28 jul 2014

As Vantagens de Ser Invisível: Livro x Filme

Postado às 19:53 | 0 comentários
Categorias: Filmes, Livros

Quando "As Vantagens de Ser Invisível" saiu no cinema, eu evitei a todo custo spoilers sobre a história, porque eu queria ler o livro antes de assistir o filme... Sim, sou dessas. Então comprei o livro e guardei no meu armário, junto com a pilha de tantos outros que ainda preciso ler. Alguns meses atrás, eu finalmente comecei a leitura da versão em inglês do livro do Stephen Chbosky, "The Perks of Being A Wallflower". Acabei levando poucos dias para ler (eu leio muito, mas muito devagar) e, assim que deu, baixei o filme e assisti. E agora vou contar um pouquinho das minhas impressões sobre um e outro...

O livro conta a história de Charlie, um garoto de 17 anos, que passa despercebido pela maioria das pessoas em sua escola. Seu único amigo, Michael, comete suicídio no ano anterior, deixando Charlie sozinho para começar o temido Ensino Médio. Querendo mudar essa situação, Charlie faz amizade com Patrick e Sam, dois estudantes mais velhos e que o fazem passar por algumas situações inusitadas. Além deles, Charlie conta com as dicas do seu professor de inglês, Bill, que lhe passa atividades extra-curriculares para o ajudar com sua escrita e comunicação. Em meio à depressão e às novas experiências que vivencia, Charlie faz o melhor que pode para chegar até o final do ano sem grandes estragos.

O Livro

O livro é todo escrito em forma de cartas, o que é bem interessante e diferente. No entanto, não sabemos quem é a pessoa que as recebe, assim como não sabemos quase nada sobre o próprio Charlie, pois ele apenas conta sobre os acontecimentos de sua vida, sem discorrer sobre sua fisionomia e personalidade. Este, para mim, é um ponto extremamente negativo, porque eu não conseguia imaginar as cenas enquanto lia, era apenas um bolo de relatos. Senti falta de cenários detalhados e de personagens mais bem descritos, o que tornou a leitura um pouco chata. Aliás, minha expectativa para este livro era tão grande, que acabei me decepcionando ao terminar a leitura. #fuen

Mas não me entendam mal, o livro é bom. Apenas bom, eu diria. Diferente do que várias pessoas relatam, eu não chorei em nenhum momento e também não me identifiquei com o personagem principal de nenhuma forma. Inclusive, no início da leitura eu comecei a ficar incomodada, pois o jeito como o Charlie escrevia me deixava tonta — eram frases extremamente informais, escritas da mesma forma como são ditas e sem muita regra de composição e pontuações adequadas. Graças aos resumos de livros que seu professor de inglês o passou durante o ano, a escrita dele melhora bastante conforme escreve as cartas seguintes... Ufa!

O livro "The Perks of Being A Wallflower"...

Não diria que o livro tem começo, meio e fim. Para mim, é apenas um trecho da passagem dele pelo colégio, com relatos breves sobre sua infância e acontecimentos aleatórios sobre aquele ano. Claro, tudo se interliga, mas a história não "termina" na última página do livro. Ele poderia tranquilamente continuar escrevendo as cartas e contando mais coisas para o seu destinatário secreto, sem que isso afetasse o desfecho da história. E isso não é um ponto muito legal para mim também.

Outra coisa que me incomodou foi o fato de ele ser completamente passivo o tempo inteiro. Em alguns momentos, fiquei com vontade de sacudi-lo, para ver se ele reagia de alguma forma, mas eu tinha consciência de que era assim porque ele era muito bom e tinha um coração enorme. Para mim, a parte mais relevante da história era a relação que ele tinha com Bill, o professor de inglês, que o enxergava e o admirava pelo o que ele realmente era. O último encontro entre eles, descrito nas cartas finais, foi um dos únicos momentos em que me emocionei um pouco...

O Filme

Diferente do livro, eu chorei bastante assistindo o filme... As cenas foram muito bem elaboradas e me passaram uma emoção que não senti na leitura. Também achei que o filme explica melhor algumas situações que ele conta nas cartas e que não tinham ficado muito claras para mim. Ou seja, o filme complementa essas informações do livro de uma forma mais detalhada e visual, o que dá um maior sentido para a história toda. Pontos extras por isso!

Achei que ficaram faltando algumas cenas importantes, como a situação em que ele passa com a irmã e que vira um segredo entre eles. Esse foi um ponto bem importante do livro, na minha opinião, pois foi o momento em que ele mais se aproximou dela... Percebi também pequenas modificações de enredo, mas nada muito agravante ou que mudasse a essência da história. Queria ter visto algumas outras cenas que também foram cortadas para o filme, infelizmente.

Emma Watson e Logan Lerman em "The Perks of Being A Wallflower"...

Gostei da atuação da Emma Watson, como Sam, e do Logan Lerman, como Charlie... Palmas para o ator Ezra Miller, que deu vida ao personagem Patrick e o interpretou incrivelmente bem, diga-se de passagem. Achei que a figura do professor não foi muito bem explorada no filme, o que me deixou chateada, pois foi o personagem que mais gostei no livro. Aliás, passei o filme inteiro esperando pela última cena dos dois (como citei acima), mas os escritores mudaram o jeito como ela acontece... Bah, me caiu os butiá do bolso! :blank:

Enfim, resumo do resumo... Gostei bem mais do filme do que do livro, apesar de ter achado ambos bons. Não recomendaria a leitura, mas sabendo que muitas pessoas se apaixonaram pela história e disseram ter sido o melhor livro que leram no ano, deixo a critério de vocês lerem ou não. Mas acho que o filme é uma ótima indicação e que vale os seus 103 minutos... De qualquer forma, valeu ter lido a história antes de assisti-la. Mas para ser sincera, esse é um dos primeiros livros que leio que não supera o filme — e isso é meio novidade para mim. Vocês leram o livro? O que vocês acharam?

27 jul 2014

E o muso casou...

Postado às 19:46 | 0 comentários
Categorias: Miscelânea, Musos

Pegaram o trocadilho? Pegaram? Hahaha! Desculpa pelo título tosco, mas eu precisava fazer uma piada para não deixar esse post ainda mais triste... #mimimi

No dia 24 de julho, começou o ComiCon 2014 em San Diego (California, Estados Unidos), que é a maior convenção de aficcionados por revistas em quadrinho, mangá, videogame, seriados, filmes e livros de fantasia e ficção científica... Como boa nerd e fã do Zachary Levi, eu acompanhei a contagem regressiva para o evento, além de ter contribuído com $5 para que o Nerd HQ (que são "painéis de entrevistas" organizados pela The Nerd Machine) pudesse acontecer novamente durante o evento. Pois bem, o ComiCon está acontecendo, mas não é bem disso que eu vou falar... Antes fosse.

O primeiro painel do Nerd HQ deste ano foi com o próprio Zac, que respondeu perguntas sobre assuntos variados e, como sempre, foi supersimpático e atencioso com todos os fãs e nerds de plantão. Estava eu, bem bela, assistindo a conversa ao vivo pelo YouTube, quando me dei conta que o Zac estava com um anel no dedo. Imediatamente achei estranho, porque ele nunca usa nada nas mãos (nem mesmo relógio), mas deixei pra lá. Alguns minutos mais tarde, uma menina levantou a mão para fazer uma pergunta e o parabenizou pelo casamento... Casamento? WHAT? HOW? WHEEEEN? WHYYYY? :crying:

Zachary Levi está casado...

You can cry now, girls... He's taken! =/

Quando a entrevista acabou, corri para o Google para confirmar... E sim, ele casou mesmo. Na verdade, o casório foi uma surpresa para a mídia e para os fãs, porque o Zac é extremamente discreto em relação à sua vida pessoal e ninguém sequer sabia que ele estava namorando. A esposa, Missy Peregrym, 32, também é atriz e participa do seriado canadense Rookie Blue, onde interpreta a policial Andy McNally. Os dois se conheceram 10 anos atrás, conforme ele fala na entrevista, mas não entra em detalhes sobre como tudo aconteceu...

O casamento secreto aconteceu no dia 15 de junho de 2014, em Maui (Hawaii), e teve poucos convidados, apenas a família e amigos mais próximos. Eles divulgaram o casamento através do Twitter, com uma foto onde ambos estão usando um casaco de capuz com as siglas "Mr" e "Mrs". O casamento foi fotografado por Eric Blackmon, que para nossa felicidade, publicou algumas fotos do momento dos pombinhos... Depois do casório, o Zac ficou mais de 15 dias sem dar o ar da graça no Twitter, o que é totalmente estranho (porque ele é heavy user de redes sociais), mas totalmente justo, pois ele estava curtindo a lua de mel...

Zac e Missy divulgam o casamento pelo Twitter com esta foto...

Zachary Levi e Missy Peregrym

Zachary Levi e Missy Peregrym Zachary Levi e Missy Peregrym

Casal lindinho, néam? Bom, sendo apaixonada pela personalidade e por tudo o que o Zac faz, só posso desejar que eles sejam muito felizes juntos. É tristinho quando um ídolo da gente casa, porque leva embora aquela doce ilusão de que um dia vamos casar com ele, mas daí você cai na real e entende que ele é uma pessoa normal e que merece um amor de verdade. Pelo o que o publicista do Zac falou, ele casou com o amor da vida dele. Ok, então. Quem se deu bem nessa história toda foi a Missy, que levou para casa um maridão de ouro... Espero que esta união dure, dê certo e que eles encontrem um no outro tudo o que precisam para terem uma vida cheia de amor, alegria e muita cumplicidade.

Muso, apesar de você ser um homem casado agora, continuo te amando, viu? Sucesso sempre e continue sendo essa pessoa incrível que és, pois é algo em extinção nesse planeta. #orgulhinho

25 jul 2014

8 dicas para ser mais feliz no dia a dia

Postado às 14:48 | 4 comentários
Categorias: Comportamento

Quem acompanhou minha saga dos últimos 3 anos sabe que eu passei por momentos bem baixo-astral e negativos, mas de alguns meses para cá eu me recuperei e voltei a ser a pessoa otimista e alegre que sempre fui. Acredito que é importante passarmos por fases mais difíceis em alguns momentos da vida, pois são elas que nos fazem amadurecer e aprender a lidar melhor com as situações que aparecem no meio do caminho. E tudo isso só nos torna mais fortes e mais preparados para enfrentar o mundo...

Pensando nisso, comecei a mudar algumas atitudes que estavam me impedindo de aproveitar a vida e de encontrar felicidade nas pequenas coisas. Porque ela está lá, nós que não enxergamos. Montei uma lista com 8 dicas bem importantes de hábitos que podem ser mudados facilmente e que fizeram bastante diferença para mim... É um simples passo a passo para dar a volta por cima e aprender a curtir todos os dias de nossas vidas, faça chuva ou faça sol.

Dicas para ser mais feliz no dia a dia...

1. Evite brigas e discussões

É muito simples: uma briga ou discussão, por mais boba que seja, pode estragar o dia de qualquer um. E pior, não leva a nada. Então uma boa solução é fugir de qualquer provocação, sair de fininho e deixar a pessoa "brigando" sozinha. Prefira o silêncio ao invés de ficar batendo boca. Se o assunto realmente precisar ser debatido, tente encarar o papo de forma amistosa, falando em um tom de voz baixo e calmo, sabendo o momento de desistir do argumento e não criando ainda mais polêmica. Além de evitar o estresse, você dormirá mais tranquilo sabendo que não disse nada que não devia no calor da discussão...

2. Ria muito (e ria de si mesmo também)

O que melhor do que uma boa dose de risadas para mudar o humor? Rir é o melhor remédio para afastar a tristeza e energias negativas. E você sabia que rir também queima calorias? Então ria muito, muito mesmo. Conte piadas, fale bobagens com seus amigos e colegas, assista filmes de comédia, leia livros descontraídos... Ria de você mesmo, dos seus erros, das suas trapalhadas e das decisões bobas que tomou. Como resultado, você se sentirá mais leve, esquecerá dos problemas e verá que existem muitas coisas legais por aí, mesmo que tudo não esteja exatamente do jeito que você gostaria.

3. Não sofra por antecipação

O maior problema das pessoas ansiosas é sofrer por algo que ainda nem aconteceu — e talvez nem aconteça. Por mais difícil que seja, tente não ficar pensando "e se isso", "e se aquilo" e foque no que está acontecendo à sua volta agora, neste momento. Tudo acontece no seu devido tempo, independente da nossa vontade, desejo ou torcida. Sendo assim, não vale a pena se preocupar antes do tempo e perder preciosos minutos de vida para lamentar e chorar por algo incerto, que ainda não se realizou. Viva o presente e aproveite cada segundo dele.

4. Busque atividades que te façam bem

Manter-se ocupado é a melhor solução para não pensar em coisas ruins e nos problemas que estamos enfrentando. Mas mais importante do que isso, é escolher atividades que te deixem alegre e proporcionem prazer. Selecione o que mais combina com você, seja fotografia, música, leitura, videogame, dança, pintura, futebol ou o que for. Insistir no que você não gosta só vai te desmotivar mais. A receita é colocar pitadas de entusiasmo e motivação na sua rotina para que o seu ânimo volte com todo gás e te dê energia para fazer outras milhares de atividades.

Tenha por perto amigos que te fazem bem...

5. Mantenha pessoas positivas por perto

Cultive amigos verdadeiros e que te façam bem. Manter à sua volta pessoas negativas e que reclamam de tudo só vai contribuir para que você se sinta da mesma forma. Boas energias e vibrações positivas costumam contagiar quem está por perto, então escolha muito bem com quem você dividirá o seu tempo. Sair e conviver com pessoas alegres, divertidas e otimistas trará mais felicidade para a sua vida.

6. Tenha paciência

Não adianta choramingar, as coisas realmente demoram para acontecer... E o tempo é bastante relativo: quanto mais desejamos algo, mais parece demorar para aquilo se tornar real. O que se pode fazer é deixar o próprio tempo se encarregar dessas transformações maiores, das quais não temos total controle, e nos dedicar ao que está a nosso alcance. Tenha metas e as ponha em ação, mesmo que os resultados demorem a vir. Aos poucos, tudo vai se acertando e, quando você menos esperar, as mudanças chegarão.

7. Seja (um pouquinho) egoísta ocasionalmente

Não tenha medo de pensar em você em primeiro lugar, apenas o faça. Ser amável demais com todas as pessoas não vai trazer nenhum benefício para a sua vida, então não exagere na bondade. Faça o que acha certo para você, as coisas que gosta e diga “não” para o que não te interessa. A pessoa que mais se importa com você é você mesmo; foque nisto. Você não precisa magoar ninguém ou ser ofensivo e indelicado, apenas seja sincero com os seus próprios interesses. De nada vale querer fazer todo mundo feliz, se nem você mesmo está.

8. Reflita menos, viva mais

Ficar sentado e imaginando soluções para tudo o que acontece em sua vida não resolve nada, de fato. Arrisque mais e confie no seu taco. Você não precisa acertar sempre, então não seja tão exigente consigo mesmo. Afinal, errar é humano e é errando que se aprende. Não deixe de fazer o que gostaria para ficar pensando se deve ou não e qual a melhor forma de agir. Apenas aja. O tempo não para, então faça valer sua vida e suas escolhas agora.

São dicas bastante simples, mas que funcionam. Comece mudando aos pouquinhos e você perceberá melhoras significativas no seu estado de espírito. Claro que é impossível estar de bem com a vida o tempo inteiro, em alguns momentos você poderá se sentir triste ou cansado de tudo (o que é normal), mas estar rodeado por boas energias fará com que esses momentos não durem muito. Ser otimista pode ajudar bastante também.

Tente se concentrar no que é realmente importante e lembre-se de todas as coisas boas que você já tem, por menores que elas sejam. Ser grato por cada uma delas é o primeiro passo para mandar o desânimo embora e aproveitar cada dia de vida, porque o tempo de ser feliz é agora...

19 jul 2014

Viciando com o novo álbum da Jennifer Lopez...

Postado às 16:42 | 8 comentários
Categorias: Música, Musos

Recentemente, a minha musa inspiradora Jennifer Lopez apresentou ao mundo o seu oitavo álbum de estúdio, entitulado "A.K.A." — sigla derivada do termo "also known as" e muito usada pelos americanos em geral. O lançamento oficial aconteceu no dia 13 de junho de 2014, através do selo da Capitol Records, que gravou pela primeira vez com a cantora. O álbum tem 10 faixas inéditas, enquanto a versão deluxe tem 14.

No início de 2004, Jennifer lançou dois singles promocionais para divulgar o álbum, "Same Girl" e "Girls", sendo esta última música presente apenas nas versões japonesa e a da loja Target. O álbum conta com participação especial de diversos artistas, sendo eles French Montana (em duas músicas), Iggy Azalea, Jack Mizrahi, Tyga, Rick Ross, Nas, T.I. e Pitbull, que faz parcerias musicais com a Jen com bastante frequência.

Novo álbum de Jennifer Lopez

A.K.A. (feat. T.I.) :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
O álbum começa com uma pegada bem característica da Jennifer Lopez: pop-dance com batidas de R&B. "A.K.A." é a música que dá nome ao álbum e fala sobre a mulher estar deixando o cara para trás, pois ele demorou para decidir o que queria e já nem conhece mais quem ela é agora. A faixa leva 4 estrelas, porque o refrão é extremamente contagiante e tem um ritmo legal para dançar. Bom, para dançar hip hop ou street dance, pelo menos. Estou pensando em criar uma coreografia com essa música.

FIRST LOVE :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
Definitivamente, esta é uma das melhores músicas do álbum. A faixa é bem dançante e marcada com batidas fortes e contínuas, revelando a voz bem doce da Jen. "First Love" foi o segundo single deste álbum e recebeu boas críticas, afirmando que a cantora soube dosar pop e hip hop em um hit de sucesso. O tema abordado é o desejo te ter encontrado anos atrás a pessoa com quem está agora, para que ela pudesse ter sido o seu primeiro amor. Só paixão essa música!

NEVER SATISFIED :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
"Never Satisfied" é a primeira faixa lentinha do álbum... A música constrói clímax até chegar ao refrão, mas não é tão "marcante" assim. Com uma letra doce, a faixa fala sobre não se sentir satisfeita com o amor em sua vida, no sentido de estar sempre ansiando por mais, sentindo falta do parceiro e desejando um amor mais intenso e sem fim. Mais uma típica balada que fala sobre amor... É ok.

I LUH YA PAPI (feat. French Montana) :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
A música começa com uns "barulhinhos extraterrestres" bizonhos (hahaha!) e então a Jen entra com a voz, seguida de batidas de hip hop. O mais legal dessa música é que a melodia dos versos é bem assimétrica, ou seja, nem todas as frases encaixam umas nas outras, a fala é meio corrida e tem uma vibe de rap. E daí chega o refrão, que faz você querer pular da cadeira e dançar... Sempre me lembro da coreografia da música e tento imitar. No final, o French Montana entra para a sua participação, pincelando a melodia com frases de rap. A música é muito contagiante e divertida! E cantar o refrão é sempre engraçado... E ah, esse foi o primeiro single de "A.K.A.".

ACTING LIKE THAT (feat. Iggy Azalea) :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
Essa é uma música que eu não gostei muito no início, mas que foi ganhando um pouco mais de força conforme eu fui ouvindo mais vezes. Ela tem uma pegada bem forte de hip hop e só se destaca um pouco mais no refrão; o restante da música é bem normal. A melodia é repetitiva, bastante simples e a parte mais diferente é quando a Iggy entra para cantar. É uma faixa ok, três estrelas para ela.

EMOTIONS :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
Segunda balada do álbum, "Emotions" é o meu xodozinho. Só amor! Nesta faixa a gente escuta a Jen cantando notas mais longas e agudas, bastante diferente das outras músicas dela. Ainda assim, temos a presença de batidas eletrônicas e de um ritmo forte de hip hop, o que é bem característico da cantora. A letra fala diretamente comigo e tem um significado bastante especial. Ela fala sobre deixar as emoções de lado, sobre não acreditar mais em amores e contos de fada e sobre não querer se entregar ao amor, por não querer se machucar novamente. Amo, amo, amo e poderia passar horas ouvindo sem enjoar. Apaixonei desde a primeira vez que ouvi!

SO GOOD :star1: :star1: :star0: :star0: :star0:
A sétima faixa do álbum é outra que não me chama muito a atenção... Ela tem uma batida bem simétrica, igual do início ao fim. O destaque fica pela melodia em si e pelo refrão, que é ok. Geralmente é uma das músicas que eu passo para frente e não escuto até o final. Antes de terminar, ela dá uma desacelerada e a voz suave da Jen fica bem evidente. Mas não tem muita relevância pro álbum, na minha opinião.

"A.K.A.", o novo álbum da JLO

LET IT BE ME :star1: :star1: :star1: :star1: :star1:
Mais uma faixa lentinha e deliciosa de ouvir... Ela tem um ritmo mais latino e começa com um dedilhado de cordas, acompanhado de sons suaves de violino. A música é a mais romântica do álbum e te faz pensar no Caribe, velas acesas, rosas vermelhas e casais dançando tango. Bom, pelo menos é isso que eu imagino. A melodia é absurdamente linda e a voz da Jen dá um toque aveludado na música, que continua bela pelos quase 4min de duração. A faixa fala sobre o desejo de ser a pessoa escolhida como seu verdadeiro amor pelo parceiro, caso ele vá embora algum dia. É uma daquelas músicas que você não deve ouvir quando está meio deprê, pois pode resultar em lágrimas. Eu acho.

WORRY NO MORE (feat. Rick Ross) :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
Essa faixa tem um ritmo bem urbano, com cara de Jenny from the Block. Saca? Ela não é nem muito lenta, nem muito dançante e não chama muito a atenção. Para ser bem sincera, a parte da música que eu mais gosto é quando o Rick Ross canta, transformando a música em um rap. Só não ficou com menos estrelas porque eu gosto da parte em que ela canta "do anything that you can to make me feel so protected"... Hehehe! Fora isso, passa batido.

BOOTY (feat. Pitbull) :star1: :star1: :star0: :star0: :star0:
E daí vem a faixa que ela faz parceria com o Pitbull... O início é extremamente irritante, com um sample de uma voz feminina cantando "big, big, booty, what you got a big booty". Em seguida, o Pitbull já lança algumas frases e daí a música assume um ritmo bem dançante, pop-eletrônico mesmo. O estribilho e os versos são bons, mas o refrão (com aquele sample do diabo) é um tanto pé-no-saco. A parte do Pitbull é boa também, com uma energia ótima para dançar e agitar. Para as pistas de dança é uma ótima pedida, mas para curtir nos fones de ouvido eu escolheria alguma outra coisa...

TENS (feat. Jack Mizhari) :star1: :star1: :star0: :star0: :star0:
E essa é mais uma música para a pista de dança. Se você colocar para tocar em uma festa, certamente vai ser um sucesso. Eu não curto ouvir música eletrônica, então essas faixas não me cativam muito. Não são ruins, mas não são meu estilo. Duas estrelinhas e já está mais do que suficiente.

TROUBEAUX (feat. Nas) :star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
Com "Troubeaux", nós voltamos para o tradicional da JLo, um pop dançante, mas com pegadas de hip hop. A música é boa, mas nada muito mais do que isso. Ela mantém o mesmo ritmo do início ao fim, sem muita alteração melódica e encorpa batidas mais fortes em alguns momentos. Ao fundo, podemos ouvir o som de um saxofone, o que a torna bem diferente do restante das faixas do álbum. É boa, mas não chega a ser uma favorita.

EXPERTEASE (READY SET GO) :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
E daí o álbum começa a chegar no fim, trazendo a divertida "Expertease (Ready Set Go)", nome originado de uma brincadeira com as palavras "expertise" e "tease". Dançante, mas não muito, essa música é bastante contagiante e te põe para cima. Dá vontade de dançar e aproveitar a vida como se não houvesse amanhã. Ela fala sobre desejo, paixão e, bom, sobre sexo, obviamente. A letra não é vulgar, nem nada, mas é bem ousada. Tipo, "Imma turn your body on, cause a marathon begins with passion and I don't wanna wait another minute, we can do it standing up, gonna feel my love, one thing unites us, you know that our bodies are made for sinning"... Mas quem se importa? Põe no replay e já eras.

SAME GIRL (feat. French Montana) :star1: :star1: :star1: :star1: :star0:
Essa é a última música do álbum (versão deluxe) e já tinha sido previamente lançada promocionalmente. Ela tem uma vibe bem urbana, hip hop and street style. Imagino a Jen com aqueles tênis coloridos, calça larga, barriga de fora, argolas douradas gigantes e um boné na cabeça, sabe? E o intuito da música é justamente esse, dizer que ela continua sendo a mesma garota de sempre, a Jen "from the Bronx". Acho que foi uma maneira bem legal de encerrar a coleção de músicas de "A.K.A.", mostrando a todos que não importa como ela é chamada ou qual a denominação que dão a ela, ela continua sendo quem ela sempre foi. E para encerrar as participações, French Montana canta novamente com ela em "Same Girl".

Novo álbum da JLO, "A.K.A."...

A.K.A. (2014)
Jennifer Lopez
:star1: :star1: :star1: :star0: :star0:
Com este oitavo álbum, a cantora Jennifer Lopez apresenta 14 músicas inéditas cheias de batidas de hip hop, R&B, num estilo pop bem dançante e animado. Ela conta com a participação de diversos artistas, incluindo Pitbull, French Montana e Iggy Azalea. Os destaques do álbum vão para as músicas "First Love", "I Luh Ya Papi", "Emotions" e "Let It Be Me", sendo que as duas últimas são baladas e falam sobre o amor de uma forma bem romântica. Não considero o melhor álbum da cantora, mas ela teve sucesso com a escolha de algumas músicas, que prometem virar hits rapidamente. O fato de ela ter nomeado o álbum como "A.K.A." diz muito sobre quem ela é e sobre a imagem que ela quer passar: a menina simples do Bronx, que ficou famosa, mas continua sendo exatamente do jeito que ela sempre foi.

Musa que é musa, sempre será musa. Aos 44 anos, ela continua linda de morrer (com um corpão de botar inveja) e sabe muito bem quais são seus objetivos. Adoro a voz doce dela e gosto da vibe nigga que ela transmite em suas músicas. Neste álbum, nem todas as faixas me agradaram em cheio, mas as escolhidas como minhas favoritas fizeram ele se tornar incrível e eu não consigo parar de ouvir. Mas fã é um pouco suspeito pra falar isso, certo?

17 jul 2014

É, Copa do Mundo...

Postado às 19:52 | 7 comentários
Categorias: Diversão, Eventos

Poisé, minha gente! Terminou neste último domingo a Copa do Mundo no Brasil, apesar de todo mundo querer que ela tivesse ficado para sempre... Junto com ela, acabaram também as saídas mais cedo do trabalho para assistir os jogos da seleção, acabaram os encontros familiares e a bagunça com os amigos em dias de jogo, acabaram as guloseimas e quitutes preparados para a torcida e acabaram os gringos batendo perna pelas ruas das nossas cidades... Que triste!

Apesar de tanto protesto, a Copa foi um evento extramemente marcante, em diversos sentidos. Muita gente, inclusive eu, estava falando mal e desacreditando que a Copa daria certo aqui no Brasil, porque o país estava uma bagunça e muitas das obras que foram prometidas para o evento não tinham sido concluídas ainda, mas acredito que não tivemos problemas em relação à infra-estrutura — ou, pelo menos, eu não ouvi nada a respeito. Ouvi foram os turistas elogiando, falando que estavam amando o Brasil e nada muito além disso... A verdade é que esses 30 dias foram muito divertidos mesmo. Não acredita? Então continua lendo...

A COPA NO TWITTER

Acho que o mais importante de tudo é mencionar que o Twitter dominou a Copa do Mundo... Sem ele, não teria sido a mesma coisa. Mostramos para o tio Zuckerberg que o Facebook nunca vai nos superar e que ele sempre estará atrás em tudo o que comentamos e fazemos por lá. Acompanhar os jogos do Brasil com o tuinter aberto era muito mais divertido. Memes, fotos, piadas, comentários hilários, muitos RTs, muita gente nervosa, muita gente torcendo, muita gente preocupada com o bolão e, principalmente, muita risada. O Twitter, inclusive, divulgou que a vitória da Alemanha foi um dos temas de maior repercussão por lá nos últimos meses e até fez um vídeo recapitulando tudo o que aconteceu... Só amor! :heart:

"WE ARE ONE (OLE OLA)"

Bom, acho que posso começar falando sobre o show de abertura da Copa, no dia 12 de junho, com a presença da Jennifer Lopez, Pitbull e Claudia Leitte cantando "We Are One (Ole Ola)". Nem vou falar sobre o que aconteceu antes disso, porque foi extremamente vergonhoso aquela meia dúzia de gato pingado pulando pra lá e pra cá e também a aparição de meio segundo do menino paraplégico chutando a bola... Enfim! O que importa é que a JLo brilhou naquele palco, linda e simpática como sempre, o Pitbull estava engraçadíssimo com as calças surecas puxadas até a cintura e a Claudinha foi vestida de galinha pintadinha... Eu gosto bastante da música e minha parte favorita é a da Jen, obviamente, mas sempre baixa o ritmo ragatanga em mim quando a Claudinha canta "é meu, é seu, hoje é tudo nosso". Essa parte gruda muito na cabeça, fico cantando o tempo inteiro... Me julguem!

JLo, Pitbull e Claudia Leitte na abertura da Copa...

DAVID LUIZ, O QUERIDINHO DO BRASIL

Essa Copa teve também todo mundo se apaixonando pelo David Luiz, o zagueiro da nossa seleção, principalmente depois da sua aparição no programa "Esquenta", da Rede Globo, onde mostrou todo o seu gingado... Perdi a conta de quantas vezes vi esses gifs pela internet, mas não podia deixar de compartilhar aqui também, néam? Ele se mostrou ser muito querido, humilde, engraçado e único, ainda mais com aqueles zilhões de cachinhos na cabeça... Figura caricata!

David Luiz sendo lindo...

Remexe pra cá, remexe pra lá...

David Luiz sendo lindo de novo...

E sente a jogada de cabelo...

OS MOZÕES DA COPA

E por falar em David Luiz, não podia deixar de mencionar os mozões, néam? Porque, gezuis, como tinha homem lindo nessa Copa... Cada jogo era um espetáculo. Sei que gosto é algo muito pessoal e cada um considera como "beleza" coisas diferentes, mas como explicar Robin Van Persie, Miguel Veloso, Cesar Azpilicueta, Orestis Karnezis, Lukas Podolski, Olivier Giroud, Xabi Alonso, Niko Kranjčar, James Rodríguez e Manuel Neuer? E tantos outros, famosos ou não tão conhecidos. Senhor, nos ajude! Era um lance e um suspiro... Ou quase isso.

mozao-vanpersie

mozao-veloso

mozao-azpilicueta

mozao-karnezis

mozao-podolski

mozao-giroud

mozao-alonso

mozao-niko

mozao-james

mozao-neuer

A BUNDA DO HULK

E teve também a #bundadohulk marcando uma grande presença... Grande presença. Uma abundância de presença. Ela foi tão importante nessa Copa que ganhou até uma hashtag exclusiva no tuinter. Aliás, triste foi não vê-la em campo em alguns jogos...

A abundância do Hulk...

E daí você olha pro Hulk e depois pro Neymar... Quanta diferença!

David Luiz explicando a bunda do Hulk...

Até o David Luiz concorda que é grande...

COPA DA ZOEIRA

Teve também muita zebra e muita seleção grande indo para casa antes do esperado... Itália, Espanha e Inglaterra foram eliminadas antes das oitavas-de-final, enquanto a marota Costa Rica dançava Macarena dentro de campo. O time surpreendeu o mundo inteiro, classificando-se em primeiro lugar no "Grupo da Morte" e só foi eliminada nas quartas-de-final pela Holanda, nos pênaltis, sem ter nenhuma derrota durante o mundial inteiro... Uma prova de que essa foi a Copa da Zoeira mesmo, com resultados improváveis, o que avacalhou com o bolão de todo mundo. Inclusive o meu, já que eu tinha colocado a Itália como a grande campeã... #fuen

Outro fato bacana dessa Copa é que 7 times da América Latina foram classificados para as oitavas este ano, entre eles o Brasil, México, Chile, Argentina, Uruguai, Colômbia e Costa Rica. E isso foi um recorde. Se formos pensar, é quase 50% dos times ainda disputando o título. E por falar em latinos, rolou até mordida de um deles em um dos jogos. Hahaha! Luis Suárez, do Uruguai, tascou um mordidão no zagueiro da Itália durante o jogo e acabou sendo expulso e suspenso, obviamente. Bom, não sei se adiantou de alguma coisa, mas o Uruguai acabou ganhando o jogo por 1x0.

Luis Suárez mordeu o atacante da Itália

Luisinho morde o ombo do outro jogador e fica com os dentes doloridos... Hahaha!

SELEÇÃO BRASILEIRA: UM SHOW DE HORROR

E o que falar da nossa própria seleção? O Brasil não jogou lhufas a Copa inteira... Eu tinha certeza de que não íamos ganhar, mas não achei que a coisa estava tão preta, meu amigo. O time estava jogando mal, não estava preparado, treinado ou entrosado, e os jogadores não tinham aquela garra brasileira que estamos acostumados a ver em campo. E daí Neymar levou um taekwondo nas costas e pronto. Game over, Brasil. Não me levem a mal, eu nem gosto do Neymar, mas ele fazia uma certa diferença para o time.

Neymar chorando de dor no chão...

Não acho que o fato de ele não ter jogado contra a Alemanha foi o motivo da nossa derrota, mas contribuiu de alguma forma. Entramos em campo com um time abalado, sem vontade de jogar e errando até passe de bola bobo. Torci até o último minuto, sofri com cada gol levado, senti vergonha alheia de quem foi embora do estádio, ficou falando mal do time na hora do aperto ou até queimou nossa bandeira, mas achei que a Alemanha mereceu aqueles 7x1. Aliás, um salve para o fofo do Oscar, que ainda fez um gol de honra. Mas pensem comigo, a Alemanha podia ter feito muito mais, só não fez porque não precisava... E para não humilhar ainda mais.

Quando terminou o jogo, eu fiquei chateada... E daí eu vi o Oscar chorando sem parar e o Thiago Silva, que não estava jogando, tentando consolar o garoto. Fiquei nervosa com aquelas cenas, queria estar lá para abraçar o mozão... E quem não encheu os olhos de lágrimas com o pedido de desculpas do David Luiz ao final do jogo? Eu chorei junto.

O PODOLSKI É TÃO BRASILEIRO QUE...

Mas daí ganhamos o Poldi no meio do caminho, néam? Que coisa mais amor, gente! Lukas Podolski, o atacante da Alemanha, conquistou o coração de todos os brasileiros tuitando em português, tirando muito selfie e fazendo declarações de amor ao "país da amarelinha". E preciso comentar alguma coisa sobre a foto com a Chanceler da Alemanha ou a foto com beijinho do Schweinsteiger? Quero colocar no colo e abraçar até não poder mais! :love:

Poldoski brasileiro...

ALEMANHA CAMPEÃ

E pra fechar a história, a Alemanha levou o título para casa — muito merecido, por sinal. Jogou bem em todos os jogos e encerrou a Copa invicta, com um excelente rendimento e com um time de primeira. E convenhamos, um time lindo. Obviamente, eu torci contra a Argentina com todas as minhas forças e vibrei entusiasmadamente quando o Götze fez aquele gol no segundo tempo da prorrogação. Depois do apito final, foi só comemorar. E adorei ver a cara de bunda do Messi, que, não sei como, ganhou o troféu como melhor jogador da Copa... Mas enfim! Os alemães foram muito bons em campo e deram um show de simpatia assim que o jogo acabou.

FRED, O CONE DA COPA

E só para não perder a piada, vou encerrar o post concluindo que a frase mais tuitada durante os jogos da seleção brasileira foi "tira o Fred". Também acho que o troféu dele foi muito merecido, afinal, não é todo mundo que tem o dom de ser um cone. Ou pior do que isso, porque pelo menos o cone tem a função de sinalizar. O Fred nem isso...

Troféu Cone para o Fred...

TEVE MUITA COPA

Para quem achava que não ia ter Copa ou que ia dar tudo errado, teve uma grande surpresa. No Twitter, o pessoal começou dizendo #nãovaitercopa, depois dos primeiros dias mudou para #tátendocopa e o termo evoluiu para #tátendomuitacopa mais tarde... Hahaha! Foi um mês muito divertido. Eu gostei bastante — mesmo tendo ficado em quinto lugar no bolão aqui em casa. Quem sabe eu ganho em 2018?

13 jul 2014

Um ano cheio de surpresas...

Postado às 13:47 | 4 comentários
Categorias: Pessoal

... boas! Surpresas boas! Depois de um 2013 um tanto conturbado, com acontecimentos não tão legais assim, dois mil e quatorze veio para botar todo mundo no chinelo e ser o melhor ano dos últimos cinco anos, na minha opinião. Tudo está se ajeitando, novidades legais estão chegando de mansinho, ao seu tempo, as coisas estão mais tranquilas, boas decisões estão sendo tomadas e ideias estão aflorando como se não houvesse amanhã...

Isso era justamente o que eu precisava para iniciar uma nova fase e recuperar o gás que eu tinha perdido tempos atrás. Sabe quando parece que você recebe uma injeção de ânimo? Foi mais ou menos isso que aconteceu. E sabe o que é mais legal disso tudo? Eu percebi que não foram as coisas à minha volta que mudaram, que de uma hora para outra começaram a dar certo ou se tornaram melhores. Fui eu que mudei. Mudei o jeito de pensar, de agir, minha perspectiva sobre as coisas do dia a dia e situações passadas, sendo mais justa comigo mesma e pensando sempre no que é melhor para mim – e só para mim. Resumindo, mudei bastante.

Acredito que de vez em quando é importante fazermos uma balança de tudo o que somos, queremos, temos e buscamos, para entender qual é o melhor caminho a seguir. Com isso, eu me dei conta de que eu estava trazendo para minha vida coisas que eu não precisava e então soube que eu tinha que mudar. Comecei a dizer não para o que eu não queria fazer, me afastei de pessoas que não me acrescentavam nada e foquei no que eu realmente desejava para mim. Só em aceitar as coisas do jeito como elas estavam e buscar outras oportunidades, diferentes das que eu vinha insistindo por anos, um novo mundo se abriu para mim.

Novidades sobre 2014...

Voltei a ser uma pessoa otimista e a me sentir bem em minha própria pele. Não foi fácil no início, mas eu sabia que eu era forte o suficiente para passar por cima de tudo o que estava me consumindo e retomar de onde eu parei. E não poderia ter dado mais certo do que isso... Acredito que às vezes precisamos passar por momentos difíceis para tirar algumas lições importantes sobre a vida. E é por isso que eu não mudaria nada do que aconteceu até aqui, porque isso me fez chegar aonde estou, em ser quem eu sou e acreditar no que (ou em quem) está à minha volta e na minha vida.

Eu sabia que 2014 seria um bom ano. E está sendo realmente ótimo. Fazia muito tempo que não me sentia tão bem quanto agora e tenho certeza que as coisas só tendem a melhorar... Fiz paz comigo mesma e estou batalhando pelas coisas que quero, mesmo que elas ainda demorem muito a chegar. Aprendi que a mudança vem de dentro, vem da nossa força de vontade de crescer, amadurecer e de vencer as barreiras que são colocadas pelo caminho. Aprendi que ninguém é capaz de tirar nossa felicidade e que somos responsáveis por tudo o que acontece conosco, seja bom ou ruim.

Abaixar a cabeça nunca é a solução; temos que partir pra frente, com garra, e decidir nosso próprio destino. Eu resolvi fazer isso e tem dado certo. Não sei quais serão os próximos passos, mas eles serão percorridos com alegria, certamente.

09 jul 2014

Confabulando por 8 anos

Postado às 21:09 | 7 comentários
Categorias: Blog

Hoje faz 8 anos que eu tenho o Confabulando... Meodeus, como passou voando. Lembro-me com muita clareza do processo para a escolha do nome do blog, que até então se chamava Only Dreams. Isso aconteceu em 2006, durante o expediente de um dos meus primeiros empregos, anotando diversos nomes e ideias na última folha de um caderno, para então eleger o melhor. Não me arrependo da minha escolha.

8 anos de Confabulando

Um dos motivos pelo qual eu acelerei a volta do blog para primeiro de julho foi o oitavo aniversário dele... Eu queria poder postar algo sobre isso e comemorar junto com vocês esses anos intensos e falantes (porque eu sei que eu sempre escrevo demais, sorry!) que tivemos por aqui. Afinal de contas, quem consegue manter um blog pessoal por oito anos hoje em dia? Isso é quase um recorde. Bom, é o meu, pelo menos.

Sei que um blog não se faz apenas de palavras escritas, portanto agradeço a todos que passam aqui diariamente para ler meus desabafos, meus textos e sobre as coisas que gosto. Meu blog nunca foi mega popular, mas conheci tanta gente bacana através dele, que não me importo que ele não me traga fama e/ou dinheiro. O Confabulando me traz alegria e me deu grandes amigos de presente, e isso é mais do que eu jamais poderia esperar. Então, parabéns bloguinho querido pela tua existência e obrigada a todos que tornam essa experiência válida e memorável para mim a cada dia.

E agora é contagem regressiva para o nono aniversário! Pode vir que eu estou preparada!

07 jul 2014

Meu maior acerto (e erro) no amor...

Postado às 20:10 | 14 comentários
Categorias: Pessoal

O maior erro da minha vida se chama Felipe. Um erro — talvez o único — que, se eu pudesse, voltaria no tempo para fazer tudo diferente e, principalmente, um erro que eu não devia ter deixado entrar na minha vida. Sei que foi um momento de fraqueza meu, somado a um pouco de carência e à ânsia de querer um novo começo, coisas diferentes... Mas agora eu sei, mais do que nunca, que era algo que eu devia ter controlado, lutado para não deixar acontecer e trancado dentro de mim, até que a vontade fosse vencida pela razão. E eu fui fraca, muito fraca.

Não me importo que não tenha dado certo (ainda bem, por sinal), de ter descoberto que ele era um canalha ou de ter sofrido durante aquele inferno de oito meses, que parecia não acabar nunca, mas dói profundamente pensar que minha atitude ao ficar com ele magoou uma das pessoas com quem mais me importei nessa vida. Queria passar uma borracha, apagar isso da vida e resgatar aquele sentimento bom de saber que fomos importantes na vida um do outro, sem mágoas e sem ressentimentos. Mas, infelizmente, isso é algo que eu não posso consertar; é algo que mil pedidos de desculpas ou o mais sincero arrependimento não podem anular. É algo para levar para o resto da vida com desgosto, com a certeza de ter sido a coisa mais estúpida que eu já fiz.

Sobre meus erros e acertos no amor...

Errar é humano, eu sei, mas nem isso alivia a sensação de uma escolha patética, de um erro descomunal. Não quando isso fez a visão da pessoa de papel mais relevante na minha vida mudar a meu respeito. Eu podia ter feito qualquer outra coisa, errado de qualquer forma, mas não magoado a pessoa que mais me fez feliz nessa vida, não ter estragado a lembrança da melhor época da minha vida, da melhor pessoa com quem eu já dividi o meu tempo. E isso ainda me traz água aos olhos até hoje — e talvez sempre trará.

Mas, no fundo, eu acho que ele sabe que minha intenção nunca foi o magoar, que aquilo não teve nada a ver com ele. Fico feliz por, depois de mim, ele ter refeito a vida dele e encontrado a felicidade que nós não soubemos administrar enquanto estávamos juntos. Pequenas diferenças, dois gênios fortes e quatro anos de muita coisa boa não conseguiram aguentar. Talvez nosso maior erro foi ter insistido tanto em ficar juntos, em ter tentado (não uma, mas) duas vezes. Mas este é um erro que eu não me arrependerei nunca; é algo que eu passaria o resto da minha vida errando, mesmo que desse errado todas as vezes. Nada me tira da cabeça que ele foi o meu maior acerto na vida e que nada me fez mais feliz, mesmo dentro dos diversos terremotos que enfrentamos.

Nosso tempo passou, por uma decisão minha, mas eu queria que ele soubesse que o meu coração não deseja nada mais além de toda a felicidade do mundo para ele. Desejo com toda sinceridade possível dentro de mim. E queria que ele soubesse também que ele foi a melhor coisa que já passou pela minha vida e eu não tenho palavras para explicar como ele (ainda) é único. Talvez ninguém mais supere isso, mas não importa. Eu gosto de saber que tentamos, mesmo não tendo dado certo.

Sabe, eu continuo em busca da minha felicidade e não vou desistir de procurar o que (ou quem) quer que seja. Talvez algum dia eu encontre em alguém tudo o que perdemos um no outro, alguém que me faça tão bem quanto tu já me fez. Talvez, algum dia.

Este texto foi escrito em 16 de fevereiro de 2014, ouvindo "Somewhere In Neverland", do All Time Low.

05 jul 2014

Ponto com, ponto br...

Postado às 17:31 | 16 comentários
Categorias: Blog

Alguém percebeu que o blog mudou de endereço? Nem comentei nada no post anterior, porque queria um post exclusivo para contar a novidade... Poisé. Depois de anos desejando o domínio, ele finalmente ficou disponível e eu não perdi tempo, fui lá e registrei na hora...

O blog está de volta e em novo endereço...

Em 2006, quando o blog mudou o nome para Confabulando (alguém lembra do antigo Only Dreams?), não era possível registrar domínios ".com.br" com o CPF, ou seja, só quem tivesse CNPJ era autorizado a fazer o registro. Dois anos mais tarde, o Registro.br liberou o cadastro de domínios nacionais para pessoas físicas e, com isso, muita gente conseguiu migrar seus sites e blogs para o ".com.br". Algum tempo depois, quando eu decidi que também queria fazer a troca, descobri que o domínio já estava registrado por outra pessoa... #mimimi

Alguns anos atrás, eu entrei em contato com o proprietário do domínio e perguntei se ele não queria me vender, pois eu tinha um blog de mesmo nome e muito interesse no domínio, mas o processo de transferência era bem burocrático e o rapaz desistiu no meio do processo – e nunca mais deu sinal de vida. E olha que eu insisti bastante! Mas paciência, não tinha o que fazer. :crying:

Eu continuei entrando no Registro.br todo ano para saber se o cara tinha renovado ou não, mas ele fez isso por vários e vários anos... O que mais me chateava nessa história toda é que ele não estava usando o domínio para nada, estava só redirecionando para um outro domínio dele, que era usado para testes de programação e projetos pessoais.

Mês passado, do nada, eu resolvi olhar de novo e vi que o domínio estava em processo de liberação. Solicitei o registro na hora, mas precisei esperar cerca de 2 semanas para liberarem o domínio, de fato. Nem contei para ninguém, que era pra não dar azar. E não deu. Dia 22 de junho eu recebi um e-mail dizendo que o domínio estava à minha disposição e então já paguei o valor anual dele... Agora ninguém mais tira ele de mim, é meu. :heart:

Renovei o antigo domínio esse mês, mas esta será a última vez... Do ano que vem para frente, vou manter apenas este endereço e o ".net" vai ser descontinuado. Queria pedir a quem tem links do Confabulando em seus sites e blogs que façam esta alteração também, para deixar tudo certinho e já com o endereço novo... E você que está lendo e não me linkou ainda, está esperando o quê? Me linka lá, me adiciona nos favoritos, me salva nos feeds e volte sempre, okz?

Só sei que estou me sentindo muito chyque por meu blog ser ponto com, ponto br... Acho que quando desejamos algo que não podemos ter, a vontade só aumenta e o prazer da conquista é muito maior também, néam? Mas o mais importante é não desistir, porque mais cedo ou mais tarde, você pode conseguir aquilo que tanto desejou. E daí é só felicidade.

01 jul 2014

Boom! Layout novo!

Postado às 00:00 | 26 comentários
Categorias: Blog

Olá pessoas! Que saudade que eu estava de escrever aqui... Fazia um tempão, néam? Mas agora é verdade, o blog está de volta. Eu estava prometendo há tempos que voltaria, mas acabava sempre colocando alguma outra coisa na frente e o blog ficava a ver navios. Mas no último mês eu resolvi criar vergonha na cara e voltar de uma vez, porque a todo momento eu tinha ideias de coisas legais para escrever e o blog estava congelado. Achei que já estava na hora de por um fim nisso, ou melhor, na hora de dar um novo início para o Confabulando. Et voilà!

Para quem não sabia (ou para quem está chegando aqui de paraquedas), ano passado eu prometi que só voltaria a postar no blog quando ele estivesse com o layout novo, porque fazia uns 3 anos que eu não trocava. Por conta disso e de outros zilhões de fatores – que eu não falarei neste post, mas quem sabe nos próximos? – eu acabei ficando 8 meses sem escrever aqui. Não sei como aguentei, mas acredito que tudo acontece quando deve acontecer, e sei que essa era a hora certa de voltar... Não antes, nem depois. Agora.

Novo layout do Confabulando

Para variar, os layouts do blog são sempre ultracoloridos... Adoro coisas clean, simples e bem básicas (em termos de design), mas aqui pro blog eu sempre faço tudo ao contrário – e não tenho ideia do porquê. Enfim, esta é a versão 15 e se chama "Nerd". Alguém percebeu que eu troquei de um muso para outro? Hahaha. Eu já tinha desenhado esse layout há anos e, na época, eu estava obcecada por ele... Mr. Zachary Levi vestindo sua camiseta da The Nerd Machine. :love:

Não quero me alongar muito, mas só deixa eu comentar... Eu tinha planos de dar uma mudada geral no blog, não só o layout, mas na estrutura das páginas, categorias e no conteúdo também, mas resolvi fazer tudo aos pouquinhos. Tem muita coisa ainda do template para ajustar, então eu vou me dedicar a estes detalhes agora e depois eu penso no resto. Vou mexendo aos poucos, adicionando e mudando as coisas que eu quero, até que esteja tudo bem redondinho. Então se encontrarem algo estranho, que não funciona ou que não combina com o blog, já sabem... Eu ainda estou arrumando!

Agradeço a todos pela paciência com o blog, aos queridos amigos que constantemente me perguntavam quando o blog ia voltar e também a todos que estão lendo este post agora. Escrever no Confabulando (mesmo que seja as minhas besteirinhas) estava me fazendo uma falta absurda e estou extremamente feliz em estar de volta. Tenho muitas novidades pra contar e espero encontrar com vocês nos próximos posts para trocarmos figurinhas...

Dia primeiro de julho, como prometido. Estou de volta. Sejam bem-vindos. Novamente.