23 de julho de 2009

De mala e cuia…

Apesar do prometido (ou pelo menos esperado), o post melancólico não virá, pelo menos não agora! Eu tenho é novidades a respeito da confusão que estava minha cabeça a algumas semanas atrás. Depois de muito pensar e chorar (porque quando eu fico nervosa é só o que eu consigo fazer), cheguei a conclusão que o melhor a fazer é voltar para o Brasil. Porque eu não tenho como renovar meu visto de trabalho, e sem trabalhar, eu não tenho como me sustentar aqui. Neste caso, a única solução é ir embora. Mas não estou triste, não! Já estava ficando entediada de ficar aqui trabalhando num lugar que não é minha área e ganhando pouco!

A parte boa é que eu já tenho alguns planos para quando chegar no Brasil. Os cursos de design que eu queria fazer aqui, vou fazer lá, porque aqui além de serem de poucas horas (15h), não achei nenhum que me interessasse. Não vou gastar dinheiro para aprender o que eu já sei, né? Eu já andei olhando algumas coisas no Brasil e vou acabar me matriculando por lá mesmo… Pena eu não voltar pra terrinha com um certificado canadense na mão, mas não foi por falta de interesse…

Mas mesmo voltando pra casa antes do planejado, esta jornada aqui no Canadá teve a sua importância: foi a primeira vez que eu tive que me virar sozinha, sem a ajuda dos meus pais; eu passei bastante tempo com o namorado; realizei o meu sonho de morar fora do país por um tempo; vou poder assistir os shows de alguns de meus cantores favoritos; pude comprar livros, CDs e DVDs que no Brasil não tem ou são muito caros; além de ter treinado meu ouvido pra entender inglês e ter aumentado meu vocabulário – um pouquinho que seja. Vai dizer que não teria valido a pena? Claro que sim!

Ainda não é oficial, mas ao que tudo indica, a minha volta para o Brasil vai acontecer no dia 1º de Outubro. Vou embarcar aqui dia 30 de setembro de noite e chego no Brasil na tarde do dia seguinte. Tô pensando ainda se vou passar alguns dias em São Paulo ou volto pra Porto Alegre direto. Independente disso ou não, só fico em Toronto até final de setembro. E o prazer foi todo meu! :wink:

Antes de ir embora, quero ver se consigo trocar o layout (não posso ter vindo pro Canadá com um layout, ter ficado aqui por 8 meses e voltar pro Brasil sem ter mudado, né?) em homenagem ao tempo que fiquei aqui. Falta terminar a montagem do topo e os detalhes de títulos, assinatura, estas coisas… Mas a ideia já está pronta! Espero que dê tempo! :cool:

E esta terça-feira (21) rendeu! Como eu não ia trabalhar, falei pro Gui que a gente ia sair. Como combinado, na primeira hora da tarde, saímos de casa. Primeira atividade do dia foi entrar sem querer na The Bay e achar um anel prateado em promoção bem do jeito que eu queria. Por míseros $9,99, comprei! Tava a séculos procurando por um, mas nunca achava nenhum do meu gosto. Busca concluída, finalmente! O dito cujo já está no dedão direito, lindo e belo… Ei-lo!

Segunda etapa do passeio foi ir na Best Buy comprar dois CDs com os vale-desconto (com hífen ou sem hífen?!) de $15 dólares que eu ganhei da loja. Peguei os dois CDs mais baratos da listinha de CDs que eu quero e adivinha quem deu? Demi Lovato e Jordin Sparks, os dois lançamentos do dia. Ótimo! Os dois CDs saíram pelo preço de um… Ah, eu adoro descontos!!

E pra fechar o dia com chave de ouro, fomos ao cinema assistir “Harry Potter and The Half-Blood Prince” (dá lincença, o título aqui é em inglês, hehehe!)… Li o livro há milhões de anos e nem lembrava mais da história direito, mas sabia que o filme devia impressionar! Até porque foi um dos livros que eu mais gostei… Mas não foi bem assim! Achei que o jeito que o filme foi escrito e filmado acabou deixando a história perdida em algum canto; o filme ficou solto demais, sem início, meio e fim… O livro de poções, as conversas do Harry com o Dumbledore, as cenas de romance entre Harry e Gina, a busca do medalhão: foi tudo muito sutil. E o filme termina sem terminar! Eu sei que no último livro a busca das Horcruxes continua e a história em geral, mas eu achei que eles poderiam ter feito um trabalho melhor!

É claro que Harry Potter sempre vai ser bom só por ser Harry Potter, mas este filme ficou devendo. Pelo menos, para meu contentamento, teve a cena do hospital onde o Rony chama pela Hermione enquanto ele estava desacordado e ela fica toda sem jeito, segurando a mão dele… Valeu o filme! Espero que nos próximos dois filmes, eles encham de cenas de Ron & Mione, porque eu amoooo³ eles! :love: Mesmo assim, quem puder, assista ao filme… Pode ser que minha opinião esteja destorcida, ok? Ainda mais que eu assisti o filme sem legenda e muita coisa eu acabei perdendo por causa do sotaque britânico impossível de entender… Vou querer ver legendado depois, de novo! :tongue:

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *