada a ler, mas não está na minha lista de leitura.
    Bjuxxxx

    PS: te indiquei para uma tag lá no blog