20 jan 2015

Tag: One Lovely Blog

Postado às 22:40 | 4 comentários
Categorias: Blog, Memes e Tags

Algumas semanas atrás, recebi uma indicação da Poly para fazer essa tag aqui no blog... Como eu ando bem atrapalhada com os meus horários, só estou postando hoje... E não é por falta de assunto, viu? Ando com muitas ideias para novos posts, mas não estou conseguindo sentar na frente do computador e escrever. A semana é bem cansativa para mim e, à noite, não me sobra muito ânimo para me dedicar um pouquinho ao blog. Mas prometo melhorar daqui pra frente... Bom, vamos à tag!

Tag: One Lovely Blog

01) Por que decidiu criar um blog e quando começou?
Acredito que tudo começou por conta da minha paixão pela escrita... Desde pequena, eu sempre tive diários e adorava escrever sobre o meu dia a dia. Também gostava muito de compor poesias, letras de músicas, inventar histórias e contos e mandar cartinhas para amigos e conhecidos. Por volta dos 12 anos, eu criei o meu primeiro site, onde eu publicava gifs, letras de músicas e outras besteirinhas. Em 2004, o site assumiu formato de blog e então eu comecei a contar sobre o meu cotidiano, sentimentos, experiências, hobbies, paixões, etc... Desde então, não parei mais.

02) Quais os benefícios que o blog te traz?
Acredito que ele ainda sirva mais como uma válvula de escape para mim do que qualquer outra coisa... Eu gosto de vir aqui e falar sobre as coisas que acontecem na minha vida, sobre minhas experiências e aprendizados, sobre as coisas que eu gosto e me fazem bem, o que acaba sendo uma terapia para mim. Além disso, também tive a oportunidade de conhecer diversas pessoas legais (e de longe), com quem compartilho pensamentos, sentimentos, ideias e alegrias.

03) Qual o post mais acessado?
O post mais acessado do meu blog é o Jogo: Subway Surfers. Não tinha nem ideia, mas ele já tem cerca de 13 mil visualizações... Fiquei pasma! Aliás, preciso voltar a falar sobre jogos e aplicativos para smartphones e tablets. Pelo visto, este tipo de post atrai bastante leitores. :happy:

04) Você usa redes sociais?
Sim, muito. Eu sou viciada em Twitter (quer me stalkear, me segue lá!) e também uso bastante o Swarm e o Instagram. Além destas, também estou sempre fuçando no Tumblr e no We Heart It. And FYI, faz mais de um ano que não tenho conta pessoal no Facebook (deletei for good!) e não sinto nenhuma falta... Obrigada, de nada.

05) Como o blog tem evoluído?
Acredito que ele está amadurecendo junto comigo... No início, ele era estritamente pessoal, tipo diário mesmo. Aos poucos, eu comecei a escrever sobre outros assuntos de meu interesse e fui o moldando para ser o que ele se tornou hoje: uma aleatoriedade de coisas que fazem parte do meu mundo. Atualmente, ele está exatamente do jeito que eu sempre quis. Escrevo sobre temas bem diversificados, mas de uma forma ainda bem pessoal... Ainda não cheguei ao meu objetivo, mas sei que estou no caminho certo... E, independente disso, continuo (e sempre continuarei) blogando por amor, então o que eu ganhar em troca já é suficiente.

06) Já viveu algum fato importante por causa do blog?
Acredito que nada muito relevante até agora, que eu me lembre... Mas tenho boas expectativas em relação a ele e creio que algo bacana está para acontecer muito em breve. Sigo acreditando nisso. Até porque a esperança é a última que morre, não é mesmo?

07) De onde nasce a inspiração para escrever e continuar com o blog?
Tenho milhares de ideias todos os dias de assuntos para postar no blog e preciso anotá-las em um caderno para não me esquecer ou deixar passar a oportunidade de falar sobre aquilo... As ideias vêm de acontecimentos do cotidiano, das coisas que faço, do que leio, escuto, vejo e sobre o que eu sinto. Para mim, é uma fonte infinita e tenho certeza que nunca ficarei sem inspiração para escrever... Escrever é tudo o que eu sei.

08) O que você tem aprendido a nível pessoal e profissional esse ano?
Os dois últimos anos foram anos de muito aprendizado para mim, de uma forma geral... Aprendi a ser mais racional, menos emotiva, mais otimista, menos apegada a ideias, pessoas e regras da minha cabeça e, principalmente, mais paciente. Aprendi também que coincidências não existem e que tudo o que realmente importa demora para acontecer (e que, às vezes, o caminho até lá pode te machucar um bocado). Estou em paz comigo mesma e aproveitando cada momento da vida. Profissionalmente, estou aprendendo a confiar mais no meu potencial e a não ter medo de errar, pois é errando que aprendemos e podemos melhorar os nossos resultados. Aprendi que posso chegar onde eu quiser, desde que eu tenha dedicação, persistência e fé. Desistir nunca é uma opção!

09) Qual a sua frase favorita?
"Não existem coincidências, tudo acontece por um motivo." No momento, é o que eu repito para mim mesma todos os dias... Tem surtido efeito.

10) Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo dos blogs?
Não crie um blog para ganhar dinheiro ou pela fama... Escreva por amor e fale sobre as coisas que você realmente gosta. Desta forma, o conteúdo será mais autêntico e ficará mais fácil atrair pessoas que se identifiquem com você. Você não precisa ter mil acessos por dia para fazer a diferença na vida de algumas pessoas... Se 5 pessoas acessarem o seu blog e gostarem do que estiver lá, você já ganhou o seu dia.

11) O que os blogs que você vai indicar tem em comum?
Hoje eu vou indicar alguns blogs das antigas, do pessoal que escreve há muitos anos e continua nessa vida de blogueiro por amor mesmo. São blogs pessoais e com um conteúdo bem singular, que eu adoro ler sempre que sobra um tempinho... Meus indicados são: Lilika, Rithynha, Adrika, Angélica e Ju Leipnitz.

17 jan 2015

8 sinais de que está na hora de trocar de emprego

Postado às 20:10 | 1 comentário
Categorias: Comportamento

De nada adianta ter sua vida pessoal muito bem estruturada e cheia de coisas boas, se sua vida profissional vai de mal a pior... Quem trabalha fora, passa cerca de 9h por dia em sua empresa, tendo que conviver com pessoas, regras e hábitos que podem não ser ideais para si. Nos últimos meses, tenho dado bastante importância à minha carreira e cheguei à conclusão de que não vale a pena se manter em um emprego apenas por dinheiro ou estabilidade. Antes de mais nada, é preciso ter qualidade de vida, estar em um local que te faça bem e que te impulsione a ser um melhor profissional, adquirindo experiência e atingindo objetivos pessoais.

Para conseguir manter um equilíbrio entre sua vida pessoal e profissional, é preciso olhar com bastante atenção para alguns detalhes. Seja sincero e analise se você está realmente feliz com o seu emprego, se você se identifica com a sua empresa, se você gosta do que faz e se acha que é o melhor para a sua carreira e seu futuro estar onde está. Não tenha medo de mudanças ou de largar um emprego antigo (e que te aborrece) para correr atrás do emprego dos seus sonhos, em alguma empresa que te complete — e não uma que sugue todas as suas energias.

Cansado do seu emprego?

Levando tudo isso em consideração, elaborei uma lista com 8 simples sinais de que, talvez, esteja na hora de atualizar o seu currículo e buscar uma nova vaga no mercado. Cada caso é um caso, mas é importante avaliar se essa medida não é realmente necessária para você. Seja um pouco egoísta e pense no que é melhor para a sua carreira: ficar em um emprego insuportável, que te dá estabilidade, ou fazer parte de uma organização que te realiza profissionalmente?

1) Você não gosta (mais) do que faz

Muitas vezes, o trabalho pode se tornar repetitivo e bastante monótono. Essa rotina do dia a dia acaba sendo entediante e, em alguns casos, até desmotivante... Mas pior do que isso, é ter que fazer todo dia algo que você detesta. Embora esta não seja uma razão suficiente para largar seu emprego (ou talvez seja sim), ela pode pesar bastante se outros detalhes também não vão muito bem em sua empresa. Independente do motivo, não se acomode fazendo o que você não gosta. Busque uma profissão que te permita realizar atividades com paixão e que façam o seu esforço valer a pena no final do dia. Mesmo trabalhando e se empenhando em dobro, fará mais sentido dedicar grande parte do seu dia fazendo algo que você aprecia e te faz bem.

2) Você não se sente bem no ambiente de trabalho

Mas pode ser que não sejam as atividades do dia a dia que te incomodem... É o local de trabalho em si. Nada te agrada naquele lugar e você só enxerga motivos para se irritar, perder a paciência e pessoas que não te acrescentam nada. Resumindo, o ambiente de trabalho te faz mal. Então o que você ainda está fazendo lá? Se você acorda todo dia de manhã e não tem vontade alguma de ir trabalhar, é porque você está no lugar errado. Desejar que o dia passe rápido não é uma solução... Você precisa encontrar um local que te proporcione bem-estar e que esteja de acordo com a sua personalidade. Apenas se sentindo bem de verdade é que você conseguirá realizar o seu trabalho devidamente.

Objetivos diferentes?

3) Seus valores e objetivos não coincidem com os da empresa

Por mais que você goste do que faz e das pessoas com quem você trabalha, se os seus objetivos e valores não estiverem sincronizados com os da empresa, será difícil colher resultados positivos onde trabalha. Você enxerga um horizonte, a empresa busca outro. É provável que essa parceria não dê certo. Ambos precisam acreditar nas mesmas coisas e buscar atingir as mesmas metas. Se vocês estão indo para lugares bem diferentes, talvez seja melhor desembarcar e seguir o seu próprio caminho. Quanto mais você demorar para descer, mais tempo levará para chegar ao seu destino e maior será a distância que terá que percorrer. Certifique-se de que você está alinhado com as ideias da empresa primeiro, antes de investir em sua carreira ali. Com certeza, fará mais sentido caminhar lado a lado com alguém que almeja os mesmos objetivos.

4) Você não se sente valorizado dentro da equipe

Mesmo quebrando a cabeça para fazer um ótimo trabalho, você raramente é reconhecido pelo seu esforço e dedicação. Além disso, não existe qualquer tipo de motivação por parte dos seus superiores, chefes ou líderes e você não sente que está sendo financeiramente recompensado pelo seu excelente trabalho. Soa familiar? Então se mexa! Não se contente em trabalhar em um local onde o que você pensa não tem valor e você é visto apenas como uma peça no tabuleiro. Talvez essas pessoas não enxerguem o seu potencial (ou tenham medo dele), mas uma equipe deve trabalhar em conjunto, somando ideias e propondo melhores soluções. Se você deseja se sentir mais envolvido com a equipe e nas decisões do projeto, provavelmente é o momento de encontrar uma nova equipe para compartilhar suas experiências e opiniões.

5) Você não sente orgulho de dizer onde trabalha

Este fator pode ser bastante crítico para a sua carreira, porque ao mesmo tempo em que você não se importa com sua empresa, você provavelmente não está dando o seu melhor nas tarefas que está realizando. E, neste caso, a única pessoa que está perdendo é você. Quando a gente se sente parte de algo, geralmente se dedica e trabalha com mais empenho, porque acredita que o sucesso do todo é o nosso sucesso também. Quando isso não acontece, nossa vontade de fazer algo bem feito é quase inexistente, porque nos sentimos desmotivados a maior parte do tempo. Se você trabalha em um lugar que realmente admira, você terá vontade de crescer e mostrar o seu trabalho aos quatro cantos do mundo. Portanto, não deixe que isso atrapalhe o seu sucesso profissional. Encontre uma empresa da qual se orgulhe em trabalhar e vista a camisa.

Deseja mudar de carreira?

6) Você gostaria de mudar sua área de atuação

Quando isso ocorre, não há muito o que fazer. Você descobre um novo mundo de possibilidades e não quer mais continuar fazendo o que estava fazendo até então... Tudo bem, acontece. Neste caso, é bastante óbvio que continuar onde você está não é uma solução, certo? Se você gosta de onde trabalha, tentar negociar uma nova vaga no setor desejado pode ser o plano perfeito. Mas se isso não for possível (ou extremamente demorado e complicado), é mais simples buscar uma realocação no mercado e encontrar uma vaga que esteja dentro do seu novo objetivo. Não tenha medo de começar de novo; mudanças são sempre bem-vindas e, geralmente, trazem uma nova energia para nossas vidas. Procure outra vaga, outra empresa e seja feliz.

7) Você não sente que está mais aprendendo ou ganhando experiência

Chega uma hora em que você realmente parece não estar mais absorvendo nada. Quando isso acontece, é sinal de que precisamos de novas experiências e aprendizados. Em momentos como este, devemos nos permitir explorar novas oportunidades, para expandir nossos conhecimentos e continuar seguindo em frente. Ficar estagnado não agrega valor ao seu trabalho, portanto não considere isso uma opção. Se você nota que algo está te impedindo de crescer, não se acomode. Seja ousado, mude a sua rotina. Trocar de trabalho e respirar novos ares pode ser o que você precisa para recuperar o ânimo e voltar a aprender ainda mais...

8) Você não se identifica com ninguém dentro da empresa

E então você descobre que trabalha com pessoas que tem perfis completamente diferentes do seu e, na maior parte do tempo, você se sente deslocado. O cenário pode ser bem estranho em alguns casos. As pessoas não conversam umas com as outras, não existe colaboração entre os colegas no trabalho, você escuta fofoca pelos corredores, seus superiores não comunicam com clareza as metas da empresa e dos projetos... Tudo isso acaba impactando no seu desempenho, obviamente. Você se sente mal em estar com aquele grupo de pessoas. O que você precisa fazer é encontrar uma empresa que tenha um perfil mais semelhante ao seu e, consequentemente, as pessoas que estarão lá combinarão mais com você também. Se já é difícil trabalhar com quem pensa como você, imagine trabalhar com pessoas que fazem você se sentir um alien.

Keep calm and atualiza o currículo

Identificou-se com algum item? Ou vários deles? Você não precisa trocar de emprego porque se identificou com dois ou três itens, necessariamente. No entanto, o fato de você ter concordado com alguns deles significa que você anda bastante insatisfeito e desmotivado em relação ao seu trabalho. Se este for mesmo o caso, está na hora de repensar se é isso o que você quer para a sua vida... Não vale a pena se sentir desconfortável onde você passa maior parte do seu dia, então reflita se você precisa realmente passar por isso.

Seja qual for o motivo, não tenha medo de quebrar as regras e buscar algo que te faça melhor... Se você não pode ficar sem emprego e salário por alguns meses (afinal, todos temos contas para pagar), espere até encontrar uma nova oportunidade antes de pedir demissão. Mas de qualquer forma, mãos à obra. Atualize seu currículo, procure ofertas de trabalho, escolha empresas que encaixem melhor com o seu perfil e boa sorte. Certamente, em algum momento, algo bacana vai surgir e você poderá dar adeus ao velho emprego, que já vai tarde, diga-se de passagem.

Arrume suas coisas e troque de emprego...

No entanto, se você não tem mais ânimo nem para sair de casa e ir trabalhar, talvez você deva antecipar a visita à salinha de RH... Continuar infeliz com o emprego e adiar a sua saída de lá só tornará as coisas ainda piores... Então dê a volta por cima e encontre um emprego que te traga sorrisos ao rosto. Lembre-se que este tempo não volta e que só depende de você encontrar algo melhor. Então não perca tempo!

10 jan 2015

"Multiply", o melhor álbum do ano...

Postado às 16:50 | 7 comentários

O "Multiply" (ou apenas "x"), do Ed Sheeran, foi o melhor álbum de 2014, na minha opinião. Devo confessar que ano passado eu não garimpei muito o cenário musical, como eu costumo fazer (adoro conhecer músicas e artistas novos, ainda pouco conhecidos pelo público em geral), portanto acabei dando mais atenção a quem já estava sob o meu holofote... O Ed Sheeran foi um deles!

"Multiply", do Ed Sheeran

Capa do álbum "Multiply", do Ed Sheeran...

Conheci o Ed no ano retrasado, através do Adriel, que me passou o link da música "U.N.I." em um dia qualquer de um mês qualquer. Adorei a faixa e resolvi baixar o álbum inteiro, pois o estilo do cantor tinha me chamado bastante a atenção... Obviamente, o álbum "Plus" (ou apenas "+") me conquistou logo de cara e o tudo-de-bom do Ed Sheeran ganhou (mais) uma seguidora. Ouvi o álbum repetidamente por algum tempo e depois voltei ao meu repertório em modo shuffle...

Até que me deparei com o vídeo deste show, que foi quando virei fã mesmo. Sou fascinada por apresentações ao vivo e pela energia que envolve esses momentos, e vê-lo sozinho naquele palco, fazendo maravilhas com apenas um violão, uma pedaleira e aquela voz dos deuses, fez com que ele passasse a ser um dos meus cantores favoritos, de todos os tempos. E "Multiply" tem grande culpa nisso tudo, porque o álbum é simplesmente maravilhoso.

Ed Sheeran

Ouvi o álbum uma ou duas vezes, meses atrás, e já estava apaixonada. Foi o álbum que eu mais ouvi em 2014, com certeza. Já falei aqui também sobre a minha paixão pela música "Thinking Out Loud", que foi a primeira música do álbum que tocou por dias sem parar no meu player... Então hoje, eu vou falar um pouco mais sobre esse álbum que me encantou tanto e tentar descrever um pouco de cada faixa dessa coleção de músicas, que está impecável. Vamos lá?

ONE :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
O álbum começa com "One", que foi a música escolhida para ser o primeiro single promocional de "x", antes do seu lançamento em junho de 2014... A música começa devagar, bem calminha, apenas com o som do violão dedilhado e voz. A melodia é suave e o Ed canta grande parte da música em falsete, com a voz bem sussurrada. Da metade para a frente, a música ganha um pouco mais de dinâmica, com algumas batidas e arranjos harmônicos, mas continua doce e bastante "sentimental". Ela encerra como começa, quietinha e apenas com voz e violão. Linda demais!

I'M A MESS :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
E então começa "I'm A Mess", um pouco mais animada e cheia de energia. O início dela segue o mesmo padrão da música anterior: voz e violão, a marca registrada do cantor. No entanto, ela ganha força a partir do primeiro refrão e daí só vai. Adoro a melodia do refrão e os gritos quase roucos que o Ed solta nesses momentos... A música é bem marcada pelo som do violão, dando a quem escuta a impressão de enxergar as cordas vibrando a cada nota (quem toca violão, vai entender). O final é a minha parte favorita, onde ele repete diversas vezes a mesma frase ("for how long, long I love my lover, now now"), ganhando mais intensidade ao se aproximar do final da música — e então encerrar de forma suave novamente. Certamente, é uma das minhas músicas favoritas do álbum...

SING :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
Bom, esta música todo mundo conhece, certo? "Sing" foi o primeiro single oficial do álbum, com sua estreia em abril de 2014. A música é super para cima, muito boa para dançar e já começa bem animada... Quando chega no estribilho, o Ed vai para o falsete, ao som do violão, e depois entra no refrão contagiante (a parte do "sing, oh oh oh, oh oh oh"), para ser cantada em conjunto pela plateia. E então ele começa a cantar o próximo verso como rap... Não tem como não curtir. O clipe conta com a participação do cantor e produtor Pharrell Williams e mostra uma noite do cantor em Los Angeles em versão de fantoche. Vale o play!

DON'T :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
E então começa "Don't"... Esta faixa foi o segundo single promocional do álbum e entrou na lista de paradas da Billboard Hot 100 em 86º lugar. A música inicia com a "frase" mais marcante do refrão e então vem a batida, que acompanha a melodia até o final. O Ed canta toda a canção em rap, com exceção do refrão. Ela continua bem "simétrica" até o final, mas eu gosto bastante das quebradas que ele dá em alguns versos, mudando a dinâmica da música e deixando ela mais espontânea. E o "ah, la da la da" gruda na cabeça como chiclete...

NINA :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
Esta, para mim, é a música mais sem graça do álbum. Mesmo assim, ela não é ruim... Junto com o violão, batidas que marcam a melodia da música e solinhos no piano embalam "Nina" até o final. Ela é cantada como rap e o refrão é o melhor da música. Eu geralmente passo direto esta música quando ela começa, pois não me identifiquei muito com ela. Três estrelas.

PHOTOGRAPH :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
E então as coisas se acalmam um pouco e começa a primeira balada do álbum. Linda, por sinal. A letra é muito bonita e fala sobre amar e sobre a dor que isso pode causar, quando algo não sai como planejado. O início é calmo, apenas com o violão dedilhado, baixinho, e então o Ed abre o coração e canta lindamente. A partir do primeiro refrão, a música ganha o acompanhamento de outros instrumentos e também um coro de vozes ao fundo. O refrão, cantado em falsete, é doce e mais embalado do que o resto da música. A canção ganha um pouco mais de dinâmica ao final e termina quietinha, quase a cappella. Para ouvir agarradinho com a almofada!

Ed Sheeran

BLOODSTREAM :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
A sétima faixa do álbum dá uma agitada novamente... Essa música é bem marcada pelos "nah, nah, nah, nah" e pelos "hmmm, hmmm". Hahaha! A melodia é gostosa, contagiante e dá vontade de fechar os olhos para cantar junto (desculpa, eu me empolgo com este tipo de música)... Mais para a frente, depois do segundo refrão, começa uma sequência de frases repetidas, criando um clímax até o seu final... A letra fala sobre solidão, sobre coração partido e sobre usar substâncias químicas para aliviar a dor... "I feel the chemicals burn in my bloodstream, so tell me when it kicks in... Hmmmmmm, hmmmmmm!"

TENERIFE SEA :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
"Tenerife Sea" é uma das músicas mais quietas do álbum. No show, o Ed geralmente pede para a plateia ficar em absoluto silêncio, pois a música é baixinha em muitos momentos... A introdução dedilhada no violão é muito bonita, assim como a música inteira, para dizer a verdade. A música conta os mais sinceros sentimentos dele em relação à sua mãe e como a relação dos dois é tudo o que ele precisa. O jeito que ele fala sobre ela é tão doce... Talvez essa seja uma das letras mais sentimentais do álbum. Música linda demais! Ao vivo, então, mais linda ainda.

Ed Sheeran

RUNAWAY :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
E começa mais uma música cheia de hmmm, hmmm... "Runaway" fala sobre a vontade de fugir de casa, por conta de um relacionamento complicado com o pai. Apesar de falar sobre um tema delicado, a energia da música é muito boa, com um ritmo bem contagiante... A combinação dos versos, estribilho, refrão e ponte é perfeita. Uma composição impecável! Não é uma das minhas favoritas, mas não passa despercebida de jeito algum. E o Ed fazendo "ohhh hmmm" vale pelos 3:25 de música. Hahaha!

THE MAN :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
Essa música me lembra muito "Lose Yourself", do Eminem, parte da trilha de sonora do filme "8 Mile". É um rap do início ao fim, com um refrão um pouquinho mais melódico. Eu acho incrível o jeito que ele canta rap, porque você não consegue considerá-lo um rapper, de fato. Soa como pop estilizado ou algo assim. A batida da música é bastante contagiante e o refrão é gostoso de cantar junto. Gosto quando a música de acompanhamento começa a pausar e ele fica cantando sozinho. Os solinhos de guitarra do refrão também são bem legais e moldam bem a melodia da canção... Adoro a música, de verdade!

THINKING OUT LOUD :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
Esta é, sem dúvidas, a melhor música do álbum. Desde que eu escutei pela primeira vez, já me apaixonei. A letra é linda, melodia é maravilhosa e o conjunto da obra é simplesmente incrível. A canção tocou no meu player repetidamente por dias e eu fiquei extremamente feliz quando ele anunciou que seria o segundo single de "x". Quando eu vi o clipe, me apaixonei novamente: Ed Sheeran dançando por 4:44 minutos. Ele é muito fofo! Não vou descrever a música, então, por favor, aperta o play e assista o clipe abaixo... Impossível não amar!

AFIRE LOVE :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
A música começa mais calminha, com acompanhamento de piano, e depois dá uma embalada no refrão. Nesta música, o Ed canta sobre o seu avô, que sofreu de Alzheimer por 20 anos e faleceu em 2013. A melodia é muito bonita, principalmente no final, segundos antes de acabar a música. Fora a letra, ela não chama tanto a atenção em relação às outras músicas do álbum, portanto três estrelas...

TAKE IT BACK :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
Esta é mais uma das minhas favoritas... Rap do início ao fim, com um dos melhores refrões do álbum. A música já começa direto com o verso, sem introdução, sem nada. Apenas voz e violão, durante 3:28 minutos. Os versos são falados rapidamente (não consigo cantar junto, sem errar a letra ou enrolar a língua) e são bem extensos. A intensidade sempre vai aumentando, conforme as frases vão chegando perto do refrão. E então o Ed solta um grunhido arranhado e parte para o refrão, de fato. Provavelmente, é a segunda melhor do álbum.

"I'm not a rapper, I'm a singer with the flow..."

SHIRTSLEEVES :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
Esta é uma música boa, mas que não chama muito a atenção no álbum. No entanto, a letra é ótima. Adoro o jogo de palavras que ele faz quando escreve e compõe, dizendo de uma forma completamente inusitada o que falaríamos com uma frase normal e bem sem graça. A música fala que ele secará as lágrimas da menina com as mangas de sua própria camiseta, mesmo que o relacionamento deles já esteja afundando. Ela tem um ritmo bastante animado, apesar de o Ed cantar os versos com uma voz calma e suave.

EVEN MY DAD DOES SOMETIMES :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
Mais uma balada do álbum. A música é bastante doce e fala sobre não ter problema em chorar, tremer ou até mesmo magoar alguém. A mensagem que a música passa é que devemos viver a vida intensamente e que devemos aguentar firme nos momentos de sofrimento, pois são eles que nos lembram que estamos vivos. "Even My Dad Does Sometimes" começa lentinha e depois vai ganhando um pouco mais de sonoridade. Ideal para ouvir e pensar sobre a vida...

I SEE FIRE :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
O álbum não poderia terminar com uma música melhor... "I See Fire" começa a cappella, com o Ed cantando algumas frases em um estilo meio gospel, e depois entra o acompanhamento dos instrumentos, ainda passando uma sonoridade tranquila e bastante relaxante. A faixa não tem batidas muito marcantes e vai até mais da metade apenas com o som do violão, um chocalho e um violino. Aliás, o solo de violão é incrível! Ao final, a atmosfera da canção fica mais pesada, com alguns sons mais fortes e vibrantes. Os gritos arranhados que ele solta no final são sensacionais. O álbum acaba e nos deixa com vontade de quero mais.

Ed Sheeran

x (2014)
Ed Sheeran
:star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
O álbum foi lançado no dia 20 de junho de 2014 e já teve 3 singles lançados oficialmente desde então, das músicas "Sing", "Don't" e "Thinking Out Loud". Ele contém 16 faixas (a versão deluxe do álbum tem 17, incluindo também a música "All Of The Stars", que faz parte da trilha sonora do filme "A Culpa É das Estrelas"), mesclando um pouco de baladas, músicas mais calmas, músicas mais agitadas e alguns raps. "Multiply" é o segundo álbum do cantor britânico e foi produzido em conjunto por nomes como Pharrell Williams, Johnny McDaid (Snow Patrol), Rick Rubin, entre outros. O álbum recebeu diversas críticas positivas e se tornou um sucesso mundialmente já na primeira semana do seu lançamento, chegando no topo das paradas de 12 países. Ele recebeu indicação para os prêmios de "Melhor Álbum Vocal Pop" e "Álbum do ano" para o Grammy deste ano, que acontecerá no início de fevereiro. Boa sorte, Ed!

Ou seja, o álbum é realmente muito bom. Se você ainda não escutou, faça isso. Ele foi a minha trilha sonora do segundo semestre do ano passado, praticamente. Hehehe! Ed Sheeran é muito amor e "Multiply" está multiplicando esse amor todo. Palmas, muitas palmas.

05 jan 2015

Começando de novo um novo ano...

Postado às 21:41 | 3 comentários
Categorias: Pessoal

Hoje, nesta segunda-feira, está começando oficialmente um novo ano. Dois mil e quatorze chegou ao fim, depois de ter me trazido muitas coisas boas. Terminei o ano com a sensação de que fiz o melhor que pude e que tudo estava em seu devido lugar. Foi um ano maravilhoso para mim, onde eu realizei sonhos e alcancei diversas metas, além de ter aprendido muitas coisas e moldado melhor minhas atitudes e personalidade. E agora estou entrando em 2015 com esta mesma intuição: de que este ano será fantástico...

Seja muito bem-vindo, 2015...

As comemorações de final de ano foram como sempre, bem água com açúcar... Ganhei vários presentes de Natal (e gostei de tudo, amém!) e aproveitei a última semana do ano para descansar um pouco na praia e recarregar as baterias. Foi ótimo! Hoje eu acordei bem disposta e pronta para encarar qualquer obstáculo que arremessem em minha direção... E eu sei que, mesmo com qualquer percalço, eu vou aproveitar demais estes 365 dias do calendário, fazendo acontecer e conquistando ainda mais do que conquistei no ano passado. Eu realmente acredito nisso.

Este ano vai ser um tanto diferente também... Sei melhor como agir diante de certas situações e estou mais confiante, mais determinada. Nem adianta sentar do meu lado e tentar puxar o freio de mão, porque 2015 é o ano de colocar a mão na massa e fazer sonhos virarem realidade. Ok? Tenho grandes expectativas e sei que posso voar longe, se eu realmente quiser.

E é isso. Eu não poderia ter começado o ano de forma mais positiva... I'm on fire! Chega de ficar parado, esperando as coisas caírem em nossas cabeças... O certo é correr na chuva mesmo, se molhar e ir colhendo os resultados aos poucos, pelo caminho. Sei o meu destino final e não vou desistir até chegar lá. E digo mais, quero tentar passar essa energia boa para quem quiser me acompanhar nesta maratona... Porque tudo fica mais fácil e divertido quando a gente faz junto de pessoas queridas por nós, com amor e com vontade. Então vem comigo.

Dois mil e quinze, estou contando contigo. Quero que cada dia teu me traga (ao menos) um motivo para sorrir e que, na linha de chegada, tudo tenha valido a pena. Mesmo que algo aqui e ali não tenha saído como o planejado ou conforme esperado, que o somatório das experiências, momentos e oportunidades desses doze meses seja positivo. Assim como eu estou.

11 dez 2014

Wishlist de Natal

Postado às 21:50 | 16 comentários
Categorias: Pessoal

Já que o ano está terminando, resolvi roubar a ideia do post da Paula e fazer uma wishlist de Natal também... Sei que não vou conseguir comprar todos os itens até o final do ano, mas daí fica de reminder pro próximo ano de coisas que eu realmente preciso comprar. Coloquei coisas bem variadas na lista, apesar de ter sido bem difícil encontrar os dez itens abaixo — porque eu provavelmente teria colocado só roupas... Hahaha! Ando meio viciada em reformular o meu closet, então ando paquerando as vitrines das lojas por todos os lugares que eu passo... Mas isso é assunto para um outro post. Segue aí a listinha...

Wishlist de Natal 2014

01) Calça Jeans Vermelha: Sabe quando você encasqueta com uma peça de roupa e precisa comprar a qualquer custo? Essa calça vermelha anda me perseguindo, porque eu já procurei meio mundo e ainda não encontrei a bendita do jeito que eu gostaria... Quero esta cor bem específica, um vermelho vibrante com modelagem reta, mas está impossível de achar. Eu até experimentei alguns modelos na Renner, mas eu não gostei de como elas ficaram no corpo (aliás, as calças da Renner nunca ficam bem no corpo)... Enfim, sigo procurando a danada. Se alguém souber onde eu encontro, avisa, please.

02) CDs do Ed Sheeran: Ano passado (ou retrasado?) foi o ano em que eu me apaixonei por Ed Sheeran com todas as minhas forças, assim como aconteceu com Adele em 2011. Acho incrível as coisas que ele escreve e as músicas, em geral, são ótimas. Esse último álbum está ainda mais sensacional e, por conta disso, quero comprar os dois CDs dele para tocar no meu rádio, em casa. Para quem não sabe, eu coleciono CDs dos meus artistas favoritos, mesmo estando na era digital... Lalala! Enfim, quero muito os dois álbuns. Só não comprei ainda, porque os preços estão nas alturas (Edinho custa caro, gente!) e eu gosto de esperar uma promoçãozinha para pagar um pouco menos. Aceito de presente! #ficaadica

03) Livro "Finale": Estou há tanto tempo para comprar este livro, que até tinha esquecido que eu não tinha terminado de ler a saga "Hush, Hush", da autora Becca Fitzpatrick. Mas eu preciso, urgente. Gostei bastante dos três primeiros livros e me encantei com o personagem sombrio e esquisitão do Patch Cipriano. O romance entre ele e Nora Grey também é bem bonitinho. Sou romântica, me deixem! Gostaria muito de ver a história na telinha do cinema, inclusive. :love: Mas antes preciso terminar de ler a saga, ou seja, preciso comprar o último livro. Também aceito de presente. Lalala!

04) Máquina de Costura Portátil Singer: Ainda não escolhi o modelo, mas já decidi que quero uma máquina da Singer... Aprendi a costurar com minha mãe e minha tia quando eu era bem novinha e, desde o ano passado, estou com mil ideias de coisas que quero fazer sob medida pra mim mesma. Fora outros projetos, que ainda são planos futuros. Assim que der, vou escolher o modelo direitinho e comprar a máquina, para sair costurando tudo... Hehehe! Aliás, alguém me recomenda algum modelo? Preciso de dicas.

05) Blusa Regata Branca: Este é mais um item daqueles que eu procuro em tudo quanto é lugar e não encontro do jeito que eu quero em lugar algum. #chateada Eu quero uma blusinha regata branca lisa, bem básica mesmo, que seja de um tecido fresquinho, tipo viscose ou um poliéster transparente. Eu preciso ter uma peça coringa para usar com jeans, saias, calças sociais e até shorts ou bermudinhas jeans. Está me fazendo muita falta. Até vi alguns modelos legais na Hering, acho que será minha próxima aquisição...

06) HD Externo 1TB Samsung: Eu já tenho um igualzinho a este, mas eu quero um outro para organizar as fotos da minha câmera fotográfica, que são bastante pesadas. O meu notebook tem pouco espaço em disco (só 250Gb), então não posso deixar arquivos muito pesados lá, senão o bicho vira uma carroça... Não preciso com urgência, mas assim que rolar uma promoção bacana, quero comprar e deixá-lo junto com o seu irmão gêmeo.

07) Calça Pantalona Preta: Alguém percebeu que a moda das calças flare voltou? Eu nunca gostei muito de usar calças retas ou skinny e sempre tinha muita dificuldade de encontrar lojas que vendessem calças mais larguinhas embaixo, que são as minhas favoritas. Bom, problema resolvido. Mas agora eu quero uma bem largona embaixo, pantalona mesmo. De preferência, preta — mas não obrigatoriamente. Acho lindo para usar agora no verão, com regatinhas e blusinhas de alcinha... Chyque demais!

08) Máquina de Escrever Elétrica Brother ML-100: Acho que este item é mais um sonho do que uma necessidade... Eu sempre quis ter uma máquina de escrever, desde pequena mesmo. Recentemente, eu cheguei à conclusão que seria ideal ter uma para escrever os meus textos e o meu livro, porque eu gosto de fazer as edições e as correções à caneta... Esse tipo de máquina de escrever elétrica só tem para vender fora do Brasil (achei esse modelo na Amazon), então comprarei assim que tiver a oportunidade. E ai de quem inventar de argumentar comigo que é besteira ter uma máquina de escrever se eu já tenho um notebook... Vai pra lista negra! :tongue:

09) Jogo Mario Kart para Wii: Desde que eu me entendo por gente comprei o meu Nintendo Wii, Mario Kart é o jogo que eu mais quero ter... E acabei nunca comprando. Me arrependo de não ter comprado quando eu estava no Canadá ainda, mas fazer o quê? O problema é que aqui no Brasil é muito caro. Até procurei em NYC, mas acabei não comprando. Ano que vem, se eu for para os Estados Unidos de novo, eu compro com certeza. Item desejadíssimo!

10) Biquínis: No verão passado, eu não comprei nenhum biquíni e este ano eu quero usar uns modelinhos diferentes e mais bonitos, portanto eu preciso de biquínis novos, muitos biquínis. Ainda não olhei em lojas para comprar (porque eu estou encasquetada com a calça vermelha, lembra?), mas assim que eu começar a ir para a praia nos finais de semana, quero renovar a coleção... E quanto mais coloridos, melhor!

E é isso. Espero conseguir riscar todos os itens da lista em breve... A princípio, a minha lista ia ter 11 itens (quem se importa com número redondos a esta altura do campeonato?), mas ontem eu já comprei um deles, então nem coloquei aqui. Era a minha agenda de 2015 — que eu compro todo santo ano, na versão papel mesmo. Embora eu tenha um iPhone, ainda acho mais prático controlar minhas anotações e compromissos na agenda tradicional, porque eu funciono melhor com papel e caneta... Não tem jeito. Agora preciso escolher o próximo item para comprar... Qual será? Uni-duni-tê?

04 dez 2014

A música que inspirou, embalou e resumiu o meu ano de 2014...

Postado às 22:54 | 6 comentários
Categorias: Pessoal

Este post está cerca de 12 meses atrasado, mas acho que não teria um momento melhor para falar sobre a música que, logo no comecinho de janeiro, me fez acreditar que 2014 seria um ano maravilhoso para mim. Já contei para vocês sobre o meu vício em All Time Low desde o final do ano passado, né? Pois bem. Desde então, "Weightless" virou a minha trilha sonora particular, porque ela tinha a energia que eu precisava para fazer as coisas darem certo... Com um pouco de indignação, pitadas de rebeldia e um punhado de força de vontade, eu pude para inventar dias melhores, buscar momentos mais significativos e fazer todo o esforço valer a pena. E valeu! Sem dúvidas, este foi o melhor ano dos últimos anos...

A verdade é que 2011 foi um ano péssimo para mim, desses de chorar agachado no cantinho. Em seguida, veio um 2012 bem ruim, mas não tanto quanto o ano anterior... Meu 2013 foi um marasmo desgraçado, não teve nada de bom, mas pelo menos também não teve nada de muito ruim. Só que depois dessa trilogia de desgraça, eu já não aguentava mais aquela sensação de estar estagnada em um lugar em que eu me sentia mal o tempo inteiro. Era muito negativismo, azar e situações desagradáveis para uma pessoa. Eu estava de saco cheio, perdida e não sabia nem por onde começar...

E então veio "Weightless". A música explicava exatamente como eu estava me sentindo e me mostrou exatamente o que eu queria: me sentir leve, aproveitar a vida da melhor forma possível e ver as coisas acontecendo da maneira certa. Apostei todas as minhas fichas nesse objetivo e prometi que 2014 seria diferente. E mais importante do que isso, eu acreditei.

Comecei o ano com uma sensação muito boa, de que nada daria errado para mim. Na verdade, foi muito mais do que isso, eu comecei o ano preparada. Eu sabia que as coisas não iam mudar da noite para o dia, mas eu tinha certeza de que eu podia mudá-las aos poucos. Eu me preparei para enfrentar o que viesse e para fazer o melhor possível. Me preparei também para entender e aceitar que nem tudo ia dar certo, porque imprevistos acontecem. A diferença é que eu já tinha decidido que não ia deixar nada disso me abalar. Eu estava preparada para coisas boas, coisas ruins, surpresas, decepções, notícias inesperadas e qualquer coisa que mandassem em minha direção. E meu ano foi exatamente assim...

WEIGHTLESS
All Time Low

Manage me, I'm a mess
Turn a page, I'm a book half unread
I wanna be laughed at, laughed with, just because
I wanna feel weightless and that should be enough

But I'm stuck in this fucking rut
Waiting on a second hand pick-me-up
And I'm over getting older
If I could just find the time
Then I would never let another day go by
I'm over getting old

Maybe it's not my weekend, but it's gonna be my year
I'm so sick of watching while the minutes pass as I go nowhere
And this is my reaction to everything I fear
'Cause I've been going crazy
I don't wanna waste another minute here

Make believe that I impress
That every word, by design, turns a head
I wanna feel reckless, wanna live it up, just because
I wanna feel weightless, 'cause that would be enough

If I could just find the time
Then I would never let another day go by
I'm over getting old

Maybe it's not my weekend, but it's gonna be my year
I'm so sick of watching while the minutes pass as I go nowhere
And this is my reaction to everything I fear
'Cause I've been going crazy
I don't wanna waste another minute here

This could be all I've waited for
This could be everything I don't wanna dream anymore

Maybe it's not my weekend
But it's gonna be my year
And I've been going crazy
I'm stuck in here

Maybe it's not my weekend, but it's gonna be my year
I'm so sick of watching while the minutes pass as I go nowhere
This is my reaction to everything I fear
'Cause I've been going crazy
I don't wanna waste another minute here

E 2014 foi mudando, bastante. A energia ruim começou a ir embora e, quando eu fiz as pazes comigo mesma (pois a culpa não era minha), eu enxerguei um novo mundo de possibilidades. Boas oportunidades começaram a aparecer e tudo foi se ajeitando devagarinho. De vez em quando algo saía dos trilhos, mas com paciência e muito otimismo, eu não deixei a peteca cair nenhuma vez. Claro, em alguns momentos eu ainda me sinto com raiva ou triste, tenho crises de ansiedade e fico de saco cheio do mundo, mas ninguém é de ferro, certo?

Dois mil e quatorze foi o ano em que eu coloquei os meus pensamentos no lugar e acertei todos os ponteiros da minha vida. Estou leve, de bem comigo mesma, tranquila em relação a onde estou e satisfeita com as pessoas que estão ao meu lado. Estou cheia de planos e sei que vou conseguir realizar cada um deles. Incrível como simplesmente mudar o jeito como você pensa pode mudar um mundo inteiro. Quando você coloca na cabeça que vai chegar no seu objetivo e foca nisso, você chega. Basta querer e estar aberto para aceitar as eventualidades que vem junto com ele. Mas tudo vale a pena... Sempre vale.

Tchau, 2014! Olá, 2015!

O ano não poderia estar terminando de uma forma melhor... Estou feliz no meu novo emprego, em uma empresa que eu realmente gosto e me identifico; conheci novas pessoas e encontrei novos amigos; terminei o segundo semestre da minha pós-graduação e aprendi muitas coisas que eu não sabia; consegui me organizar para voltar a postar no blog com frequência; viajei para os Estados Unidos sozinha e me apaixonei (ainda mais) por Boston e NYC; finalmente, me mudei para o meu apartamento; amadureci bastante e estou sendo mais sensata comigo mesma. E o mais importante: estou preparadíssima para 2015, que pode vir com tudo, pois tenho certeza que será ainda melhor do que este ano.

01 dez 2014

Seriados que eu ando assistindo...

Postado às 22:38 | 4 comentários
Categorias: Seriados

Acho que todo mundo já está careca de saber que eu sou viciada em seriados, certo? Pois bem. Esse ano eu decidi reduzir significantemente a minha watchlist, porque eu já estava sem tempo para viver... Cheguei a um ponto em que estava assistindo mais de 20 seriados simultaneamente e isso consumia todo o meu horário livre. Por conta disso, eu resolvi continuar apenas com os meus favoritos e deixar para assistir os outros nos intervalos de meia-temporada e nas férias. Estou achando ótimo ter feito isso, pois agora consigo ver todos os episódios durante a semana mesmo e não fica nada acumulado ou atrasado... :cool:

Outro motivo pelo qual eu cortei mais da metade das séries que eu assistia foi porque eu estava assistindo algumas apenas por obrigação. Sim, obrigação. Não gosto de deixar a temporada pela metade, então me obrigava a acompanhar até o final, mesmo nem curtindo mais a história... Daí não dá, néam? Terminei todas as temporadas que eu estava assistindo e coloquei vários seriados no limbo, ou seja, pode ser que eu retome para assistir em algum momento ou talvez nem isso. Minha watchlist está enxuta, enxuta. Pelo menos agora eu tenho mais tempo para fazer outras coisas e aproveitar mais o meu dia, longe do computador...

Segue então a listinha do que estou assistindo agora... Além das séries que eu já acompanhava, tem algumas novas que estreiaram este ano e que eu estava curiosa para ver, como Selfie e Jane The Virgin. Algumas outras que eu gosto muito não retornaram com temporadas novas ainda, então provavelmente a lista vai crescer nos próximos meses... Ou talvez eu dê um pause em algumas, para não me sobrecarregar... Veremos.

Arrow (Season 3)

Arrow

Sinopse: Playboy, milionário e mulherengo, Oliver Queen (Stephen Amell) está presumivelmente morto há 5 anos, quando um acidente de iate causou o desaparecimento dele, de seu pai, Robert (Jamey Sheridan), e Sara Lance, irmã de sua então namorada Laurel (Katie Cassidy). Mas Ollie sobreviveu e, preso em uma ilha, ele aprendeu a lutar por sua vida. De volta à civilização em Starling City, ele é um homem mudado e está decidido a honrar a memória do pai e livrar a cidade da corrupção. Disfarçado, ele usa as habilidades que aprendeu durante seu tempo de reclusão para isso, e ao mesmo tempo precisa esconder sua nova identidade da mãe, Moira (Susanna Thompson), da irmã, Thea (Willa Holland) e dos amigos.

Minha opinião? Arrow é o meu seriado favorito atualmente, conseguindo quebrar a hegemonia de 10 anos de Supernatural, que foi o meu xodozinho desde que foi lançado, em 2005. Mas, na minha opinião, a história do Arqueiro Verde está ficando cada vez mais mais interessante, com uma trama muito bem bolada e desdobramentos inusitados. E como não falar de Olicity? Fazia anos que não shippava um casal fictício com tanta força... Oliver e Felicity é algo sem explicação, rola muita química entre os dois e é impossível não desejar fervorosamente que eles fiquem juntos... Inclusive, os últimos episódios estão ótimos! Oliver espumando de ciúmes não tem preço... Amo demais!


The Vampire Diaries (Season 6)

The Vampire Diaries

Sinopse: A cidade fictícia de Mystic Falls, na Virgina, é assombrada por criaturas sobrenaturais. Damon (Ian Somerhalder) e Stefan Salvatore (Paul Wesley) são irmãos que ganharam a condição de vampiro e desde então procuram manter sua imortalidade em segredo. Ao mesmo tempo, buscam resistir à vontade de atacar seres humanos. Ambos conhecem Elena Gilbert (Nina Dobrev), uma linda e popular estudante, e logo se atraem por ela. No entanto, a jovem corresponde apenas um dos interessados, e estes iniciam uma disputa por sua alma.

Minha opinião? TVD é só amor! Esta sexta temporada está muito boa e tem me deixado com os nervos à flor da pele... Choro, tremedeira e tudo, literalmente. Gosto do romance entre os personagens, do drama que tudo isso envolve e do suspense sobre os eventos sobrenaturais, que estão sempre quase resolvidos, mas daí algo acontece e puf... De volta à estaca zero. Sou #teamdamon assumida e acho que se a Elena ficar com qualquer outro personagem ou o Ian Somerhalder sair da série (bate na madeira, logo!), a história vai perder toda a graça... E ah, por favor, Steroline já!


Supernatural (Season 10)

Supernatural

Sinopse: Desde que era pequeno, Sam Winchester (Jared Padalecki) tentava escapar do próprio passado. Após a misteriosa morte de Mary (Samantha Smith), o pai de Sam passou a procurar vingança contra as forças do mal que mataram a esposa, destruindo qualquer ser maligno que cruze o seu caminho. Ao contrário de Sam, Dean (Jensen Ackles), irmão mais velho, sempre quis seguir os passos do pai. Sam está determinado a se livrar do "negócio da família", mas sua vida está prestes a tomar os rumos que ele não desejava, quando ele fica sem escolhas a não ser unir-se ao irmão.

Minha opinião? Mesmo tendo perdido o trono para Arrow, Supernatural continua sendo um dos meus favoritos ever... Só que acompanhou desde o início consegue entender porquê. Não é só a história ou os personagens, Jared Padalecki e Jensen Ackles se tornam parte da sua vida também... E você assiste as entrevistas, os ComiCons, segue nas redes sociais... Supernatural é quase que uma filosofia. E depois que você adere a ela, não tem mais volta. Irmãos Winchesters gravados para sempre no meu coração. Apesar de a história já estar bem batida (afinal, são dez temporadas, néam?), cada episódio continua sendo especial... E o que falar do episódio #200? Carry on my wayward son for life!


Once Upon A Time (Season 4)

Once Upon A Time

Sinopse: Na cidade fictícia de Storybrooke, no Maine, Regina (Lana Parrilla) é uma rainha má que rouba memórias graças à maldição obtida por meio de Rumplestiltskin (Robert Carlyle). Suas vítimas viveram, portanto, uma realidade imutável durante 28 anos, sem ter qualquer noção de sua idade. Todas as esperanças estão depositadas em Emma Swan (Jennifer Morrison), filha da Branca de Neve (Ginnifer Goddwin) e do Príncipe Encantado (Josh Dallas). Ela é a única pessoa com a capacidade de quebrar a maldição e recuperar as lembranças perdidas, pois foi transportada do mundo de conto de fadas antes de ser atingida pelo feitiço.

Minha opinião? Este foi um seriado que foi me conquistando aos poucos... Gostei da primeira temporada, mas foi a partir da segunda que comecei a viciar de verdade. A terceira, para mim, é a melhor. Captain Swan, néam gente? E esta nova temporada está girando em torno da Elsa, do filme "Frozen" da Disney, e está sensacional. Ainda não faço ideia do que vai acontecer, mas estou torcendo muito para que a Evil Queen (Regina) tenha um final feliz — ou alguns momentos felizes, pelo menos. Incrível como você pode odiar alguém no início da história e depois mudar completamente de opinião... O personagem se transforma tanto, de uma forma boa, que você só consegue torcer por ele, aconteça o que acontecer. Virei fã!


The Flash (Season 1)

The Flash

Sinopse: Barry Allen (Grant Gustin) era um funcionário da Polícia Científica que, ao sofrer um acidente, foi banhado por produtos químicos em seu laboratório e, em seguida, atingido por um raio. Foi a partir disso que ele começou a ser capaz de canalizar os poderes vindos do "Campo de Velocidade", e se locomover em altíssimas velocidades. Usando uma máscara e um uniforme vermelho, ele começa a usar suas habilidades para patrulhar Central City com a ajuda dos cientistas da S.T.A.R. Labs, e detém vilões ao mesmo tempo em que procura descobrir quem foi o assassino de sua mãe.

Minha opinião? Bom, The Flash é um dos novos seriados que eu mais estava esperando para assistir este ano. Para quem não sabe, o personagem Barry Allen apareceu pela primeira vez na segunda temporada de Arrow e acabou virando também super-herói. Apesar de ter adorado ver o personagem atuando com a Felicity (de Arrow), os produtores conseguiram criar um novo cenário muito bacana para o Streak contar a sua história... E outra, Grant Gustin está atuando lindamente no seriado. Sabe quando o ator combina tanto com o personagem que passa uma vivacidade para a história? Estou amando a nova série e tenho certeza que ela se tornará uma favorita em breve... E sem falar que The Flash e Arrow tem alguns crossovers, ou seja, as histórias se misturam em alguns momentos... Como não amar?


Jane The Virgin (Season 1)

Jane The Virgin

Sinopse: Quando Jane (Gina Rodriguez) era mais nova, a avó dela a convenceu de duas coisas: telenovelas são a melhor forma de entretenimento, e mulheres devem proteger a virgindade a qualquer custo. Agora, aos 23 anos, a vida de Jane tornou-se tão dramática e complicada quanto as telenovelas que ela sempre amou, após uma série de surpreendentes eventos que fizeram com que ela fizesse, acidentalmente, uma inseminação artificial.

Minha opinião? Quando assisti o trailer de Jane The Virgin eu sabia que ia me encantar com a história... É uma típica comédia romântica, bem bobinha, mas muito gostosa de assistir... Já escolhi com quem eu quero que ela fique e estou torcendo para que a mocinha malvada se dê muito mal. Não sei como vão desenrolar a história até o final da temporada, mas até agora estou gostando... A atriz que interpreta "a virgem" é muito engraçada e foge um pouco do estereótipo de personagem principal, rostinho de boneca e um corpão com tudo em cima. A história tem um Q de sangue latino, mesclando diálogos em espanhol e em inglês e com uma narração bem diferente... Recomendo para as meninas.


A To Z (Season 1)

A To Z

Sinopse: Andrew (Ben Feldman) e Zelda (Cristin Milioti) são um casal que quase não foi - desde o primeiro encontro. Andrew é um romântico incurável, que sonha em encontrar "a mulher certa". Zelda cresceu com uma mãe hippie que acredita que o universo proveria tudo que fosse necessário, e tornou-se uma prática advogada que prefere o mundo controlado dos namoros virtuais. Quando uma falha no sistema de computadores coloca Zelda em contato com alguém totalmente incompatível, ela é convidada a uma reunião no escritório do site, onde Andrew trabalha. É quando tudo começa e, apesar das diferenças, algo acontece. Ela acha que é acaso. Ele acha que é o destino. E então, será que é amor eterno ou apenas um desvio no caminho dos dois?

Minha opinião? Este seriado foi uma indicação, na verdade, mas assim que eu descobri que o personagem principal era interpretado pelo Ben Feldman (de Drop Dead Diva, lembra?), eu já me apaixonei. A história é bonitinha, cheia de romance e de aleatoriedades, mas estou com medo de saber o que vai acontecer depois dos sete meses, três semanas, cinco dias e uma hora. Ainda não tenho uma opinião muito bem formada, pois só assisti quatro episódios ainda — apesar de ter gostado do que vi até então. E Ben Feldman está lindo e meigo como sempre... Oooiiinnnnn!


Selfie (Season 1)

Selfie

Sinopse: Selfie conta a história da jovem Eliza Dooley (Karen Gillan) que é viciada nos seus perfis nas redes sociais e vive mais preocupada com seus "likes" no mundo virtual do que com seus relacionamentos no mundo real. Mas sua obsessão narcisista acaba lhe trazendo problemas sérios. É então que ela vai atrás de ajuda para recuperar sua imagem pública. Ela busca ajuda de Henry (John Cho), um especialista em marketing, para que ele possa ensiná-la a dosar entre os relacionamentos reais e os virtuais. Viciado em trabalhos e um pouco irritado com a sua nova "empreitada", Henry vai acabar aprendendo muito com Eliza também.

Minha opinião? Vou falar rapidamente sobre Selfie, porque ainda estou muito #chateada que o seriado foi cancelado. Estava achando hilária a personagem da Eliza, justamente por ela ser o cúmulo da futilidade e completamente viciada em redes sociais... O oposto das mocinhas cheias de conteúdo de todos os seriados por aí. Acho que a relação que ela estava desenvolvendo com o Henry estava ficando bem interessante e tinha muito pano de manga para embalar a história daí para frente... A emissora só exibiu os sete primeiros episódios e divulgou que a série será descontinuada. Uma pena, de verdade. Eles poderiam fazer o negócio bombar, se quisessem... :sad:


About A Boy (Season 2)

About A Boy

Sinopse: Will Freeman (David Walton) é um homem irresponsável que não pensa em suas atitudes e tem uma vida de solteiro garanhão. Até que, um dia, uma mãe solteira, Fiona Brewer (Minnie Driver), e seu filho, Marcus Brewer (Benjamin Stockham), se mudam para a casa do lado da sua. Will e Marcus acabam criando um laço muito forte, fazendo os dois permanecerem unidos nas mais diversas situações.

Minha opinião? Esta série foi uma que comecei a assistir ano passado e me apaixonei bastante. No entanto, estou achando esta segunda temporada um pouquinho chatinha, pois não tem nada de muito interessante acontecendo. A história se perdeu um pouco e agora cada episódio trata de uma situação específica, digamos, bem sem graça. Se continuar essa água com açúcar até o final da temporada, provavelmente vai para o limbo também... Não recomendo assistirem, pelo menos por enquanto.


Naruto Shippuuden (Season 3)

Naruto Shippuuden

Sinopse: Dois anos e meio se passaram após a partida de Naruto Uzumaki e Jiraiya da vila de Konoha, para um treinamento especial com Naruto. Logo ao voltar à vila, os primeiros a encontrá-lo foram Sakura e Konohamaru. Agora, Naruto e seus amigos, já adultos, não tem apenas que se preocupar com o resgate de Sasuke, mas também com uma organização chamada Akatsuki, que está atrás dos Jinchuurikis (ninjas que carregam um Bijuu em seus corpos). Além disso, inúmeros outros acontecimentos ocorrem ao longo da série.

Minha opinião? Depois de devorar nove temporadas de Naruto Clássico, eu comecei a fase Shippuuden finalmente. Como ainda tenho muitos episódios pela frente até chegar à temporada atual (14ª), estou assistindo devagarinho, no intervalo dos outros seriados... Esta temporada está meio paradinha (provavelmente, é filler), então estou dando prioridade a outros episódios das séries que assisto — mas assim que der o intervalo de meia-temporada, provavelmente eu vá correr umas 2 ou 3 temporadas adiante... Baka Naruto, dattebayo!


The Voice (Season 7)

The Voice

Sinopse: The Voice é uma multinacional competição musical de televisão. A série começou na Holanda, como The Voice of Holland em 2010. Muitos outros países adaptaram o formato e começaram a exibir suas versões nacionais em 2011 e 2012. A sétima temporada de The Voice estreou em 22 de setembro de 2014 na NBC. Gwen Stefani e Pharrell Williams participam pela primeira vez como técnicos do programa, ao lado de Adam Levine e Blake Shelton.

Minha opinião? E como não podia faltar, o meu reality show musical favorito... Acompanho o The Voice (US) desde a primeira temporada e estou viciada nesse troço. Até o American Idol acabou perdendo um pouco a graça depois que esta série foi lançada... Como não amar Blake Shelton, Adam Levine e o bromance deles? Esta sétima temporada estamos sem Christina Aguilera (que teve bebê recentemente, mas que voltará para as próximas temporadas), mas estou adorando Gwen Stefani no lugar dela... E Pharrell, nem preciso comentar, né? O cara é phoda. Não curto muito Usher e Shakira como coaches, mas só vou pensar nisso na próxima temporada... Só queria deixar registrado que o nível de talento este ano está incrível, para variar.


E era isso! Estou ansiosa pelas novas temporadas de Hart of Dixie, Melissa & Joey e Babby Daddy, que também são algumas das minhas séries favoritas. Até o final do ano, a maioria dos seriados entra em intervalo, então talvez eu encaixe algum seriado do limbo na minha watchlist, para assistir neste meio tempo... Ou talvez eu devore Naruto Shippuuden até não poder mais.

Lembrando que em janeiro começa a nova temporada de American Idol, para a minha felicidade... E ainda queria começar a assistir algumas séries novas (como Gotham, The Affair e Kingdom) e indicações que recebi recentemente (The Blacklist e Outlanders). Meodeus, haja tempo para assistir tudo o que eu quero... Socorro!

E vocês? O que andam assistindo?

Fontes das Sinopses:
http://www.adorocinema.com
http://narutoshippuden1808.blogspot.com.br
http://pt.wikipedia.org

18 nov 2014

Me apaixonar ou não me apaixonar? Eis a questão.

Postado às 14:38 | 5 comentários
Categorias: Pessoal

Nos últimos dois anos, eu desisti dessa coisa toda de "amor de verdade" e tenho colecionado algumas paixonites, por aqui e por ali. Depois de algumas decepções amorosas que doeram bastante, preferi ser mais cautelosa e não deixar qualquer pessoa pisar em cima do meu pobre coraçãozinho. A verdade é que eu sou muito sensível em relação a romances e isso sempre me fez sofrer mais do que o necessário. Sempre me importei demais em fazer tudo da melhor forma possível e nunca recebi grande coisa em troca. Daí, sabe, cansei.

Desde então, resolvi focar minhas energias em outras coisas e aposentar o coração por algum tempo, já que nada estava dando certo mesmo. Comecei a cuidar mais dos meus próprios interesses, sem incluir acompanhantes nos meus planos. E tem sido ótimo, libertador.

A forma que eu achei para lidar com este vazio sentimental foi encontrar algumas distrações pelo caminho, apenas para passar o tempo. Tudo platônico, nada sério. Você vê a pessoa, flerta discretamente (ou nem isso), sonha acordado, aproveita o momento e depois de algum tempo reseta tudo, para não se apegar. O risco para mim em tudo isso é que eu costumo me apaixonar muito rápido, ou seja, às vezes até amores platônicos podem me magoar. Em alguns momentos, eu não sei muito bem distinguir o limite entre o imaginário e o real e me questiono se devo dar uma chance para que o sentimento cresça ou se continuo morrendo de medo de quebrar a cara de novo. E isso está acontecendo comigo agora.

Me apaixonar ou não me apaixonar?

Eu até quero me apaixonar de novo, o problema é que eu sempre escolho as histórias erradas, as pessoas erradas. E por mais que eu seja cuidadosa, eu sempre me machuco muito mais do que o esperado. Encontrar um grande amor não é minha prioridade agora, mas eu certamente investiria todas as minhas fichas se eu achasse que valeria a pena. O difícil é encontrar alguém que valha a pena hoje em dia... E eu não sei se eu tenho mais tanta força de vontade para correr atrás desta pessoa.

Não tenho medo de tentar, mas também não quero perder o meu tempo e me arriscar à toa. Quero alguém que me faça bem instantaneamente, que entre em sintonia comigo sem qualquer esforço, sem enrolação ou drama. Relacionamentos complicados não fazem mais parte da minha vida. Drama, só em livros e filmes. Em ficção, não na vida real.

Hoje em dia, fico com o pé atrás sobre abrir o meu coração novamente, de verdade. Desde 2012, meus sentimentos verdadeiros estão lacrados e está cada vez mais difícil alguém chegar até lá. Substituí o calor das minhas emoções por algumas pedras de gelo e a verdade é que eu só vou deixá-las derreter quando tiver a certeza de que, diante de mim, está alguém para colocar a mão no fogo, para dividir a minha vida, que me faça bem e que valha a pena ter por perto. Se for para acontecer, essa pessoa vai chegar na hora certa, sem que eu perceba o que está acontecendo, e tudo fará sentido. Será naturalmente, rápido e fácil.

Não posso dizer que não sinto a falta de ter um namorado. Estar apaixonado é delicioso e gostar de alguém que também gosta de você é melhor ainda. Mas eu não tenho pressa e sei que não preciso dessa pessoa para completar minha vida — ou ser feliz. Mantenho meus olhos sempre abertos, para o caso de eu avistar alguém que traga uma luz diferente para a minha vida, pois não quero perder a oportunidade de construir uma história a dois, romântica, sincera e intensa, igual a uma daquelas de livros, que a gente sonha que possa acontecer com a gente...

Talvez não aconteça comigo, ok. Mas não custa acreditar. Enquanto isso, opto por não me deixar apaixonar tão facilmente. Quero proteger minha sanidade mental e correr atrás de coisas que são muito importantes para mim neste momento. E se o príncipe encantado resolver aparecer neste meio tempo, por favor, venha com um cartaz luminoso, caso contrário eu posso achar que você é apenas mais um dos que eu não devo sentir nada mais do que uma atração casual. Combinado?

29 out 2014

Olhares

Postado às 18:50 | 7 comentários
Categorias: Ficção, Textos

Ele apoiou as duas mãos em cima da minha mesa e me fitou fixamente. Continuei mexendo no computador, ignorando sua presença, porque eu estava muito nervosa para olhar de volta para aquele rosto. Espiei com o canto dos olhos os seus dedos levemente dobrados, apoiados na superfície lisa, e as veias saltadas de cima das suas mãos, o que me deixava um tanto aflita. Engoli em seco e fechei os olhos. Coragem, vamos lá. Coragem.

— Qual o motivo dos olhares? — ele disparou, antes que eu pudesse pensar em qualquer coisa para dizer.

— Olhares? — indaguei.

— Sim, os que você não para de lançar em minha direção. O tempo todo.

Esses olhares...

Eu não tinha um espelho por perto, mas sabia que minhas bochechas estavam coradas. Hm, então ele reparou nos olhares? É sinal de que ele também está olhando. E, bom, se ele reparou que não são simples olhares, é porque ele realmente estava prestando atenção.

— Desculpa. Eu não tinha a intenção de te perturbar. De forma alguma — expliquei.

— Não está perturbando. Eu só quero saber o motivo.

Lancei meus olhos para cima e encontrei os olhos dele, curiosos. Ele estava com uma expressão séria, mas eu conseguia distinguir um meio sorriso por baixo daquela barba rala, que cobria as linhas quadradas do seu maxilar e do seu queixo proeminente. Os olhos castanhos me fitaram de volta e eu não consegui evitar um sorriso.

— Eu só estava olhando. Não sabia que eu precisava ter segundas intenções para simplesmente olhar.

— Provavelmente tem, se me olha desse jeito.

Gelei de cima à baixo. Eu nunca tinha visto ele sendo tão direto assim, tão ousado. Ele era o tipo de cara que estava sempre tranquilo, na dele, sem chamar muito a atenção. Devo acrescentar que "ser lindo" também estava em sua lista de atributos, mas ele não precisa saber dessa informação. Eu gosto que ele não tenha noção do quanto se destaca em relação aos outros, com a sua beleza modesta e sua simpatia encantadora.

— Desculpa, então. Prometo que não olharei mais dessa forma. Não olharei mais para você.

Ele se abaixou e sentou em cima dos calcanhares, para ficar com o rosto na mesma altura do meu. Ele já não estava mais tão sério e eu podia sentir que ele estava gostando daquela conversa, divertindo-se com a minha falta de jeito e timidez. Ou melhor ainda, divertindo-se por não estar sendo tão tímido, talvez pela primeira vez, ao me falar tudo aquilo.

— Acho que você não está entendendo... Eu não quero que você pare de me olhar desse jeito. Eu só quero entender. — Ele levantou as sobrancelhas e deixou escapar um sorriso provocador. Acho que ele já tinha percebido o efeito que aquilo tinha sobre mim. Macacos me mordam.

— Entender o quê?

— Eu só quero saber se estou interpretando corretamente tudo isso. Esses olhares, esses sorrisos, os arrepios.

Arrepios? Antes que eu pudesse pensar qualquer coisa, olhei para meu braço esquerdo estendido ao lado do teclado do computador e entendi o que ele estava falando. Meus pelos estavam eriçados e a pele extremamente arrepiada; as bolinhas tomando conta de todos os centímetros do meu membro. Soltei um suspiro rápido e balancei a cabeça para os lados, aceitando que aquilo era o mais óbvio a acontecer. Ele mexia comigo. Demais.

— Se você não está interpretando certo, provavelmente eu não estou olhando direito — falei com convicção.

— Então eu estou certo?

— Não está mais do que óbvio? — falei, rindo baixinho.

Não havia mais nada o que explicar. Ele sabia o que eu sentia; ele viu como eu me sentia quando ele estava perto. E eu sabia que ele estava interessado também, ou não teria vindo falar comigo sobre isso. Sobre os olhares. Agora era só sintonizar as ideias e esperar para ver se seríamos compatíveis. Eu sabia que sim. Mas eu queria ter certeza.

— Vem comigo pegar um café. — Ele não me perguntou; ele ordenou.

— Vai você na frente. Logo eu vou também.

Ele sorriu lindamente e então foi em direção à porta. Fiquei olhando os seus passos, analisando o jeito como seus braços se moviam e como o quadril parecia estar em sintonia perfeita com as pernas. Acima da gola da camisa, a sua nuca parecia macia e cheirosa. Antes de cruzar a porta, ele colocou a mão esquerda no bolso da calça e apertou os dedos da outra em forma de punho. Eu não estava enxergando o seu rosto, mas eu sabia que ele estava sorrindo.

Fechei os olhos rapidamente e suspirei devagar. Eu não estava acreditando em tudo aquilo, parecia bom demais para ser verdade. Passei a mão pelos olhos e depois chacoalhei os ombros. Ajeitei a gola da blusa, coloquei um pouco dos cabelos para frente e me levantei depressa da cadeira, antes que eu desistisse de ir até lá. Caminhei passos curtos pelo corredor e estudei algumas frases para iniciar a segunda parte de nossa conversa. Sentia minhas mãos tremendo, apesar de saber que era mais excitação do que nervos.

Alguns minutos depois, cheguei à cantina. Ele estava escorado ao lado da porta, perto da máquina de café. Seus dedos digitavam rapidamente algo em seu celular e ele parecia nervoso, ansioso. Parei por alguns segundos antes de me dirigir até lá e fiquei contemplando a expressão de seu rosto. Aquele rosto que tantas vezes eu observei escondida e que eu queria muito ver de perto. Bem de perto.

E então ele levantou a cabeça e encontrou os meus olhos. Os dele estavam brilhando. Os meus também. Ele sorriu e eu sorri mais ainda quando a covinha do lado direito do rosto dele apareceu. Aquilo era muito certo. Ele era muito certo para mim. E eu soube disso com toda a certeza quando eu me aproximei dele e senti os seus dedos tocando nos meus, fazendo minha pele inteira arder de prazer. A poucos centímetros de mim, os olhos dele miraram os meus intensamente e então eu soube que eu estava mesmo certa. A nuca dele era extremamente cheirosa. E os seus lábios tinham gosto de mel.

26 out 2014

Começando um novo ciclo...

Postado às 16:36 | 14 comentários
Categorias: Pessoal

Dei uma sumida (de novo) no blog, mas é porque tem muita coisa mudando na minha vida agora e eu ainda estou me organizando... Desde o final do ano passado, eu dizia a mim mesma que 2014 seria um ano maravilhoso para mim e realmente está sendo. Claro, algumas coisas fugiram do meu controle e eu tive pequenos surtos de desespero, mas eu não tenho do que reclamar... Foquei muito nas minhas prioridades e fiz tudo o que pude para alcançar as minhas metas. Corri atrás do que eu queria e, como resultado de todo o meu esforço, tudo está acontecendo da melhor forma possível.

Começando um novo ciclo...

A primeira novidade é que, finalmente, eu me mudei para o meu apartamento. Sério, já estava virando lenda esta mudança, mas agora foi. Desde o início do mês, estou levando minhas coisas para lá, fazendo faxina e colocando tudo no lugar. São caixas e mais caixas. Agora já está quase tudo arrumadinho, mas ainda falta muito para terminar de mobiliar o apartamento e decorar todos os cômodos. Aos poucos, vou comprando o que falta e deixando do jeito que eu quero. Ando fisicamente esgotada (mudança cansa para caramba!), mas está valendo a pena. Eu estou adorando ter as minhas coisinhas e um cantinho só para mim. Já estava mais do que na hora de isso acontecer... Estou bem contente.

A outra novidade é que comecei a trabalhar em uma nova empresa recentemente. Eu estava há séculos querendo dar um upgrade na minha carreira e acho que agora estou no caminho certo. A empresa é muito bacana e eu acredito que vou aprender bastante lá, ganhar mais experiência, além de contribuir com ideias para os projetos da minha equipe de trabalho. E voltei a trabalhar em Porto Alegre, que era algo que eu queria há algum tempo. Apesar de pegar mais trânsito e demorar mais tempo para chegar ao trabalho todos os dias, sinto que trabalhar na capital tem diversos benefícios. Estou adorando este novo começo e espero que este emprego traga coisas incríveis para a minha vida, de uma forma geral.

E, por último, acho que já está na hora de começar a planejar uma outra viagem... Passei meses sonhando com Boston e New York City, mas este sonho já foi realizado. Eu gastei muita energia organizando cada detalhe deste passeio e agora me sinto bem mais leve, sabendo que deu tudo certo. Ufa! A verdade é que tudo o que eu tinha planejado para este ano já foi cumprido, ou seja, preciso de novas metas e objetivos. É hora de começar do zero de novo... Ainda não decidi meus próximos passos, mas estou cheia de ideias. Assim que eu definir o destino, vou correr com gás total até chegar nele... Partiu?

Próximo destino...

Enfim... Ainda estou sem internet no apartamento, mas assim que as coisas voltarem ao normal, continuarei postando no blog com mais frequência. Também não estou conseguindo visitar os blogs ou responder comentários, mas em breve isso se ajeita. Eu só queria dar notícias, para não deixar o blog enchendo de pó... Aliás, por falar em pó, vou voltar à minha faxina e organizar tudo na minha casinha, porque não vejo a hora de começar a mostrar para vocês como está ficando... Tá bom? Então tá. Fuuuiiii! :wink: