22 fev 2015

7 coisas que eu odeio no trânsito

Postado às 18:24 | 2 comentários
Categorias: Miscelânea

Eu, simplesmente, amo dirigir. Amo mesmo, de verdade. Eu tirei minha carteira de motorista quando eu tinha 19 anos e dirijo, praticamente, todos os dias desde então. Bom, ou quase isso. Por esse motivo, nunca me importei em trabalhar em outra cidade (leia-se Porto Alegre, okz?) e levar cerca de 40 minutos para chegar todo dia na empresa e mais tudo isso de novo para voltar. Ou até 2h, dependendo do dia da semana e do horário. Eu ligo o rádio num volume bem alto e fico ouvindo os meus artistas favoritos, cantando e dançando como se não houvesse amanhã... Engato a primeira e vou, bem tranquila.

Eu amo dirigir!

No entanto, tem algumas coisinhas que me tiram do sério quando estou dirigindo... E já adianto, engarrafamento não é uma delas. Claro, é um saco ficar trancado no trânsito, naquele "anda um pouquinho e freia" sem fim, dirigindo a 20km/h por uma distância que parece não acabar nunca. Mas isso não me irrita, só é muito chato. Mas quem dirige sabe, faz parte. O que me estressa de verdade são coisas mais específicas. Vamos à lista?

1) Motoqueiro que acha que o corredor é sua própria pista

Tem coisa mais irritante do que motoqueiro que passa buzinando do seu lado, quase levando o seu retrovisor junto? Ou pior, quando você vai trocar de pista e aparece, do nada, uma moto que quase bate em você? E, sim, você deu seta e olhou antes de trocar de pista, mas ela não estava lá segundos antes... Eu queria que todas as motos andassem na pista e não ficassem atrapalhando o trânsito e me causando infartos — levo cada susto com motoqueiros quase batendo em carros e ônibus, que chego a pisar no freio por reflexo. Resumo da história, eu odeio motos. E odeio motoqueiros que não respeitam as leis de trânsito. Ou seja, todos eles. Andem nas suas pistas, suas pragas. Que coisa mais séria!

2) Veículos que não dão seta para dobrar ou trocar de pista

Isso é para ser a coisa mais simples do mundo: se você quer dobrar ou trocar de pista, primeiro você liga a seta, depois olha pelos espelhos para ver se tem espaço e está tudo tranquilo e então vai... Mas não, os arigós só enfiam o carro na frente do seu ou param drasticamente na esquina, para entrar na rua de repente. Ou pior, ligam a seta um segundo antes de dobrar, achando que vai adiantar alguma coisa... Meo, se você sabe que vai dobrar ali, liga a seta beeem antes, não tem problema. É melhor ser adiantado e deixar todo mundo avisado, do que ficar atrapalhando todo o trânsito e quase causando acidentes... Não entendo a dificuldade. É dose, viu?

3) Quando o veículo que está vindo logo atrás não reduz para deixar você trocar de pista e, ao invés disso, acelera ainda mais e corta na sua frente

Esse problema seria resolvido com apenas uma coisa: gentileza. As pessoas estão sempre com muita pressa e querem tirar proveito de todas as situação possíveis. Por conta disso, não podem deixar outra pessoa entrar na sua frente, mesmo que isso signifique tirar o pé do acelerador por dois segundos. É tudo uma questão de deixar o trânsito fluir melhor... Grande coisa você tocar o seu carro por cima dos outros só para dizer que chegou primeiro, já que você não ganhará nada por isso. Seja gentil, dê espaço para alguém passar à sua frente, quando necessário. E, por favor, néam? Nada de ficar andando em zig zag entre os outros carros... Tudo tem limites.

4) Quando você está vindo em uma velocidade considerável e um veículo entra de outra rua na sua frente, em velocidade tartaruga

A regra é clara: se você for entrar numa rua e ver que está vindo um outro veículo, certifique-se de que dará tempo de fazer a conversão e entrar no fluxo do trânsito, sem que os outros carros precisem usar freios ABS para deixar você passar... Ou seja, se tiver pouco espaço, entre na via e pise no acelerador com tudo. Ou nem entra, né? Se você quer entrar em ritmo de lesma, espere até abrir um buraco maior (ui!)... Vendo pelo outro lado, se você está vindo rápido e percebe que tem alguém querendo entrar na rua, tente trocar para a pista ao lado (se tiver, claro) para que ele consiga entrar e você não precise parar, frear ou atrapalhar o trânsito... É tão simples. Basta usar o bom senso.

BR 166 (Canoas/RS)

Trecho da BR-116, que eu pego todo dia na volta do trabalho...

5) Motoristas que não conseguem fazer a curva em sua própria pista e invadem metade da sua

Esse item é bem crítico. Principalmente, porque eu passo por isso todo santo dia. Eu não consigo encontrar uma explicação para esse fenômeno: ou todo mundo está dirigindo bêbado ou só eu e uns gatos pingados enxergamos linhas imaginárias ao fazer a conversão. Se você está na faixa da direita, ao dobrar ou fazer a curva, deve continuar na mesma faixa da direita, certo? Eu não posso estar tão louca assim... O fato é que, em momentos como este, eu sempre prefiro ir mais devagar e esperar para ver o que o motorista do lado vai fazer: se atravessar na minha frente ou fazer a curva como uma pessoa normal. E todo mundo sempre escolhe a primeira opção... Por que, meu Deus? Por que?

6) Veículos que grudam na sua traseira e ficam colocando luz alta

Amigão, se você quer que eu deixe você me ultrapassar, não faça isso... Jamais. Eu posso ter me distraído por alguns segundos e não ter visto você se aproximar, mas isso não justifica você jogar luz alta na minha cara... Geralmente, eu troco de pista quando vejo que alguém está vindo com mais velocidade do que eu, mas se você ficar me incomodando, eu provavelmente não sairei da frente de propósito. Está com pressa? Sai mais cedo de casa. Quer passar? Passa por cima. Não tenho paciência com pessoas grossas e estúpidas no trânsito... Se eu deixar você passar mesmo assim, é porque simplesmente não quero que você estrague o meu dia. Já vai tarde, demônio.

7) Quando um veículo vem pelo acostamento ou por um atalho proibido e embica o carro para entrar na sua frente

Primeiro, a pessoa já começou fazendo errado por vir por um lugar que não podia. Segundo, se você estava esperando na fila à frente dela, por que deveria deixá-la passar agora? De novo, as pessoas não têm paciência e só querem contar vantagem. Se todos os motoristas seguissem as regras à risca, esse tipo de problema não aconteceria... E é chato pra caramba, né? Cara, espera a sua vez. Eu já estava aqui, esperando para seguir o meu caminho. Quando for a sua vez, você também irá. Em alguns casos, eu não me importo em deixar alguém passar na minha frente, por exemplo, alguém que estava meio perdido e precisava dobrar exatamente naquela rua à direita... Ok, tudo bem, você pode passar. Mas quando você sabe que a pessoa apenas está dando uma de esperta, ãh-ãh... Eu não deixo passar e ainda olho com cara feia... Humpf! Se toca, filho!

Sou bastante paciente e costumo ser gentil no trânsito, mas tem gente que abusa, néam? E daí dirigir vira sinônimo de incomodação na certa. Não, gente. Vamos evitar o estresse! Já tem tanta coisa para nos deixar chateados nessa vida, dirigir não deveria ser uma delas... Dirigir é tão legal.

Se todo mundo se comportasse direitinho enquanto dirige, o trânsito seria muito mais agradável e aconteceriam menos acidentes também. Vamos prestar mais atenção, ser mais gentis e deixar o fluxo seguir em paz... E, se você também dirige, tente não incomodar o trânsito alheio, fazendo coisas como as dos itens que citei acima... O trânsito agradece. E eu também.

16 fev 2015

Tag: 14 coisas sobre 2014

Postado às 13:19 | 6 comentários
Categorias: Blog, Memes e Tags

Recebi uma indicação da Grazi para fazer essa tag, no final do ano passado, mas só consegui me organizar para responder agora. Antes tarde do que nunca, não é verdade? Achei a tag bem legal e diferente, porque ela faz um resumão de 2014, através de 14 perguntas sobre temas variados. São 14 sobre 2014... Entendeu o trocadilho? Ahn, ahn? Hehehe! :tongue:

14 coisas sobre 2014

Bom, vamos às perguntas e respostas...

1) Qual foi a melhor coisa que aconteceu para você em 2014?
Definitivamente, foi ter conseguido um novo emprego, em uma empresa bacana, com a qual eu me identifico de verdade e me sinto feliz em fazer parte... Apesar de estar lá há pouco tempo, já me sinto em casa e acredito que seja a melhor empresa em que eu já trabalhei. Agradeço todos os dias por ter conseguido essa oportunidade.

2) Qual foi a pior coisa que aconteceu para você em 2014?
Dois mil e quatorze foi um ano muito bom para mim, no geral, portanto não consigo pensar em nada muito ruim que tenha acontecido. Talvez, ter perdido as fotos de 4 dias da minha viagem a Boston e New York tenha sido a pior delas... Eu fiquei muito triste, mas eu sei que poderei tirá-las novamente quando eu voltar aos dois locais em um futuro breve. Então, sem pânico.

3) Qual foi o momento mais marcante de 2014?
Acredito que tenha sido quando eu desci do avião em Boston e li a frase "Welcome to Boston" no corredor do aeroporto... Sonhei por mais da metade da minha vida em ir para os Estados Unidos e foi um momento muito especial para mim quando aquilo passou a ser realidade. Eu nunca vou me esquecer de como me senti naquele dia... Foi incrível.

Chegando em Boston...

4) Qual foi o momento menos marcante de 2014?
Acredito que tenha sido o período de férias que minha ex-empresa me obrigou a tirar, antes de me mandar embora... Foram 10 dias inúteis em casa (não pude viajar porque estava tendo aulas da pós-graduação), que não fiz nada de útil, já que estava chateada e preocupada em encontrar um outro emprego o quanto antes... The joke is on you, bitches.

5) Qual foi a melhor música de 2014?
Conforme o Last.fm, a música que eu mais ouvi em 2014 foi "Chains", do Nick Jonas. No entanto, acho que a música que mais marcou o meu ano foi "Jealous" (também do Nick Jonas) e que está em segundo lugar na lista. Escutava essa música diversas vezes no mesmo dia e não me cansava. O engraçado é que eu nunca fiz nenhuma associação com alguém, ou seja, eu a ouvia realmente porque gostava da sua sonoridade... E, sendo assim, acho que ela foi a melhor.

6) Qual foi o melhor clipe de 2014?
Sem dúvidas, "Thinking Out Loud" do Ed Sheeran. Sem comentários.

7) Alguém fez o seu 2014 valer a pena?
Sim, dois amigos que fiz na pós-graduação e que, hoje em dia, são as pessoas mais próximas de mim e que eu mais gosto. Se essa especialização não servir para nada profissionalmente (ei, bate na madeira!), pelo menos valeu por ter trazido essas duas pessoas tão queridas para mais perto de mim. Bruno e Pri, amo vocês! <3

8) Alguém te decepcionou em 2014?
Sim, um ex-colega de trabalho... Ficamos bem próximos conforme fomos nos conhecendo e, do nada, ele se afastou de mim. Eu sabia que era por conta de alguns problemas pessoais, mas não entendo como você pode significar tanto para uma pessoa e, mesmo assim, ela não querer mais falar com você. Fiquei bem magoada logo que aconteceu, mas resolvi esquecer e seguir adiante.

9) O que você fez em 2014 e faria novamente?
Viajaria para um lugar que nunca fui, sozinha... Eu faria de novo porque foi mágico. Conhecer um lugar diferente apenas com a sua própria companhia é uma experiência incrível... Eu recomendo muito (em algum momento da sua vida) e faria de novo, de novo e de novo.

10) O que você mudaria em 2014?
Acho que nada. Se eu pudesse, teria saído antes do meu emprego anterior, mas eu acredito que as coisas acontecem quando realmente devem acontecer... E o timing da troca de empregos foi perfeita, então, provavelmente, eu não mudaria nada.

11) Qual foi a melhor selfie do ano?
Em termos de beleza e visual, acho que eu diria esta, esta ou esta, mas a minha escolha não será baseada nesse quesito... A melhor selfie de 2014 é esta aí embaixo, bem sem graça mesmo, mas eu explico o porquê. Essa foto foi tirada no dia 27 de agosto, minutos antes da virada para o dia 28, meu aniversário. Eu estava em New York, sozinha, atirada na cama, muito cansada, após mais um dia de bateção de perna pela rua... Eu não tinha mais forças no corpo (sério!), mas eu estava extremamente feliz e precisava registrar o momento. Prestes a entrar nos 30 anos, aquele foi um dos momentos mais sensacionais da minha vida.

A melhor selfie de 2014...

12) Você realizou algum desejo em 2014?
Sim, viajei para os Estados Unidos sozinha para passar lá o meu aniversário de 30 anos. Comecei a planejar essa viagem com mais de um ano de antecedência e, graças a Deus, saiu tudo como o planejado. Foi um item riscado da minha bucket list e pretendo voltar para lá de novo ainda esse ano... *cruza os dedos*

13) Você cumpriu alguma meta que tinha estipulado para 2014?
Sim, também. Duas metas, na verdade. A minha primeira meta era não comprar nenhuma roupa de janeiro a agosto, porque eu estava economizando para fazer essas compras na minha viagem aos Estados Unidos. Hehe! E a segunda, ser aprovada em todas as disciplinas da pós-graduação com nota A. Foi um ano bem intenso e trabalhoso, mas eu atingi minhas metas e terminei 2014 com a sensação de dever cumprido. Ufa!

14) O que você espera de 2015?
Espero que seja um ano tão bom quanto foi 2014 para mim e que eu encontre muito sucesso na minha profissão e nos meus projetos pessoais. Espero também que os meus verdadeiros amigos estejam sempre por perto, fazendo valer cada momento da minha vida.

E é isso! Espero que as respostas tenham sido interessantes... Não vou indicar a tag a ninguém, porque já estamos na metade de fevereiro (já?), mas se alguém achar interessante e quiser fazer, avise-me pelos comentários, para que eu possa ler suas respostas também. Combinado? Até a próxima, então.

14 fev 2015

Jane The Virgin é divertido e cheio de suspense...

Postado às 20:02 | 0 comentários
Categorias: Seriados

Um dos novos seriados que eu comecei a assistir no ano passado foi Jane The Virgin... Antes da estreia, eu assisti o teaser que a The CW divulgou sobre a nova série e já fiquei bem interessada. Lembro-me de ter visto alguma propaganda do seriado quando eu estava nos Estados Unidos e isso me chamou ainda mais a atenção. Quando o piloto foi ao ar, em outubro de 2014, eu baixei o episódio logo em seguida, para ver se era legal mesmo... E adorei! A história é bem diferente e inusitada: a personagem principal engravida, sem nunca ter transado. Calma, eu explico...

O seriado gira em torno de Jane Gloriana Villanueva (Gina Rodriguez), uma garçonete de 23 anos, bastante religiosa, que mora com sua mãe solteira e avó. Quando pequena, sua avó Alba (Ivonne Coll) lhe ensinou que ela não poderia voltar atrás se perdesse sua virgindade e, portanto, Jane fez uma promessa de apenas transar após o seu casamento. Jane namora com Michael (Brett Dier), um detetive policial extremamente apaixonado e que está prestes a fazer-lhe a grande pergunta. Em uma visita ao ginecologista, a médica responsável confunde as salas de suas pacientes e faz uma inseminação artificial por engano em Jane, com o esperma de Rafael Solano (Justin Baldoni). Petra Solano (Yael Grobglas), esposa de Rafael, era a paciente que estava na outra sala da clínica e que deveria ter recebido a inseminação, para fazer uma surpresa ao marido.

Jane The Virgin

Jane com sua avó, Alba, e sua mãe, Xiomara...

Dias depois, Jane descobre que está grávida, o que é um choque para todos, pois ainda é virgem. Ao retornar à clínica, a médica admite o seu erro e revela a identidade do dono do esperma. Jane descobre que o pai do seu futuro bebê é Rafael, um playboy que ela conheceu anos atrás em um clube onde trabalhou e com quem trocou um beijo na época. Agora, Jane precisa decidir se ficará com a criança ou a entregará a Rafael e Petra, que se ofereceram para criar o bebê. Michael, que agora está noivo de Jane, revela a ela que não quer começar seu casamento com uma criança de outro homem e pede a Jane que dê a criança ao casal. Quando Jane decide processar a médica pelo procedimento errôneo, acaba descobrindo que se trata de Luisa Alver, irmã de Rafael.

Jane The Virgin

Jane e Michael Cordero, seu noivo...

Após todas essas mudanças drásticas e muito inesperadas em sua vida, Jane também descobre que o astro internacional da telenovela "The Passion of Santos", Rogelio de la Vega (Jaime Camil), é seu pai biológico. Sua mãe, Xiomara Villanueva (Andrea Navedo), engravidou quando era muito jovem e não teve mais notícias do pai da criança, até que o reconheceu na televisão e o procurou para contar sobre Jane. Desde então, Rogelio está tentando se reaproximar da filha, que é a sua maior fã e não perde um episódio da telenovela... Bom, pelo menos antes de saber a verdade.

Jane The Virgin

Jane tirando um selfie com o astro da telenovela (e seu pai biológico), Rogelio de la Vega...

Mas nem tudo vai às mil maravilhas... Rafael descobre que sua esposa está tendo um caso com seu melhor amigo e só continua casada com ele, pois está interessada no seu dinheiro. Quando Jane descobre que Rafael e Petra estão se divorciando, decide que não entregará mais a criança a eles e que cuidará do bebê junto com seu noivo. Agora solteiro, Rafael começa a se aproximar de Jane, para acompanhar a gestação de seu filho, e coloca o noivado de Jane e Michael em risco. Mais tarde, Jane descobre que Michael já sabia toda a verdade sobre Petra e não havia contado a ela (pois ainda queria que Jane entregasse o bebê ao casal), o que faz o relacionamento dos dois ficar bastante frágil. Com isso, Jane e Rafael ficam cada vez mais próximos. Digo, bem próximos.

Jane The Virgin

Jane e Rafael... Como não amar?

Jane The Virgin

Fora a história relacionada à gravidez e as reviravoltas na vida de Jane, o seriado também envolve a investigação de alguns crimes em Miami, que acontecem no Hotel Marbella, onde Jane trabalha e que pertence a Rafael e sua família. Junto com sua parceira, a detetive Nadine Hansan, Michael está tentando desvendar todos os detalhes de uma operação ilegal que está ocorrendo no hotel e também quer descobrir a verdadeira identidade de Sin Rostro, o grande chefão.


Gosto do jeito como o seriado é apresentado... Todos os episódios são narrados por um locutor, em terceira pessoa, e tem legendas especiais em algumas cenas, explicando com mais detalhes quem são os personagens (de verdade) e o que está acontecendo. Como o seriado retrata uma família latina, muitos personagens falam em espanhol em diversas cenas, deixando a história com cara de novela mexicana, de uma forma engraçada. A avó de Jane, por exemplo, só fala em espanhol em todas as suas cenas. A história é muito divertida e bastante contagiante... E além disso, todos os acontecimentos estão interligados e acabam se transformando em uma imensa bola de neve, bastante interessante de assistir. Existem cenas de suspense, comédia, romance e até um pouco de drama.

Estou adorando muito o seriado e sempre corro para assistir o próximo episódio, assim que é lançado... O último exibido foi o episódio #13 e eu já estou ansiosíssima pelo décimo quarto. A série já está com a segunda temporada confirmada e promete ficar cada vez mais interessante... E adivinha quem já está shippando mais um casal? Eu, eu, eu.

Jane The Virgin

JAFAEL FOR THE WIN! :love:

12 fev 2015

Paraquedas

Postado às 16:38 | 3 comentários
Categorias: Textos

E, do nada, ele caiu de paraquedas na minha vida.

Eu estava distante, em outro mundo, pensando em outras coisas e querendo não me prender a nada. Querendo não me apegar a ninguém. No início, foi um pouco estranho. Falávamos idiomas diferentes e havia um mar de quilômetros entre nós dois. Mas acho que foi uma surpresa boa, algo fora do script, não planejado... Era diferente para mim e divertido também. Ele era divertido. E ele sabia o que estava fazendo.

Paraquedas

Sem que eu notasse, ele amarrou um fio de barbante em volta da minha bolha de sabão e foi me puxando lentamente para mais perto dele. Levei algum tempo para perceber que eu estava mudando de lugar, mas a nova paisagem parecia ser agradável, colorida também. Começamos a nos falar mais, conversar sobre assuntos aleatórios. Ainda estávamos em estágios diferentes, ele querendo se aproximar de mim e eu querendo recuar de qualquer situação incerta que pudesse me derrubar. Ele sabia muito sobre mim. Eu não sabia nada sobre ele.

Começamos a conversar mais e mais. Aos poucos, fui coletando informações sobre ele e percebi que ele era muito diferente do que deixava as pessoas perceberem... Ainda assim, ele era de um mundo muito afastado do meu, mas não tão divergente quanto eu imaginava. Passei a enxergar um pouco do que ele tinha por dentro, abaixo da máscara, e me surpreendi bastante. Ou talvez fosse apenas uma grande cena de teatro, nunca saberei. Mas isso fez minha barreira baixar um pouco e eu quis conhecê-lo mais a fundo, de verdade. Saber mais e me envolver mais.

E então uma noite mudou toda a nossa trajetória. Ou a minha, pelo menos... Acho que foram as palavras que trocamos, do jeito que trocamos, e eu pude ouvir a minha ficha caindo, fazendo um estrondo e ecoando dentro de um quarto vazio. Fiquei um pouco assustada, mas eu sei que era o que eu precisava ouvir para me deixar correr o risco. Tentar a sorte ou o azar. No dia seguinte, depois de um silêncio ensurdecedor, ele apareceu nos meus sonhos pela primeira vez. Acordar, depois de tudo aquilo, foi difícil. Algumas noites após aquela, ele apareceu novamente, dessa vez me deixando com vontade de nunca mais acordar. Mas eu pisei no freio, continuei indo devagar e sem pensar demais sobre isso. Fui apenas aproveitando os momentos, as conversas, os vácuos de horas entre uma mensagem e outra.

Ele não era comum e nem um pouco fácil de agradar. Ele sabia o que queria e estava planejando cada jogada com muita atenção para conseguir chegar lá, onde quer que isso fosse. Eu sabia que devia ser cautelosa, que não podia acreditar naquela história, que o jogo ia acabar antes mesmo da ampulheta chegar ao fim, mas os pequenos detalhes me diziam que eu deveria arriscar. Eu só queria que ele saísse da minha cabeça por alguns segundos, mas notei que isso tinha se tornado bastante impossível. Antes do que eu imaginei que pudesse acontecer, cheque-mate.

Tudo ficou mais claro quando eu senti o primeiro frio na barriga. São poucos os indivíduos que têm o privilégio de me causar esse fenômeno. E, geralmente, isso é um indicativo de que eu não posso mais voltar atrás. Aquilo apenas confirmou que as coisas estavam mesmo mudando e que eu estava indo para a direção errada. Os suspiros também vieram. Eu já não estava mais só, ele estava sempre comigo. À distância.

Ele se tornou presente em todos os dias da minha vida. Sem exceção. E, querendo ou não, isso estava me fazendo bem. Deixando-me um pouco ansiosa, mas de uma forma boa. Ele me fazia sorrir e me fazia pensar. Ele colocava muitas pulgas atrás da minha orelha... Era sempre ousado, muito ousado. E isso era bom, eu acho, porque eu sou certinha demais. Ele me tirava da minha zona de conforto e me fazia querer tentar de formas diferentes. Ele deu nó na minha cabeça, me deixou encarando o celular por horas e também me fez companhia quando eu estava a sós com os meus botões. Ele fez amizade com os meus botões e resolveu que não ia mais arredar os pés da minha cabeça. E eu disse "tudo bem, eu gosto de te ter por aqui."

Vou voltar para minha bolha de sabão...

Até ontem, ele era um estrangeiro para mim. E, de repente, eu queria ele mais perto, dentro da minha bolha de sabão. Eu queria colo, queria abraço, queria ele do meu lado. Eu queria acreditar nessa história louca e fingir que tudo estava como deveria estar. Mantive-me em alerta em todos os momentos, mas eu já não me importava mais com isso. Eu queria tirar os dois pés do chão e voar para onde o vento soprasse. Eu não queria pensar em fronteiras, não queria me preocupar com gasolina e pedágios. Ou milhas aéreas. Eu não queria pensar muito, porque eu sabia que o caminho seria interditado em breve, independente de qual fosse o obstáculo.

Depois de tanta euforia, desencontros e contradições, os ponteiros se desalinharam. Nada mais estava sincronizado. E, sinceramente, eu não estava preparada para isso. Eu não achei que tudo fosse se dissolver tão cedo, que a quilometragem fosse se tornar permanente. Os dias estavam contados e eu sabia disso. O mapa foi rasgado em duas partes, ele simplesmente não deu tchau e foi embora. Talvez para sempre, talvez por um longo intervalo de tempo. Talvez ele volte, talvez não. Talvez nunca mais. Eu não sei.

Agora eu vou juntar o paraquedas do chão e voltar para a minha bolha de sabão. Talvez eu nem devesse ter saído dela, estava mais segura lá. Mas de uma forma ou de outra, eu precisava disso para me mostrar que o lado esquerdo do meu peito não estava envolto por um iceberg, afinal de contas. Ele está lá, adormecido e se preparando para voos mais altos. Quando eu acertar o vento e as asas começarem a ganhar altura, tenho certeza de que a vista lá de cima será incrível. Por enquanto, o que eu sei é que sentirei falta deste paraquedista.

10 fev 2015

Achadinhos de beleza

Postado às 09:44 | 7 comentários
Categorias: Beleza

Eu não sou a pessoa mais cuidadosa ou dedicada desse mundo quando se trata de beleza... Não tenho paciência para hidratar os cabelos de tempos em tempos, secá-lo com o secador toda vez que eu lavo ou aplicar cremes de pentear para modelá-lo sempre que saio de casa. Não costumo passar hidratante no corpo após o banho, pintar as minhas unhas com uma certa frequência ou até mesmo remover a maquiagem antes de dormir, se eu chego em casa muito cansada. Acabo sempre recorrendo ao que é mais prático e que consigo fazer rapidamente, ao invés de perder horas do meu dia para ficar mais bonita. Ou algo do tipo.

Por este motivo, sempre que encontro algum produto que me dá bons resultados de uma forma bem simples, ele acaba virando um favorito para mim... E hoje eu venho contar para vocês sobre 3 produtos que comecei a usar no ano passado e que viraram meus melhores amigos. Nenhum deles é novidade no mercado ou são produtos inovadores, mas acredito que, daqui para frente, eles sempre estarão presentes na minha nécessaire.

Achadinhos de beleza...

1) Demaquilante aquoso, da Quem Disse, Berenice?

Sem dúvidas, este foi o melhor removedor de maquiagem que eu já usei. Antigamente, eu usava um outro demaquilante bifásico, mas como a pele do meu rosto é um pouco oleosa, ele não era uma opção muito boa para mim. Sem falar que a maquiagem não saía com muita facilidade e eu precisava esfregar bastante o algodão no rosto para conseguir remover todos os resíduos... Mas este demaquilante da Quem Disse, Berenice? é bem diferente. Você aplica só um pouquinho do líquido no algodão, passa sobre a pele e tchum: sai tudo. O rosto fica com uma aparência bonita após o uso, sem deixar a pele oleosa e avermelhada. Além de limpar a pele, ele também tonifica, refresca e hidrata. E o melhor de tudo: tem um preço bem acessível e é fácil de encontrar por aí para comprar. Adoro muito e não troco por nada!

Demaquilante aquoso, da Quem Disse Berenice?

Preço: R$ 27,90 | Quer comprar?

2) Hello Darling Fragrance Mist, da Victoria's Secret

Este produto eu trouxe da minha viagem a NYC no ano passado... Eu fui na Victoria's Secret para comprar muitos cremes hidratantes e acabei trazendo uma destas deo colônias para testar e ver se eu gostava. No final das contas, eu estou a usando mais do que os hidratantes em si. Como o verão por aqui é muito quente, estou preferindo aplicar a deo colônia ao invés do perfume todos os dias de manhã, pois a fragrância é mais suave e refrescante, não deixando aquele cheiro forte e enjoativo. Esta fragrância que eu escolhi é uma delícia (qual fragrância da VS não é, néam?), que é uma mistura de nectarinas com peônias... A próxima vez que eu for aos EUA, vou comprar mais alguns e montar um estoque no meu banheiro... Tem sido uma ótima alternativa para esses dias de calor, além de deixar um cheirinho delicioso na pele e nas roupas... Estou apaixonada!

Hello Darling Fragrance Mist, da Victoria's Secret

Preço aproximado: R$ 40,00 | Quer comprar?

3) Dream Fresh BB Cream, da Maybelline

Mil anos depois de os BB Cream virarem moda por aqui, finalmente eu comprei um para mim... Este também veio de NYC e foi comprado em uma farmácia qualquer, em 5 minutos. Eu tenho o costume de me maquiar todos os dias de manhã, no entanto, achava que passar base no rosto dava uma aparência muito carregada para esta hora do dia. Eu testei algumas outras bases com cobertura leve, mas não achei que davam o resultado que eu queria. Isso foi até eu aplicar pela primeira vez esse BB Cream da Maybelline. O produto promete 8 benefícios: hidrata, disfarça as imperfeições, adapta-se ao tom da pele, suaviza, ilumina, realça a beleza da pele, não tem óleos e possui FPS 30. Ele pode ser aplicado em peles secas e normais e é disponibilizado em cinco tons diferentes — aqui no Brasil, só existem três. #fail A cobertura dele é bem suave, escondendo um pouco das minhas sardinhas e manchinhas do sol, sem deixar a pele com uma aparência muito artificial ou carregada. A aplicação é bem rápida e fácil (quando estou com pressa, aplico com os dedos mesmo) e ele não mancha ou fica marcado no rosto. Para dar acabamento à maquiagem, aplico uma leve camada de pó, delineador, rímel e batom e estou pronta. Acho melhor do que aplicar base, justamente por ele ser bem leve e fácil de aplicar. Pá, pum.

Dream Fresh BB Cream, da Maybelline

Preço aproximado: R$ 30,00
Quer comprar?

Espero que gostem das dicas... Achei que era válido compartilhar com vocês essas informações, porque sempre tem alguém procurando por soluções práticas e eficazes e creio que estas sejam algumas delas. Se tiverem outras dicas rápidas de beleza e quiserem compartilhar, escrevam nos comentários, okz? Sempre é bom conhecer novidades e testar coisas diferentes. Assim que eu tiver mais dicas, postarei aqui... Então até a próxima!

07 fev 2015

Filme: "O Destino de Júpiter"

Postado às 17:13 | 2 comentários
Categorias: Filmes

De uns tempos para cá, eu andei indo bem pouco ao cinema... Com as indicações do Oscar, eu resolvi me atualizar um pouco sobre os filmes que estão saindo agora e passando em cartaz nos cinemas daqui. Ontem de manhã, eu decidi que ia sair para assistir um filme de noite, porque eu precisava arejar um pouco a cabeça. E fui sozinha mesmo, como sempre. Conferi todos os filmes que estavam em cartaz e fiz uma listinha dos que eu queria assistir. Obviamente, "O Destino de Júpiter" (ou "Jupiter Ascending") ficou em primeiro lugar, simplesmente porque juntaram dois dos meus atores hollywoodianos favoritos em um filme só: Channing Tatum e Mila Kunis.

O Destino de Júpiter

O filme conta a história de Jupiter Jones (Mila Kunis), uma empregada doméstica comum que vive ilegalmente nos Estados Unidos, vinda da Rússia com sua família, após a morte de seu pai. Bom, mas isso é o que ela acha... Na verdade, ela é descendente de uma linhagem real e, por direito, a dona do planeta Terra. Para não deixá-la ocupar este posto, Lorde Balem manda alguns de seus subordinados para matá-la e continuar usando os recursos do planeta ao seu favor. No entanto, Caine Wise (Channing Tatum), um ex-militar alterado geneticamente, que tem como missão levá-la para assumir o seu lugar de direito, aparece para salvá-la no último segundo. Até conseguirem tudo o que precisam para torná-la Rainha da Terra, ambos são perseguidos e vivem juntos vários momentos de perigo, pavor (por parte dela), coragem (por parte dele) e pitadelas de romance.

Para começar, o filme se passa em Chicago. Antes mesmo de eles citarem o nome da cidade, eu já tinha a reconhecido. Em meio a lutas, dá para reparar na beleza da cidade, como o seu famoso skyline, os prédios mais importantes e o belíssimo Rio Chicago, enquanto a mesma é destruída. Eu fiquei bem encantada com o que vi e ainda mais apaixonada pela cidade. Ainda bem que tudo foi destruído só de mentirinha...

Mila Kunis e Channing Tatum

Mila Kunis e Channing Tatum

A química entre Mila Kunis e Channing Tatum já é percebida logo no início do filme... Talvez seja porque eu gosto muito de ambos os atores, mas achei que eles combinaram perfeitamente. A atuação dos dois também está muito boa, apesar de que acho que a surpresa fica por conta do ator Eddie Redmayne, que interpreta o Lorde Balem. Channing Tatum exibe um corpo incrível em diversas cenas sem camisa (além daquela boca maravilhosa que ele tem, néam?) e a fofa da Mila Kunis está linda no filme inteiro, principalmente na cena com a roupa branca e vermelha de seu casamento com Titus (Douglas Booth). O filme é de encher os olhos...

Channing Tatum

Mila Kunis

Mila Kunis

Achei a história muito louca no início, mas depois as coisas começaram a fazer sentido. Você não consegue desgrudar os olhos da tela em nenhum momento, por todos os 127 minutos. As cenas que mostram os outros planetas, universos e naves são muito bonitas e os efeitos especiais são muito bem feitos, deixando o filme bastante real, apesar de ser uma história de fantasia e ficção científica. Gostei bastante e poderia tranquilamente vê-lo no cinema novamente. E ah, assisti em 3D e achei que valeu a pena. Levei alguns sustos (de pular da cadeira, literalmente) no meio de algumas lutas... Foi bem legal! #sqn

Channing Tatum

Para mim, a última cena foi a melhor do filme inteiro... Sabe quando você vê algo e aquilo mexe com você lá dentro? Não tem como explicar. Pode ser que isso tenha sido pelo combo de meus atores favoritos juntos, mas eu cheguei a sentir um calafrio quando vi a cena... E saí do cinema com vontade de repeteco e meio abobada, achando aquilo muito fofo. E digo que foi um detalhe bem particular que deu o toque especial... E então ela fala "I think I can get used to this". Morte lenta para mim... Hahaha! Amei! Cinco estrelas, quero ver de novo e já quero comprar o DVD! Eu sou suspeita para falar, mas é só amor esse filme... :love:

01 fev 2015

Christina Perri em Porto Alegre... Eu vou!

Postado às 18:27 | 2 comentários
Categorias: Música, Shows

Estava eu, linda e bela, dando uma volta no shopping após um longo dia de trabalho, quando lembrei que precisava pegar dinheiro para pagar o estacionamento. Fui em direção aos caixas eletrônicos e, assim que passei na frente da bilheteria do teatro, notei um anúncio com uma foto da Christina Perri... Meodeus, como assim? Vai ter show da Christina Perri em Porto Alegre e eu não sabia? Perguntei o valor do ingresso na hora e já o comprei ali mesmo, sem pensar, para não deixar esgotar e perder o show, como aconteceu com o show da Demi Lovato ano passado. Mas não vamos falar sobre isso, porque é capaz de eu começar a chorar só de lembrar que eu não fui naquele show... Buá, buá, buá. :crying:

Ingresso comprado para o show da Christina Perri...

Pois bem! A Christina Perri nem é tão conhecida aqui no Brasil, mas eu me apaixonei por ela há alguns anos, quando ouvi pela primeira vez a belíssima música "Jar of Hearts", sendo cantada em um episódio do The Voice US. Depois disso, eu resolvi baixar o álbum de estreia da cantora para conhecer o trabalho dela. E virou paixão de verdade quando eu descobri "Distance", um lindo dueto com o Jason Mraz e uma das minhas favoritas. Inclusive, algumas músicas do álbum dela viraram tema para algumas coisas da minha vida... Mas isso é passado, então #abafa.

Christina Perri

Acho que a música mais conhecida da Christina é "A Thousands Years", que entrou para a trilha sonora dos dois últimos filmes da saga Crepúsculo, "Amanhecer - Parte 1" e "Amanhecer - Parte 2". Inclusive, após o sucesso da música, a cantora gravou uma segunda versão, em parceria com o cantor Steve Kazee, que ficou conhecida como "A Thousand Years - Part 2". Ambas são lindas!

Christina Judith Perri, ou apenas Christina Perri, é americana, nascida em Bensalem, no estado da Pensilvânia. A moçoila aprendeu a tocar guitarra sozinha quando tinha 16 anos e, aos 20, se mudou para Los Angeles, onde começou a produzir alguns videoclipes. O sucesso veio quando se apresentou no programa So You Think You Can Dance, cantando "Jar of Hearts". A música foi muito bem recebida pelo público e, em 2010, a cantora assinou um contrato com a gravadora Atlantic Records, por onde lançou um EP e o seu primeiro álbum de estúdio. Em 2011, a música "A Thousand Years" estourou por todos os cantos do mundo e a cantora ficou bem conhecida no cenário musical. Além destas duas músicas, "Arms" e "Distance" também foram singles deste primeiro álbum, chamado "Lovestrong.

Christina Perri

Em 2014, Christina lançou o seu segundo álbum de estúdio, chamado "Head or Heart". A música "Human" foi lançada no ano anterior como o primeiro single e teve um reconhecimento bastante forte no país. Ano passado, a cantora lançou "Burning Gold" e "The Words" como singles, mas o alcance das músicas não foi muito bom. Após o lançamento do segundo álbum, Christina saiu em turnê pelos Estados Unidos, abrindo os shows da Demi Lovato. É muito amor! :heart:

Christina Perri

Estou ansiosíssima pelo show dela aqui em Porto Alegre, que acontecerá no dia 25 de abril. Além desta data, a cantora também se apresenta no Rio de Janeiro (22/04) e em São Paulo (24/04). Eu tenho certeza que será um show incrível e que vou sair de lá ainda mais apaixonada por ela. Não vejo a hora de vê-la ao vivo naquele palco! Ahhhhhh! :love:

26 jan 2015

Em dois mil e quinze eu vou...

Postado às 22:22 | 3 comentários
Categorias: Pessoal

Com o início de um novo ano, geralmente nos sentimos mais motivados para estabelecer novos objetivos para os meses que estão por vir no calendário. Comigo não foi diferente... O último ano foi muito bom para mim e eu pretendo fazer de 2015 um ano ainda melhor, se isso for possível. Para isso, estipulei algumas coisinhas que quero fazer e preciso me dedicar um pouco mais para atingir os resultados esperados e sentir que o ano valeu de verdade.

A listinha não é muito longa e contém itens que, certamente, poderei fazer com os recursos que tenho em mãos. Eu já cheguei à conclusão de que listar metas impossíveis não serve para nada, então o melhor é me comprometer com o que eu sei que posso cumprir agora, sem problemas. Cada passo de uma vez. Não me preocupo em riscar todos os itens, mas quero ter a certeza de que fiz o melhor que pude em cada um deles... Partiu lista?

Em 2015 eu vou...

Voltar a fazer musculação (e emagrecer)

Ano retrasado, eu parei de fazer musculação e continuei apenas com as aulas de dança, pois eu precisava reduzir meus gastos e priorizar onde eu gastaria o meu tempo. Alguns meses atrás eu decidi que voltaria a malhar assim que eu organizasse minha vida e minhas finanças, voltando à minha rotina de exercícios. Então estipulei que começaria o ano entrando em forma, voltando à academia no dia 5 de janeiro. Promessa é dívida! Encontrei uma sede da Smart Fit perto de onde eu trabalho e estou adorando voltar à ativa... Primeiro item da lista já está riscado e agora é focar no objetivo: emagrecer, emagrecer, emagrecer.

Voltar a correr (e emagrecer)

Esta é uma das coisas que eu já perdi as contas de quantas vezes comecei e parei... Mas eu vou tentar não parar mais desta vez e alcançar o meu objetivo: correr 10Km. Eu quero ganhar mais resistência, fortalecer os músculos e melhorar meu (des)preparo físico, que geralmente me deixa esbaforida em poucos minutos. Mas vou devagarinho, treinando continuamente e aumentando o ritmo em etapas. Por enquanto, só estou correndo na esteira, mas quero voltar a correr na rua o quanto antes. Além de tonificar pernas, abdômen e glúteos, acho um excelente exercício para limpar minha cabeça e pensar na vida... E, de quebra, ainda consigo emagrecer.

Voltar a fazer aulas de dança (e emagrecer)

Na metade do ano passado, eu larguei todas as aulas de dança que eu estava fazendo... Leia-se ballet, jazz, street dance e dança de salão. Eu andava muito cansada e estressada e achei melhor dar um tempo para a cabeça e para o corpo, me concentrando em coisas mais importante para mim naquele momento. Agora já estou recuperada, bem descansada, e quero voltar aos poucos a fazer as minhas aulinhas... Em março, eu começo um curso de extensão de Dança de Salão na PUCRS. E, em breve, quero encontrar uma nova academia para voltar às outras danças também. Adoro dançar e sei o quanto isso faz bem ao corpo e à mente. Esse ano vai ser um ano bem movimentado, se depender de mim...

Planejar minha próxima viagem

Fiz a melhor viagem da minha vida no ano passado (em breve, contarei tudo aqui no blog) e, em 2015, quero repetir a dose. A intenção é viajar no final deste ano, portanto, já estou começando os planejamentos desde então. O local e as datas já foram definidos (depois de muitas dúvidas) e agora eu preciso pesquisar as passagens aéreas, reservar os hotéis e montar os roteiros. Hmm, a melhor parte. Depois de tudo comprado e organizado, é só começar a contagem regressiva para embarcar... Já não vejo a hora!

Decorar o meu apartamento

No final do ano passado, mudei-me para o meu novo apartamento e o mobiliei com o essencial para poder morar... Móveis para a sala, cozinha e banheiro, cama, geladeira, fogão e máquina de lavar roupa. E agora vem a parte mais legal: a decoração. Quero pintar os cômodos novamente e comprar alguns objetos decorativos, para deixar a casa com a minha cara. Eu não tenho pressa, mas quero — aos poucos — deixar tudo do jeito que sempre sonhei. Porque mesmo sendo bem simples, é meu.

Comprar um cachorro

Desde que me entendo por gente, quero ter um beagle. Eu acho a raça lindinha demais e, agora que estou morando sozinha, acho que é o momento certo para ter uma companheirinha para todos os dias. Ainda nem a comprei, mas ela já tem nome há anos: Lica. Se tudo correr como o planejado, ela estará em casa comigo já nos próximos três meses. E preciso começar as orações para que ela faça xixi e cocô nos lugares certos e não coma meus móveis e meus sapatos. Haha! Mesmo assim, tenho certeza que valerá a pena... E nem invente de dizer que não é aconselhável ter um beagle em um apartamento. A escolha já foi feita anos atrás, okz?

Escrever o artigo da minha pós-graduação

Em julho deste ano, eu termino todas as disciplinas da minha pós-graduação e então tenho que escrever o artigo para a conclusão do curso. Eu já escolhi o tema e já sei quem eu quero que seja minha orientadora, agora só preciso fazer o convite e torcer para que ela tenha disponibilidade. Preciso começar a pesquisar referências, ler alguns livros e anotar algumas diretrizes para o meu trabalho. Eu quero entregar o artigo pronto até o final de novembro e, de preferência, antes de ir viajar. Espero que dê tudo certo!

Colocar em prática alguns dos meus projetos pessoais

No ano passado, eu resolvi parar de fazer freelas de design e web, porque eu precisava de tempo para colocar em prática os meus próprios projetos. Sendo assim, este ano eu tenho um pouco mais de tempo para tirar do papel muito do que pensei por anos e anos. Tenho vários projetos que gostaria de desenvolver, mas alguns deles são mais prioritários. Gostaria de encerrar o ano com, no mínimo, três deles concluídos e bem encaminhados, mas veremos ao longo dos meses como estarei de tempo e inspiração. Dois mil e quinze é o ano para focar em mim e investir no meu potencial... Ninguém me segura!

Investir na minha carreira e aprender muito

Assim como eu falei no item anterior, este ano eu quero trabalhar bastante, fazer bons projetos de design e absorver tudo o que eu conseguir. Adiei por muito tempo o meu desenvolvimento profissional e acho que está na hora de priorizar isso também. Eu quero ter orgulho do meu trabalho e encher a boca para falar que fui eu que fiz. Sei que vou precisar trabalhar um pouco mais, mas será por um bom motivo. Sucesso na minha profissão é algo que ainda falta no meu quebra-cabeça da vida...

Ufa! Espero chegar no final de dezembro com todas essas metas cumpridas. Eu também espero que algumas boas surpresas me tirem dessa inércia cotidiana e bagunce um pouco o meu ano, me trazendo coisas diferentes e incríveis para a minha vida. Nem sempre o que está planejado do início ao fim é o que faz a vida valer a pena... Então, dois mil e quinze, me surpreenda. Seja um ano repleto de alegrias, com menos perguntas e dúvidas e mais respostas e soluções. Um ano cheinho de realizações, ok?

20 jan 2015

Tag: One Lovely Blog

Postado às 22:40 | 4 comentários
Categorias: Blog, Memes e Tags

Algumas semanas atrás, recebi uma indicação da Poly para fazer essa tag aqui no blog... Como eu ando bem atrapalhada com os meus horários, só estou postando hoje... E não é por falta de assunto, viu? Ando com muitas ideias para novos posts, mas não estou conseguindo sentar na frente do computador e escrever. A semana é bem cansativa para mim e, à noite, não me sobra muito ânimo para me dedicar um pouquinho ao blog. Mas prometo melhorar daqui pra frente... Bom, vamos à tag!

Tag: One Lovely Blog

01) Por que decidiu criar um blog e quando começou?
Acredito que tudo começou por conta da minha paixão pela escrita... Desde pequena, eu sempre tive diários e adorava escrever sobre o meu dia a dia. Também gostava muito de compor poesias, letras de músicas, inventar histórias e contos e mandar cartinhas para amigos e conhecidos. Por volta dos 12 anos, eu criei o meu primeiro site, onde eu publicava gifs, letras de músicas e outras besteirinhas. Em 2004, o site assumiu formato de blog e então eu comecei a contar sobre o meu cotidiano, sentimentos, experiências, hobbies, paixões, etc... Desde então, não parei mais.

02) Quais os benefícios que o blog te traz?
Acredito que ele ainda sirva mais como uma válvula de escape para mim do que qualquer outra coisa... Eu gosto de vir aqui e falar sobre as coisas que acontecem na minha vida, sobre minhas experiências e aprendizados, sobre as coisas que eu gosto e me fazem bem, o que acaba sendo uma terapia para mim. Além disso, também tive a oportunidade de conhecer diversas pessoas legais (e de longe), com quem compartilho pensamentos, sentimentos, ideias e alegrias.

03) Qual o post mais acessado?
O post mais acessado do meu blog é o Jogo: Subway Surfers. Não tinha nem ideia, mas ele já tem cerca de 13 mil visualizações... Fiquei pasma! Aliás, preciso voltar a falar sobre jogos e aplicativos para smartphones e tablets. Pelo visto, este tipo de post atrai bastante leitores. :happy:

04) Você usa redes sociais?
Sim, muito. Eu sou viciada em Twitter (quer me stalkear, me segue lá!) e também uso bastante o Swarm e o Instagram. Além destas, também estou sempre fuçando no Tumblr e no We Heart It. And FYI, faz mais de um ano que não tenho conta pessoal no Facebook (deletei for good!) e não sinto nenhuma falta... Obrigada, de nada.

05) Como o blog tem evoluído?
Acredito que ele está amadurecendo junto comigo... No início, ele era estritamente pessoal, tipo diário mesmo. Aos poucos, eu comecei a escrever sobre outros assuntos de meu interesse e fui o moldando para ser o que ele se tornou hoje: uma aleatoriedade de coisas que fazem parte do meu mundo. Atualmente, ele está exatamente do jeito que eu sempre quis. Escrevo sobre temas bem diversificados, mas de uma forma ainda bem pessoal... Ainda não cheguei ao meu objetivo, mas sei que estou no caminho certo... E, independente disso, continuo (e sempre continuarei) blogando por amor, então o que eu ganhar em troca já é suficiente.

06) Já viveu algum fato importante por causa do blog?
Acredito que nada muito relevante até agora, que eu me lembre... Mas tenho boas expectativas em relação a ele e creio que algo bacana está para acontecer muito em breve. Sigo acreditando nisso. Até porque a esperança é a última que morre, não é mesmo?

07) De onde nasce a inspiração para escrever e continuar com o blog?
Tenho milhares de ideias todos os dias de assuntos para postar no blog e preciso anotá-las em um caderno para não me esquecer ou deixar passar a oportunidade de falar sobre aquilo... As ideias vêm de acontecimentos do cotidiano, das coisas que faço, do que leio, escuto, vejo e sobre o que eu sinto. Para mim, é uma fonte infinita e tenho certeza que nunca ficarei sem inspiração para escrever... Escrever é tudo o que eu sei.

08) O que você tem aprendido a nível pessoal e profissional esse ano?
Os dois últimos anos foram anos de muito aprendizado para mim, de uma forma geral... Aprendi a ser mais racional, menos emotiva, mais otimista, menos apegada a ideias, pessoas e regras da minha cabeça e, principalmente, mais paciente. Aprendi também que coincidências não existem e que tudo o que realmente importa demora para acontecer (e que, às vezes, o caminho até lá pode te machucar um bocado). Estou em paz comigo mesma e aproveitando cada momento da vida. Profissionalmente, estou aprendendo a confiar mais no meu potencial e a não ter medo de errar, pois é errando que aprendemos e podemos melhorar os nossos resultados. Aprendi que posso chegar onde eu quiser, desde que eu tenha dedicação, persistência e fé. Desistir nunca é uma opção!

09) Qual a sua frase favorita?
"Não existem coincidências, tudo acontece por um motivo." No momento, é o que eu repito para mim mesma todos os dias... Tem surtido efeito.

10) Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo dos blogs?
Não crie um blog para ganhar dinheiro ou pela fama... Escreva por amor e fale sobre as coisas que você realmente gosta. Desta forma, o conteúdo será mais autêntico e ficará mais fácil atrair pessoas que se identifiquem com você. Você não precisa ter mil acessos por dia para fazer a diferença na vida de algumas pessoas... Se 5 pessoas acessarem o seu blog e gostarem do que estiver lá, você já ganhou o seu dia.

11) O que os blogs que você vai indicar tem em comum?
Hoje eu vou indicar alguns blogs das antigas, do pessoal que escreve há muitos anos e continua nessa vida de blogueiro por amor mesmo. São blogs pessoais e com um conteúdo bem singular, que eu adoro ler sempre que sobra um tempinho... Meus indicados são: Lilika, Rithynha, Adrika, Angélica e Ju Leipnitz.

17 jan 2015

8 sinais de que está na hora de trocar de emprego

Postado às 20:10 | 2 comentários
Categorias: Comportamento

De nada adianta ter sua vida pessoal muito bem estruturada e cheia de coisas boas, se sua vida profissional vai de mal a pior... Quem trabalha fora, passa cerca de 9h por dia em sua empresa, tendo que conviver com pessoas, regras e hábitos que podem não ser ideais para si. Nos últimos meses, tenho dado bastante importância à minha carreira e cheguei à conclusão de que não vale a pena se manter em um emprego apenas por dinheiro ou estabilidade. Antes de mais nada, é preciso ter qualidade de vida, estar em um local que te faça bem e que te impulsione a ser um melhor profissional, adquirindo experiência e atingindo objetivos pessoais.

Para conseguir manter um equilíbrio entre sua vida pessoal e profissional, é preciso olhar com bastante atenção para alguns detalhes. Seja sincero e analise se você está realmente feliz com o seu emprego, se você se identifica com a sua empresa, se você gosta do que faz e se acha que é o melhor para a sua carreira e seu futuro estar onde está. Não tenha medo de mudanças ou de largar um emprego antigo (e que te aborrece) para correr atrás do emprego dos seus sonhos, em alguma empresa que te complete — e não uma que sugue todas as suas energias.

Cansado do seu emprego?

Levando tudo isso em consideração, elaborei uma lista com 8 simples sinais de que, talvez, esteja na hora de atualizar o seu currículo e buscar uma nova vaga no mercado. Cada caso é um caso, mas é importante avaliar se essa medida não é realmente necessária para você. Seja um pouco egoísta e pense no que é melhor para a sua carreira: ficar em um emprego insuportável, que te dá estabilidade, ou fazer parte de uma organização que te realiza profissionalmente?

1) Você não gosta (mais) do que faz

Muitas vezes, o trabalho pode se tornar repetitivo e bastante monótono. Essa rotina do dia a dia acaba sendo entediante e, em alguns casos, até desmotivante... Mas pior do que isso, é ter que fazer todo dia algo que você detesta. Embora esta não seja uma razão suficiente para largar seu emprego (ou talvez seja sim), ela pode pesar bastante se outros detalhes também não vão muito bem em sua empresa. Independente do motivo, não se acomode fazendo o que você não gosta. Busque uma profissão que te permita realizar atividades com paixão e que façam o seu esforço valer a pena no final do dia. Mesmo trabalhando e se empenhando em dobro, fará mais sentido dedicar grande parte do seu dia fazendo algo que você aprecia e te faz bem.

2) Você não se sente bem no ambiente de trabalho

Mas pode ser que não sejam as atividades do dia a dia que te incomodem... É o local de trabalho em si. Nada te agrada naquele lugar e você só enxerga motivos para se irritar, perder a paciência e pessoas que não te acrescentam nada. Resumindo, o ambiente de trabalho te faz mal. Então o que você ainda está fazendo lá? Se você acorda todo dia de manhã e não tem vontade alguma de ir trabalhar, é porque você está no lugar errado. Desejar que o dia passe rápido não é uma solução... Você precisa encontrar um local que te proporcione bem-estar e que esteja de acordo com a sua personalidade. Apenas se sentindo bem de verdade é que você conseguirá realizar o seu trabalho devidamente.

Objetivos diferentes?

3) Seus valores e objetivos não coincidem com os da empresa

Por mais que você goste do que faz e das pessoas com quem você trabalha, se os seus objetivos e valores não estiverem sincronizados com os da empresa, será difícil colher resultados positivos onde trabalha. Você enxerga um horizonte, a empresa busca outro. É provável que essa parceria não dê certo. Ambos precisam acreditar nas mesmas coisas e buscar atingir as mesmas metas. Se vocês estão indo para lugares bem diferentes, talvez seja melhor desembarcar e seguir o seu próprio caminho. Quanto mais você demorar para descer, mais tempo levará para chegar ao seu destino e maior será a distância que terá que percorrer. Certifique-se de que você está alinhado com as ideias da empresa primeiro, antes de investir em sua carreira ali. Com certeza, fará mais sentido caminhar lado a lado com alguém que almeja os mesmos objetivos.

4) Você não se sente valorizado dentro da equipe

Mesmo quebrando a cabeça para fazer um ótimo trabalho, você raramente é reconhecido pelo seu esforço e dedicação. Além disso, não existe qualquer tipo de motivação por parte dos seus superiores, chefes ou líderes e você não sente que está sendo financeiramente recompensado pelo seu excelente trabalho. Soa familiar? Então se mexa! Não se contente em trabalhar em um local onde o que você pensa não tem valor e você é visto apenas como uma peça no tabuleiro. Talvez essas pessoas não enxerguem o seu potencial (ou tenham medo dele), mas uma equipe deve trabalhar em conjunto, somando ideias e propondo melhores soluções. Se você deseja se sentir mais envolvido com a equipe e nas decisões do projeto, provavelmente é o momento de encontrar uma nova equipe para compartilhar suas experiências e opiniões.

5) Você não sente orgulho de dizer onde trabalha

Este fator pode ser bastante crítico para a sua carreira, porque ao mesmo tempo em que você não se importa com sua empresa, você provavelmente não está dando o seu melhor nas tarefas que está realizando. E, neste caso, a única pessoa que está perdendo é você. Quando a gente se sente parte de algo, geralmente se dedica e trabalha com mais empenho, porque acredita que o sucesso do todo é o nosso sucesso também. Quando isso não acontece, nossa vontade de fazer algo bem feito é quase inexistente, porque nos sentimos desmotivados a maior parte do tempo. Se você trabalha em um lugar que realmente admira, você terá vontade de crescer e mostrar o seu trabalho aos quatro cantos do mundo. Portanto, não deixe que isso atrapalhe o seu sucesso profissional. Encontre uma empresa da qual se orgulhe em trabalhar e vista a camisa.

Deseja mudar de carreira?

6) Você gostaria de mudar sua área de atuação

Quando isso ocorre, não há muito o que fazer. Você descobre um novo mundo de possibilidades e não quer mais continuar fazendo o que estava fazendo até então... Tudo bem, acontece. Neste caso, é bastante óbvio que continuar onde você está não é uma solução, certo? Se você gosta de onde trabalha, tentar negociar uma nova vaga no setor desejado pode ser o plano perfeito. Mas se isso não for possível (ou extremamente demorado e complicado), é mais simples buscar uma realocação no mercado e encontrar uma vaga que esteja dentro do seu novo objetivo. Não tenha medo de começar de novo; mudanças são sempre bem-vindas e, geralmente, trazem uma nova energia para nossas vidas. Procure outra vaga, outra empresa e seja feliz.

7) Você não sente que está mais aprendendo ou ganhando experiência

Chega uma hora em que você realmente parece não estar mais absorvendo nada. Quando isso acontece, é sinal de que precisamos de novas experiências e aprendizados. Em momentos como este, devemos nos permitir explorar novas oportunidades, para expandir nossos conhecimentos e continuar seguindo em frente. Ficar estagnado não agrega valor ao seu trabalho, portanto não considere isso uma opção. Se você nota que algo está te impedindo de crescer, não se acomode. Seja ousado, mude a sua rotina. Trocar de trabalho e respirar novos ares pode ser o que você precisa para recuperar o ânimo e voltar a aprender ainda mais...

8) Você não se identifica com ninguém dentro da empresa

E então você descobre que trabalha com pessoas que tem perfis completamente diferentes do seu e, na maior parte do tempo, você se sente deslocado. O cenário pode ser bem estranho em alguns casos. As pessoas não conversam umas com as outras, não existe colaboração entre os colegas no trabalho, você escuta fofoca pelos corredores, seus superiores não comunicam com clareza as metas da empresa e dos projetos... Tudo isso acaba impactando no seu desempenho, obviamente. Você se sente mal em estar com aquele grupo de pessoas. O que você precisa fazer é encontrar uma empresa que tenha um perfil mais semelhante ao seu e, consequentemente, as pessoas que estarão lá combinarão mais com você também. Se já é difícil trabalhar com quem pensa como você, imagine trabalhar com pessoas que fazem você se sentir um alien.

Keep calm and atualiza o currículo

Identificou-se com algum item? Ou vários deles? Você não precisa trocar de emprego porque se identificou com dois ou três itens, necessariamente. No entanto, o fato de você ter concordado com alguns deles significa que você anda bastante insatisfeito e desmotivado em relação ao seu trabalho. Se este for mesmo o caso, está na hora de repensar se é isso o que você quer para a sua vida... Não vale a pena se sentir desconfortável onde você passa maior parte do seu dia, então reflita se você precisa realmente passar por isso.

Seja qual for o motivo, não tenha medo de quebrar as regras e buscar algo que te faça melhor... Se você não pode ficar sem emprego e salário por alguns meses (afinal, todos temos contas para pagar), espere até encontrar uma nova oportunidade antes de pedir demissão. Mas de qualquer forma, mãos à obra. Atualize seu currículo, procure ofertas de trabalho, escolha empresas que encaixem melhor com o seu perfil e boa sorte. Certamente, em algum momento, algo bacana vai surgir e você poderá dar adeus ao velho emprego, que já vai tarde, diga-se de passagem.

Arrume suas coisas e troque de emprego...

No entanto, se você não tem mais ânimo nem para sair de casa e ir trabalhar, talvez você deva antecipar a visita à salinha de RH... Continuar infeliz com o emprego e adiar a sua saída de lá só tornará as coisas ainda piores... Então dê a volta por cima e encontre um emprego que te traga sorrisos ao rosto. Lembre-se que este tempo não volta e que só depende de você encontrar algo melhor. Então não perca tempo!