24 de setembro de 2011

Amigos com Benefícios

Ontem de manhã, eu finalmente consegui assistir o filme “Friends With Benefits”, com o fofo do Justin Timberlake e a linda-de-morrer da Mila Kunis, que eu adoro de paixão… Desde que vi o pôster do filme no cinema, eu já fiquei com vontade de assistir, e daí sexta-feira o meu colega de trabalho Carlos me levou o arquivo com o filme para eu assistir em casa. Thanks, by the way. Daí ontem, quando eu acordei às 8h20 da manhã de um sábado, sem despertador, eu terminei de assistir o filme, que eu tinha começado a ver de madrugada. E amei!

A intenção deste post não é falar sobre o filme (que por sinal eu adorei muito e super recomendo), mas para falar sobre algumas coisas que eu me lembrei depois de assistir o filme… Para quem não sabe, o filme conta a história de dois amigos, que após levarem um fora de seus respectivos namorados, decidem investir numa amizade com sexo e sem sentimentos… Moral da história? Essas coisas nunca dão certo… E daí eu te pergunto: what’s up com essa história de amizade colorida, hein?

Quem nunca, né? Hahaha! Acho que todo mundo já deve ter tido a sua cota… Porque convenhamos, um amigo do sexo oposto, que conhece todos os seus defeitos e qualidades e te aceita como você é, conhece cada mania, sabe como você funciona, te entende, te respeita e está sempre lá para você (e a recíproca também é toda verdadeira), é quase que pedir demais para que nosso coração não queira mais do que amizade. É conveniente, prático e faz você se sentir menos sozinho e mais especial. Todo mundo quer isso, principalmente quando se é solteiro e gostaria de não estar.

Já tive alguns casos de amigos coloridos ao longo da minha vida… Não muitos e não por muito tempo, mas eles aconteceram. Um deles, o que eu mais me recordo, me traz boas lembranças até hoje. Lembro de nossas conversas até tarde da noite, do jeito como ele fazia eu me sentir e da vez em que deitamos na calçada para olhar a lua. Até hoje, quando olho para a lua, acabo me lembrando dele… E teve outros casos em que a amizade colorida vinha do outro lado, mas não do meu. Amigo que me pediu um beijo depois de uma sessão de filmes em casa, amigo que foi me cumprimentar e me deu um beijo no queixo — esbarrando “sem querer” num cantinho da minha boca, amigo que brincava com o meu cabelo, amigo que beijava a minha mão. E teve aquele amigo que me olhava diferente, que dizia que morria de saudades e que me abraçaria por três dias seguidos, mas que nunca confessou o que sentia. E eu queria que ele tivesse tido a coragem, porque eu sentia tudo aquilo também.

E toda essa coisa de amizade colorida e romance me faz lembrar que eu sempre quis uma história dessas pra mim. Desde muito nova, eu sempre sonhei em me apaixonar pelo meu melhor amigo e viver uma história diferente, um pouco confusa e complicada, como nos filmes, mas que no final sempre termina em véu e grinalda, champagne e “viveram felizes para sempre”. Mas eu nunca tive este melhor amigo em quem eu pudesse investir. Acho que o simples fato de eu pensar que eu preciso investir é o que sempre impede que as coisas aconteçam… Porque eu não quero ter que planejar, ter que me esforçar para que aconteça alguma coisa; eu quero que aconteça quando eu menos esperar, naturalmente, com a pessoa mais improvável… E daí sim vai ser perfeito.

Este mês faz um ano que eu estou solteira depois do meu último namoro e a conclusão que eu tiro é que, apesar de até pouco tempo eu estar me sentindo espetacularmente de bem com a vida por estar sozinha, eu não fui feita para ficar solteira. Por mais que eu não me importe em fazer os meus programas sempre sozinha — e eu não me importo mesmo, porque eu faço —, ter uma companhia, alguém para conversar e te deixar sorrindo sozinha feito uma boba me parece muito mais interessante. Me sinto mais completa quando estou com alguém, mais motivada para fazer minhas coisas, mais boba, mais feliz, mais tudo. Sou assim, preciso de alguém para me mimar, me fazer carinho, me abraçar e me dizer que eu sou especial. E eu geralmente sou ótima em fazer o mesmo de volta e deixar que a pessoa saiba o quanto ela é importante para mim. Sou uma eterna romântica e #nemtoli.

Resumindo a história, eu estou esperando pelo meu Justin Timberlake… Alguém sabe por onde ele anda?

Gostou deste post?
(0)
Comente Este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 comentários em "Amigos com Benefícios"
  • Ain, nem me fale, tô doida pra ver esse filme, desde que vi o cartaz no cinema, falei que ia ver rs. Mas agora que li o post, fiquei com mais vontade ainda KKKKKKK acho que vou ver essa semana ainda, pelo menos espero (:

  • “amigos com beneficios”, “amizade colorida”, “sexo sem compromisso”… isso nunca funciona, exceto nos filmes.

  • Ahh, seu post foi tão fofo que me deu vontade de assistir o filme! rsrs
    Já baixei, só falta a legenda xD

    Fernanda! Agora que entendi pq vc sempre me adicionou nas redes sociais, vc é blogueira e lembra de mim! uahauhauahua #aloka
    Eu não lembrava de ti, perdão! Mas sempre lembrava do Confabulando, não da pra esquecer, ainda mais por causa do nome :)

    E aliás depois de um longo inverno, voltei pra blogosfera :D

    Beijos! =**

  • Menina, acabei de ler a página sobre você e tô pasma! Vc é MUITO parecida comigo o_O Ou será que eu que sou parecida com vc? hahahaha, adorei ^^

  • Já tive amigos que eu suspeitei que gostava de mim, mas ainda bem em todos os casos já namoram ou estão namorando, ia fica tão triste se um amigo meu se apaixonasse por mim e eu não, coitado iria sofrer ; (
    Desde muito nova, eu sempre sonhei em me apaixonar pelo meu melhor amigo +1
    Não sou a única haushaushsuhasu
    Sei la…sou suspeita para falar (nunca me apaixonei), mas acho que um romance assim deve ser perfeito – ou esse é meu lado romântico falando haushaushaush

  • Oi Fer!
    Então, vou fazer agora o comentário que meu celular apagou de manhã.
    Engraçado, eu ia lendo o seu post e pensando “nossa, ela é muito diferente de mim”…
    Primeiro, porque eu nunca tive amizades coloridas. Nunca gostei de um amigo meu, e que eu saiba, nunca nenhum deles se apaixonou por mim. Lógico que a gente se abraça, troca palavras de carinho, mas sempre no sentido só de amizade!
    Aliás, nunca aconteceu porque eu NUNCA quis me apaixonar pelo meu melhor amigo. Quer dizer, a partir do dia que eu finalmente encontrei um amigO (porque antes eu achava que era impossível ser amiga deles), eu acho a coisa mais estranha pensar em transformar qualquer um dos melhores em namorado (e hoje, gosto até mais de amizade com eles do que com a maioria das mulheres, que só é fútil e invejosa). Priiincipalmente meu aprendiz, vulgo melhor amigo. Ele é importante demais pra mim, meu irmãozinho, e perder a amizade dele por um “término de namoro” seria quase que como perder um pedaço de mim.
    Acho sim, que tem que existir amizade entre um casal. Mas sempre imaginei uma amizade diferente inclusive da colorida! Aquela amizade que já começa de um modo diferente, sabe?

    Nossa, escrevi uma bíblia, sorry!
    Beijinhos!

  • Oi, Fê! Então… pronta pra ler uma bíblia? rs

    Eu já vivi vários lados dessa história…
    Um grande amigo meu (grande mesmo, ele tem uns 2m =P heh) se apaixonou por mim qdo estávamos na 8a série… eu gostava de um outro menino, que nem ligava pra mim. Aí no último dia de aula ele se declarou. Todo mundo já sabia, menos eu. Foi um choque pra mim, pq nunca me imaginei tendo algo com ele… e eu, sem noção, disse isso pra ele. Ambos ficamos mal, choramos… e ele decidiu se mudar pra casa do pai no Recife, pq disse que num ia aguentar mais ficar perto de mim sabendo que eu não gostava dele. Foi tennnnnso! Ele voltou depois de um ano e o clima ficou estranho, a amizade não era mais a mesma. Ainda hoje qdo nos encontramos, é tudo meio bagunçado… aí decidi que não ia mais ficar íntima de amigOs pra evitar isso. Mas num deu, né?
    Mas daí, logo no 1º ano da faculdade, teve o Amigo (lembra que eu falava dele no twitter direto?). Desde o começo da nossa amizade meio que saíam faíscas… a gente discutia, brigava, mas ficava sempre junto e todo mundo sempre dizia que ia rolar alguma coisa (o engraçado é que ele nem relava em mim, parecia que tinha medo de encostar e não conseguir mais soltar). Mas eu namorava. Qdo fiquei solteira, as investidas começaram. Eu adorava passar noites e noites papeando com ele, jogando indiretas e reclamando da nossa solidão. Mas ele nunca tomou nenhuma atitude (nem eu). Hoje me arrependo MUITO disso, pq eu acho que daria certo. E na época, tudo o que eu precisava era de um casinho, nada sério, só algo físico, só algo que fizesse eu me sentir bonita, sabe? Mas o que me impediu de investir nessa coisa de amigos com benefícios foi o fato de eu prezar muito pela nossa amizade e ter medo de perdê-la… vai que me dá uma crise de ciúme e eu estrago tudo? vai que a química que eu tava esperando não rolasse? vai que…

    Bom, fugi um pouco do post, mas eu queria compartilhar minhas experiências com você e dizer que o dia em que aparecer o seu Justin Timberlake, não perca tempo e não tenha medo de arriscar… pq é horrível conviver com aquele sentimento do “e se”…

    É só… Beijos, querida!

  • A gente sempre espera, né Fe? Eu tô na mesma situação que você, mesmo me sentindo muito bem do jeito que estou, solteira, as vezes bate aquela vontade de ter alguém do lado! Mas vai dar tudo certo pra nós =] Ah vai!

    Já falei que amo seu blog? Acho que já, né? Mas não custa nada repetir!

    Beijos querida!

  • Posso confessar q chorei no filme? Ah, nemé mais novidade, huahua!

    Mas ain, sabe oq eu smp penso qd bate aquela depressãozinha? Antes só do q mal acompanhada! Pensa bem se vc ia qrer qq um do seu lado? É melhor esperar pelo cara certo! Com os errados a gente só se diverte brevemente e os deixa passar, pra ficar tem q ser especial! Eu pelo menos to numa fase super curtindo meus amigos e até mesmo a família. Temos q ser gratas por eles fazerem parte das nossas vidas, por trmos saúde e sucesso! Não dá pra ter tudo e ficar reclamando, temos q aproveitar, uma hora a pessoa certa vem;) E eu não ia querer te ver com qq zé mané (q é o q + tem por ai)! Chin up, cuide do seu jardim q as borboletas virão;)