13 de agosto de 2010

Diário de bordo: Buenos Aires

Para todos que perguntaram… A viagem foi ótima! Como não poderia ter sido? Uma semana em uma cidade linda como Buenos Aires, um monte de lugares para visitar e pessoas divertidas o tempo inteiro… Eu seria louca se não tivesse gostado! E eu posso dizer que o Encontro de Design na Universidad de Palermo acabou sendo só uma desculpa para eu ter ido, porque, enquanto eu estava lá, a última coisa que me interessava era assistir palestras em espanhol sobre design… Mas não contem pra ninguém, ok?

Saímos de Porto Alegre às 18h em ponto, assim como tinha sido combinado. E a viagem foi longa… Pegamos um temporal horrível na estrada de madrugada e as minhas pequenas orações entre cochilos e momentos de pavor fez a gente chegar em Buenos Aires sãos e salvos, 25 horas depois… Me lembrem de nunca mais ir para Buenos Aires de ônibus, obrigada. Entramos no hostel, largamos as malas e saímos para procurar um lugar para comer… Engraçado como a minha impressão sobre argentinos em restaurantes ainda não mudou: eles não tratam os brasileiros muito bem, não.

O dia seguinte amanheceu com sol, para a alegria de todos nós. Fizemos um city tour pela manhã, conhecemos o Caminito — onde tudo é colorido e divertido —, que eu adorei; o bairro de La Boca, onde fica o estádio La Bombonera; e o cemitério da Recoleta, onde está enterrada Evita Perón (por coincidência, o dia que fomos ao cemitério era o aniversário de morte dela… #tenso). Depois nos separamos em grupos e fomos conhecer a cidade. Batemos perna pela Avenida Santa Fé, passamos pelo Buenos Aires Design e depois fomos à Praça das Nações Unidas, onde tem um monumento de uma flor gigante, que fica aberta durante o dia e se fecha à noite. Mas me pergunta se o equipamento estava funcionando. ÓBVIO QUE NÃO! Ó, o azar…

Caminito, Cemitério da Recoleta, Buenos Aires Design e Praça das Nações Unidas

Terça-feira era o primeiro dia do Encontro de Design, então o pessoal da faculdade, que se resume a 7 pessoas apenas, foi todo junto para a universidade. Na volta, depois de assistir uma palestra sobre “Diseño Web Inclusivo”, outra sobre “¿Cómo se diseña un sistema de Señalética?” e de entender apenas 7% do espanhol dos palestrantes, fomos à Praça da República, onde fica o Obelisco. Sentamos lá por alguns minutos, tiramos muitas fotos e voltamos pro hostel. De noite, demos uma volta no bairro de Puerto Madero, o mais legal de Buenos Aires, na minha opinião…

Universidad de Palermo, El Obelisco e Puerto Madero

No dia seguinte, saímos do hostel bem cedo! Caminhamos até a Praça 25 de Mayo, tiramos fotos do chafariz, da Casa Rosada, da Catedral Metropolitana e depois fomos para o encontro. Desta vez, o palestrante era brasileiro. Ufa! Ao final da palestra, eles distribuiram bottons e eu ganhei um pôster por ter feito uma pergunta! A pergunta mais tola do mundo, que fez todo mundo rir, mas não importa… #deixaquieto Depois do evento, fomos para a Rua Florida, um calçadão cheio de lojas e preços muito baixos. Comprei duas mantas indianas por R$7,50. Alguém duvida que é barato mesmo?

Casa Rosada, Praça 25 de Mayo, Rua Florida e Universidad de Palermo

No quinto dia de Buenos Aires, nós fomos conhecer a livraria El Ateneo, que usa as instalações de um antigo teatro como loja. É lindo de morrer, tem livro pra caramba e eu queria morar lá dentro. :happy: Depois de fazer compras na Stone, nós pegamos um táxi até o MALBA (Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires), que tem uns quadros malucos e sem sentido e outros renomados como “Auto-retrato com macaco e papagaio”, de Frida Kahlo, e Abaporu, de Tarsila do Amaral…

El Ateneo, Subte (metrô), compras na Stone e MALBA

No último dia, tomamos café da manhã no Café Tortoni, o café mais antigo e tradicional de Buenos Aires… Abaixo de chuva, fomos até a universidade pegar nosso certificado de presença no encontro e comemos sorvete na Freddo, a sorveteria mais conhecida de BsAs. Nem preciso comentar que o sorvete que eu comi era maravilhoso, né? Hmm, nem me lembra! Depois disso, voltamos para o hostel e arrumamos nossas coisas para ir embora.

Café Tortoni e Freddo

Às 17h do dia 30 de Julho nós saímos de Buenos Aires, rumo a Porto Alegre. Paramos em Rivera, fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, onde fizemos algumas comprinhas nos free-shops de lá… Comprei dois perfumes, o J’Adore e o IN2U, alfajores, Pringles, vinhos para a minha irmã e um casaco de lã cinza chumbo para mim. Chegamos em POA perto das 22h do dia 31. Fui recebida com um buquê de rosas vermelhas e um cartão do namorado, que foi me buscar assim que cheguei.

Resumindo, a viagem foi sensacional… Fora o primeiro e o último dia de chuva, o tempo perdido dentro do ônibus para ir e voltar, da correria para conseguir conhecer o maior número de lugares lá, foi tudo ótimo. Embora a previsão tenha dito que ia chover a semana toda, pegamos dias lindos por lá… Muito sol, apesar do frio. Coloquei mais fotos no Orkut, então sintam-se à vontade de ir lá fuçar…

Quero voltar à Buenos Aires assim que possível, para conhecer outros lugares, passear mais, sem pressa, aproveitar bem a cidade… Quem não conhece e tiver a oportunidade de ir, vá, porque vale a pena!

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários em "Diário de bordo: Buenos Aires"
  • Ooi flor, eu bem q desconfiei q ia ter mudanças, apesar de ter visto no twitter sua mundança para o WP.
    Então essa sua viagem foi bacana, eu vi no post as fotos pena não ter orkut pra ver todas. Eu até q viajaria 25hs de onibus só pra conhecer os lugares e tirar fotos na estrada.
    Bem é isso, depois volto pra ver como ficou.
    Au revoir!

  • HAHAHA fiquei curiosa para saber que pergunta foi essa NASHASUANSUAISNAUSIANSUAISNA
    Café Tortoni?! Sou viciada em café HAHAHAHAHAHA preciso conhecer kkkkkk
    Que bom que você pode aproveitar a viagem!!!